Alimentos indigestos: veja dicas de preparo e sinta-se melhor

 

As pessoas têm organismos diferentes e, com isso, a sensibilidade ao comer e digerir varia de caso para caso. Determinados tipos de alimentos são realmente mais difíceis de serem processados, mas isso não quer dizer que precisam necessariamente ser banidos da dieta – basta saber a forma ideal de preparo e ingestão. Confira dicas organizadas pelo site FitSugar.

 

Pimentões verdes: comer este vegetal cru, em forma de salada, pode ser algo indigesto para muitas pessoas. No entanto, você pode fazê-lo grelhado, assado ou refogado que a digestão será melhor. Se prefere comê-lo cru, prefira os pimentões vermelhos ou amarelos.

Laticínios: se você é intolerante à lactose, ainda assim pode desfrutar de leite, queijo e sorvete se acrescentar uma pílula de lactase à primeira mordida que der no produto lácteo. Ela contém enzimas de lactase (que o seu corpo não produz suficientemente), que quebram o açúcar presente na lactose.

Maçãs e peras: são frutas com alto teor de fibra, que parecem inocentes e saudáveis, mas, para muitas pessoas, traz desconforto, inchaço e gazes. Se quiser incluí-las na sua alimentação, opte por comer algumas fatias de cada vez, ou em combinação com outros alimentos como iogurte e cereais. Uma outra dica é retirar a casca, para que o seu corpo se acostume primeiramente com a polpa da fruta.

Feijão: rico em proteínas e fibras, este alimento é conhecido por aumentar os gazes. Procure incluí-lo gradualmente na dieta, e sempre procure comê-lo com outros itens de fácil digestão, como arroz ou pão.

Fonte: Terra

Óleo: cuidado com frituras e poluição do ambiente

O petisco que sai da frigideira fumegante encharcado de gordura, como o que ilustra esta reportagem, pode ameaçar a saúde. Um estudo assinado por especialistas de diversas universidades espanholas chega para reforçar a acusação e apontar o elo entre as frituras e o aumento da circunferência abdominal, um problema associado ao infarto.

Nesse tipo de preparação é contínua a exposição do óleo a fatores responsáveis por reações químicas, conta a nutricionista Bianca Chimenti, do Instituto do Coração, em São Paulo. E aí as moléculas de ácido graxo se transformam, passando depoliinsaturadas, que são benéficas, a saturadas, que só fazem mal. O processo pode até levar à temida gordura trans.

Não raro o resultado de toda essa metamorfose afeta perigosamente o coração. Não custa lembrar que as gorduras saturadas e as do tipo trans aumentam a fração ruim docolesterol, o LDL, e fazem despencar a boa porção, que atende pelo nome de HDL e isso torna os vasos sangüíneos vulneráveis ao entupimento. Para piorar, muitos nutrientes do óleo, como osômegas-3 e 6, que protegem o sistema cardiovascular, acabam virando fumaça. Literalmente. O aquecimento exagerado favorece essa perda, explica o bioquímico Jorge Mancini, professor da Universidade de São Paulo.

Até mesmo o riquíssimo azeite de oliva sai com a boa fama chamuscada da frigideira. É que o calor faz os compostos fenólicos simplesmente desaparecerem, cedendo espaço a uma concentração de moléculas oxidadas, nocivas às membranas celulares.

Se for comer frituras vez ou outra…
Prefira as preparadas rapidamente e com óleo novinho. A reação provocada pelo aquecimento é bem mais intensa quando o óleo fica tempo demais na frigideira ou, pior, é reaproveitado.  Para você ter um ideia, uma escumadeira cheia de batata cozida fornece 68 calorias, enquanto a mesma quantidade da que passou por fritura apresenta nada menos do que 182. No óleo velho ou naquele submetido a altas temperaturas por muito tempo a concentração de substâncias nocivas aumenta e o risco de problemas também. Durante o preparo, não adianta despejar óleo novo sobre o que já está na panela achando que assim a mistura fica mais saudável, alerta Gláucia de Souza. Isso também provoca a deterioração do produto recém-saído da lata.

Cuidado no descarte do óleo
Ninguém vai banir iguarias fritas do cardápio para todo o sempre. Mas, por favor, se a vontade bater forte, pense na saúde do planeta e, depois de preparar sua receita, não despeje o líquido engordurado no ralo da pia. Esse péssimo hábito contamina os rios. Estimativas do Grupo Pão de Açúcar, que está à frente de um programa de proteção ambiental, dão conta de que cada litro de óleo jogado no esgoto tem capacidade para poluir cerca de 1 milhão de litros de água!

“Formam-se crostas de gordura na superfície, o que impede a passagem de luz e compromete a vegetação e os peixes nos rios”, alerta Adriano Ferreira Calhau, coordenador do Instituto Triângulo, uma ONG sediada em Santo André, na Grande São Paulo. Além de acabar com a vida aquática, os resquícios gordurentos podem formar uma espécie de capa oleosa que impermeabiliza o solo e dificulta o escoamento das chuvas, aumentando as chances de enchentes. Há quem desconfie, inclusive, que essa seja uma das causas das inundações na cidade de São Paulo.

Uma saída para proteger o meio ambiente é a reciclagem do óleo de cozinha. No Instituto Triângulo, uma equipe recolhe o material que é destinado à fabricação de sabão. O Grupo Pão de Açúcar, em parceria com a empresa Unilever, dispõe de vários postos de coleta em São Paulo. O líquido segue para cooperativas que se encarregam da produção de biocombustível, conta Beatriz Queiroz, gerente de sustentabilidade do Pão de Açúcar.

Fonte: abril.com.br

Deixe seu metabolismo a todo vapor no inverno

No inverno, nosso metabolismo acelera, pois precisa trabalhar mais para produzir mais energia e manter nosso corpo em uma temperatura estável. Porém, por conta do frio, o corpo reduz a quebra de gordura, o que dificulta a perda de peso, e além de tudo a fome aumenta, já que precisamos de mais energia. Porém, comendo os alimentos certos, é possível estimular o metabolismo e dar a ele a energia necessária para que funcione, sem ganhar peso!

Apesar da prática de atividade física ser o carro-chefe para acelerar o metabolismo e gastar energia, muitas pessoas desanimam dos exercícios em dias frios. Mas o metabolismo também pode ser estimulado de diversas formas, inclusive fazendo uma das melhores coisas da vida: comer! Siga os conselhos dos especialistas e estimule o seu metabolismo para acelerar os resultados da dieta.

Magnésio no cardápio

O magnésio é um mineral importante que participa de quase todas as ações metabólicas. “Cerca de 300 sistemas enzimáticos dependem da presença de magnésio”, afirma a nutricionista Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional.

Uma alimentação deficiente em magnésio não só deixa o metabolismo mais lento, como também pode favorecer o acúmulo de gorduras e a má utilização das proteínas ingeridas.

Fontes de magnésio: castanhas, folhas verde-escuras, figo, beterraba, leite e derivados.

Coma mais potássio

O potássio é um elemento que está presente em maior concentração nas células musculares e nervosas. Ele é responsável por manter o nosso corpo hidratado, pela contração muscular e pelo funcionamento cardíaco, além de participar da transmissão dos impulsos nervosos.

De acordo com a nutricionista Roseli Rossi, é por conta dessas funções que uma dieta pobre em potássio pode favorecer o mau funcionamento do metabolismo humano, provocando desordens endócrinas e metabólicas, como secreção reduzida de insulina, intolerância a carboidratos, retardo no crescimento e síntese reduzida ou alterada dos hormônios aldosterona, que regula as quantidades de sódio e potássio em nosso sangue, e prostaglandinas, que tem função reprodutiva e de controle da pressão sanguínea, da função renal, da formação de trombos, dos processos inflamatórios, do fluxo sanguíneo e controle também de alguns processos patológicos.

Fontes de potássio: banana, laranja, uva, kiwi, melão, maracujá.

Gorduras boas para o organismo funcionar

“As gorduras são fundamentais para o metabolismo porque retardam a digestão do carboidrato e permitem que a energia seja gasta de forma mais homogênea”, afirma a nutricionista Roseli Rossi. Porém, é importante escolher o tipo certo de gordura, no caso, as insaturadas. Essas, sim, ajudam o metabolismo a funcionar melhor, além de limpar as artérias.

São fontes de gordura insaturada: castanha-do-pará, castanha de caju, amêndoa, amendoim, nozes, pinhão, pistache, azeite de oliva extra virgem, abacate, semente de abóbora, gergelim e girassol.

Proteínas e fibras

O nutrólogo Celso Cukier, do Hospital São Luiz, explica que esses dois nutrientes são campeões quando o assunto é manter o metabolismo funcionando. Pelo fato de gastarem mais energia para serem digeridos, fazem o metabolismo trabalhar mais. Além disso, os dois proporcionam uma maior sensação de saciedade. No caso das fibras, prefira as fibras solúveis, pois são elas que auxiliam mais efetivamente no bom funcionamento do metabolismo.

Fonte de proteínas: carnes, leite e derivados.
Fonte de Fibras solúveis: polpa de frutas e farelo de cereais

Invista nas frutas secas

Elas são ótimas fontes de energia e, por isso, ajudam a manter o metabolismo funcionando. Sem contar que, por darem mais energia, nos deixam mais animados para fazer tarefas do dia a dia e exercícios físicos, tão importantes para o bom funcionamento do metabolismo.

O ideal é consumi-las nos lanches da tarde ou antes da atividade física. Usá-las para incrementar as saladas e outros pratos quentes também é uma ótima pedida.

PROCURANDO UMA CLINICA ESPECIALIZADA EM IMPLANTES DENTÁRIOS EM SANTOS OU SÃO PAULO?
SAIBA MAIS

Aposte nos termogênicos

Alimentos termogênicos são aqueles que têm o poder de aumentar a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e aumentando a queima de gordura.

A nutricionista funcional Luciana Harfenist alerta para o fato de que crianças, gestantes e pessoas com cardiopatias, hipertensão, enxaqueca, úlcera e alergias não devem abusar desses alimentos, pois eles podem levar a aumento da pressão arterial, hipoglicemia, insônia, nervosismo e taquicardia.

Dentre os alimentos termogênicos, podemos destacar a pimenta vermelha, o chá verde e a canela.

Varie o cardápio

Comer sempre a mesma coisa, além de ser muito chato e monótono, não ajuda em nada o seu metabolismo. Consumir a mesma quantidade de calorias todos os dias ou os mesmos alimentos nas refeições faz com que o seu corpo se acostume a receber aquela quantidade de energia, se acomodando.

“Introduzir alimentos sempre diferentes é necessário para contemplar maior riqueza de nutrientes, células com maior capacidade de gerar energia e, consequentemente, um metabolismo mais ativo”, diz a nutricionista Roseli Rossi.

Coma de três em três horas

Se você fica mais do que três horas sem comer nada, seu organismo começa a diminuir a velocidade de funcionamento para poupar energias e proteger funções vitais do seu corpo. Ou seja: o metabolismo fica mais lento. Por isso, é de extrema importância fazer pequenos lanches entre as refeições principais.

Coloque mais do que salada no prato

Apesar de serem muito nutritivas e de baixa caloria, quando comemos apenas uma salada de folhas e mais nada no prato, estamos na verdade sabotando a refeição e freando nosso metabolismo. De acordo com o nutrólogo Celso Cukier, isso acontece por conta da baixa quantidade de substâncias a serem digeridas. “O ideal é fracionar as refeições e deixá-las balanceadas”, completa.

Por isso acrescente ao seu prato alimentos fonte de proteínas (frango, peixe, ovos), gorduras boas (azeite, castanhas, linhaça) e carboidratos complexos (aveia, torradas integrais). Eles deixarão sua refeição muito mais interessante e farão seu metabolismo trabalhar melhor.

Mexa-se!

Se você é da turma que morre de preguiça só de pensar em fazer exercícios no clima frio do inverno, saiba que qualquer atividade conta para acordar o seu metabolismo. Use as escadas, aposente o controle remoto e desça do ônibus ou estacione o carro um pouco mais longe do lugar que pretende ir. Ponha-se em movimento sempre que possível e colha os benefícios!

Fonte: UOL

Saiba como combater o cansaço com uma dieta equilibrada

Frutas à venda em mercadão

Mesmo com uma dieta balanceada e uma rotina de exercícios, você se queixa de falta de energia e dificuldade de se concentrar? Talvez seu organismo esteja precisando de uma turbinada nutricional.

As pessoas se preocupam com os macronutrientes, como carboidratos, proteínas e gorduras, e se esquecem das vitaminas e minerais”, diz a nutricionista Elaine de Pádua, de São Paulo. O consumo insuficiente desses nutrientes prejudica a produção de glóbulos vermelhos. O resultado? Um cansaço eterno.

Não é preciso nenhuma mudança radical para sentir a diferença. Basta incluir fontes ricas em vitaminas, minerais e antioxidantes. Em menos de um mês, a melhora é evidente. “O maior estímulo para colocar em prática hábitos saudáveis é sentir a melhora no dia a dia”, diz Bianca Naves, nutricionista do Espaço N.O., em São Paulo. Veja os principais nutrientes para turbinar já a sua dieta.

Biotina

Das vitaminas do complexo b, é uma das mais importantes para melhorar a resistência à fadiga. É essencial para a produção de ácidos graxos e melhora a memória. sua deficiência está ligada a depressão e fraqueza muscular.

Principais fontes: cereais integrais, fígado, gema de ovo e levedura.
Recomendação: 25 a 30μg/dia, o que equivale a 30 g de fígado bovino ou uma gema de ovo.

TENHA A CLÍNICA BRANEMARK CENTER NO FACEBOOK:  https://www.facebook.com/ClinicaBranemark

Inosina

Nutriente que facilita a liberação do oxigênio pelas hemácias, o que significa mais energia para o corpo. para quem pratica atividades físicas, é ainda mais benéfica: elimina o ácido lático, que causa dores musculares.

Principais fontes: levedo de cerveja, fígado e rins.
•Recomendação: não existe recomendação mínima.

Magnésio

Sabe aquela vontade de comer um docinho no fim do dia? pode estar faltando magnésio na sua dieta. isso acontece porque o mineral é responsável, junto com a vitamina b6, por transformar os carboidratos em triptofano, aminoácido usado na produção de serotonina, o neurotransmissor que dá sensação de bem-estar. sua falta causa cansaço e indisposição.

•Principais fontes: cereais integrais, folhas e sementes oleaginosas.
•Recomendação: 350 mg por dia, ou seja, 1½ xícara (café) de castanhas.

Zinco

Estudos recentes mostraram que voluntários submetidos a uma dieta baixa desse mineral ficavam mais cansados ao se exercitar. sua deficiência provoca desequilíbrio da coordenação muscular, falta de motivação e predisposição para depressão.

Principais fontes: carne vermelha, semente de abóbora torrada e frutos do mar.
Recomendação: 8 mg/dia, equivalente a 50 g de ostras (2 unid.)

Selênio

Antioxidante que protege as células contra os efeitos dos radicais livres. Auxilia na mudança de humor e combate depressão, fadiga e ansiedade.

Principais fontes: castanha-dopará, frutos do mar, fígado, carnes e aves em geral.
Recomendação: duas unidades de castanha-do-pará por dia.

Ferro

Não é preciso estar anêmica para sentir os efeitos da falta de ferro. Se a ferritina estiver baixa, o transporte de oxigênio fica comprometido, gerando cansaço e apatia. Para potencializar o aproveitamento do ferro das leguminosas, que é de apenas 10%, é importante consumir, na mesma refeição, alimentos ricos em vitamina C. Ela aumenta essa absorção em até quatro vezes.

Principais fontes: fígado, carnes e leguminosas, como feijão, ervilha, grão de bico e lentilha.
Recomendação: mulheres em idade reprodutiva devem consumir 18 mg/ dia e mulheres pós-menopausa, 8 mg/ dia. um bife de 100 g contém cerca de 3 mg; já uma concha de lentilha tem em torno de 6 mg.

Ácidos Graxos Essenciais

São os famosos ômegas (3 e 6 são os mais conhecidos). Fortalecem o sistema imunológico e melhoram a memória.

•Principais fontes: salmão, truta, bacalhau, óleos vegetais e abacate.
Recomendação: uma posta de salmão ou 2 colheres de sopa de óleo de soja (ômega 3).

PROCURANDO UMA CLINICA ESPECIALIZADA EM IMPLANTES DENTÁRIOS EM SANTOS OU SÃO PAULO?
SAIBA MAIS

Fonte: Exame.com

Começou o Festival de Inverno de Campos de Jordão 2012

O Branemark Center – clínica especializada em implantes-  dá uma super dica para o final de semana prolongado . Acompanhe a programação

SEXTA-FEIRA

06

JULHO

CAMERATA FUKUDA

CAMERATA FUKUDA música de câmara

15h30 às 17h00
Igreja São Benedito – Campos do Jordão
ORQUESTRA SINFÔNICA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

ORQUESTRA SINFÔNICA MUNICIPAL orquestra

JACQUES ZOON flauta

20h30 às 22h30
Auditório Claudio Santoro – Campos do Jordão

SÁBADO

07

JULHO

ORQUESTRA DE METAIS LYRA TATUÍ
12h30 às 14h30
Concha Acústica – Praça do Capivari – Campos do Jordão
CORO DE CÂMARA DA OSESP

CORO DA OSESP coral

NAOMI MUNAKATA regência

15h30 às 17h00
Igreja Matriz Santa Terezinha – Campos do Jordão
QUARTETO RADAMÉS GNATTALI
17h00 às 18h30
Capela do Palácio Boa Vista – Campos do Jordão
ORQUESTRA DO FESTIVAL

ORQUESTRA DO FESTIVAL orquestra

SIR RICHARD ARMSTRONG regência

SUSANNE BERNHARD canto

20h30 às 22h30
Auditório Claudio Santoro – Campos do Jordão

DOMINGO

08

JULHO

TRIO

CLÁUDIO CRUZ regência

ANTONIO MENESES violoncelo

JOSÉ FEGHALI piano

11h00 às 12h30
Auditório Claudio Santoro – Campos do Jordão
ORQUESTRA DO FESTIVAL

ORQUESTRA DO FESTIVAL orquestra

SIR RICHARD ARMSTRONG regência

SUSANNE BERNHARD canto

11h00 às 12h00
Sala São Paulo – São Paulo
BANDA SINFÔNICA JOVEM DO ESTADO DE SÃO PAULO

BANDA SINFÔNICA JOVEM DO ESTADO orquestra

12h30 às 14h00
Concha Acústica – Praça do Capivari – Campos do Jordão
RECITAL DA CLASSE DE CANTO DO FESTIVAL
15h30 às 17h00
Igreja São Benedito – Campos do Jordão
ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO

ORQUESTRA SINFÔNICA DO ESTADO DE SÃO PAULO – OSESP orquestra

MARIN ALSOP regência

JOHANNES MOSER violoncelo

17h00 às 19h00
Auditório Claudio Santoro – Campos do Jordão

SEGUNDA-FEIRA

09

JULHO

QUINTETO DE SOPROS DA ACADEMIA DA OSESP E DUO VIOLONCELO & PIANO

JOHANNES MOSER violoncelo

OLGA KOPYLOVA piano

20h30 às 22h00
Auditório Claudio Santoro – Campos do Jordão

Aprenda qual a hora de trocar a escova de dente

Estudo divulgado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts aponta que a escova de dente é considerada a invenção mais importante da humanidade. No Brasil, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), o consumo de escovas dentais tem aumentado continuamente ao longo dos anos.

Para acompanhar esse cenário, a indústria oferece os mais variados modelos de escova. No momento de compra, o consumidor precisa fazer pelo menos três escolhas: cerdas duras, médias ou macias; cabeça grande ou pequena e cabos emborrachados ou de plástico.
O professor, mestre e doutor em Odontologia da Anhanguera UNIBAN, Dr. Hugo Lewgoy, explica que a cabeça não pode ser grande porque fica mais difícil alcançar os dentes posteriores. Já as cerdas devem ser ultramacias e em grande quantidade. “É como se pegássemos uma vassoura com cerdas duras e varrêssemos um chão com piso branco e brilhante, certamente, ao longo do tempo, ele perderá o brilho e surgirão alguns riscos”, diz o dentista.

PROCURANDO UMA CLINICA ESPECIALIZADA EM IMPLANTES DENTÁRIOS EM SANTOS OU SÃO PAULO?
SAIBA MAIS

Dicas do Dr. Hugo Lewgoy

1. Prefira escovas com cabos lisos. As borrachas nos cabos podem colaborar para acumular sujeiras e proliferar bactérias;

2. As escovas que possuem tampa acrílica da cabeça conservam as cerdas. Estes protetores também são muito úteis para levar a escova dentro de bolsas, malas, pastas para evitar o contato das cerdas com dinheiro, carteira e outros objetos;

3. Recomenda-se trocar de escova a cada três meses;

4. Antes de se iniciar a higiene oral, as mãos e unhas devem ser muito bem lavadas e esfregadas com água e sabão;

5. Um bochecho com água para eliminar resíduos de alimentos deve ser realizado, pois isto diminui a chance da comida ficar presa entre as cerdas e sofrer uma decomposição posterior.

VEJA MAIS:
Cuidados com a escova dental e a sua substituição
Antissépticos com Flúor Evitam a Cárie
Mudança na escovação é mais eficaz na remoção de placa

Fonte: Terra