Peixes oleosos para uma dieta equilibrada

Salmão

Cozido, grelhado, assado, frito, cru ou à milanesa, os peixes são ricos em proteínas e indispensáveis para uma dieta saudável. Ao contrário do que se imagina, os peixes oleosos também são alimentos poderosos e trazem inúmeros benefícios à saúde. Por isso, devem estar presentes à mesa.

“Conhecidos pelo sabor peculiar, os peixes oleosos como salmão, atum, sardinha, arenque e cavalinha são importantes fonte de ômega 3, com exceção do atum enlatado, que tem pouca quantidade dessa substância. Além de um excelente anti-inflamatório natural, o ômega 3 evita doenças do coração, coágulos no corpo e atua nas doenças ósseas”, avisa a médica Sylvana Braga, nutróloga, reumatóloga, fisiatra e especialista em prática ortomolecular, também autora do livro “Dieta Ortomolecular – dieta natural para emagrecimento saudável e evitar definitivamente o efeito sanfona”, que traz mais de 100 receitas para se manter saudável de forma natural.

De acordo com a especialista, estes peixes possuem diversas propriedades terapêuticas como redução da pressão arterial, do nível de colesterol total e do LDL (colesterol ruim) e diminuição dos coágulos do sangue. “Eles ainda atuam em doenças inflamatórias como dermatite, artrite reumatóide, psoríase e inflamações no intestino grosso (colites) e protegem o organismo de câncer, aumentando a resistência do corpo.”

Ao ingerir ômega 3 é necessário aliar às receitas alimentos fontes de vitamina E para proteger as propriedades atuantes do ômega 3 de serem oxidadas. Sementes como nozes, amêndoas e avelã são fontes da vitamina E. Já os óleos de girassol e linhaça são responsáveis pela vitamina D.

“Os peixes defumados, em geral, também são excelente fonte de ômega 3. Na preparação de peixes defumados é adequado associar alimentos que contenham vitamina C, pois também evitam a oxidação e produção de substâncias tóxicas que são subprodutos desta degradação”, conta a médica.

Mas, atenção com o consumo. O ideal são duas refeições de peixes na semana, em torno de 250g para mulheres e 400g para homens. “Vale lembrar que a ingestão de mais de 700g por semana não produz benefícios adicionais à saúde. De acordo com estudos realizados no Instituto do Coração e Pulmão dos EUA, o consumo de 50g de peixe defumado ou 100g de salmão por dia evitam ataques cardíacos.”

Valor nutricional dos peixes oleosos:

Peixe: Nutrientes: Calorias:
Salmão cru Rico em fósforo, potássio, folatos, ácido pantotêmico e vitaminas D, B6, B12 e B1 Cada 100g – 210 calorias
Sardinha crua Rica em fósforo, cálcio, vitaminas A, B6 e B12, potássio, sódio e ferro Cada 100g – 269 calorias
Cavalinha ao forno Rica em fósforo, potássio, sódio, vitaminas A, D e B2, magnésio e folatos Cada 100g – 138 calorias
Arenque em conserva Rico em vitaminas A, D e B12, sódio, fósforo e cálcio Cada 100g – 290 calorias

 

PROCURANDO UMA CLINICA ESPECIALIZADA EM IMPLANTES DENTÁRIOS EM SANTOS OU SÃO PAULO?
SAIBA MAIS

Fonte: Exame.com

Aprenda a usar os sentidos para cozinhar

Se você é daqueles que adoram ir para a cozinha e experimentar receitas novas, deve ter lido mais de uma vez a frase “pré-aqueça o forno a 180 graus e asse durante tantos minutos”. Entretanto, de acordo com o site Slate, além de ser linguisticamente ridículo pré-aquecer um forno — você o aquece e pronto! —, saber se a temperatura está certa é um pouco complicado, mesmo que o seu fogão venha com um termostato de precisão.

O problema é que, ao longo dos anos, vários tipos de marcadores de temperatura foram estabelecidos para os fornos — em graus; níveis alto, médio e baixo; numérico etc. — e nem sempre a temperatura real corresponde à que você esperava. Dessa forma, as receitas acabaram adotando um padrão aproximado, e é por isso que nem sempre o resultado sai como esperávamos.

Use os sentidos

Assim, saber quando algum alimento está pronto é muito mais uma arte do que uma ciência exata, e existem diversos métodos que podem ajudar a determinar se o forno está suficientemente aquecido ou não. Além de usar termômetros culinários, que costumam ser bem precisos, você pode utilizar tiras de papel e farinha (que ficam escurecidas com o calor) ou o velho truque do palito de dentes, que sai limpinho do bolo quando este está assado.

Mas melhor do que todos esses artifícios, o mais importante mesmo é aprender a usar os sentidos. Geralmente o cheiro de comida queimando é algo facilmente reconhecível, assim como o aspecto de algo que continua cru. Além disso, antes de determinar a temperatura do forno, pense em como você quer que o alimento seja tratado — com gentileza, firmeza ou força total — e então regule a temperatura com base nessa ideia. E fique de olho!

Fonte: UOL

Ponha seus dentes na linha já!

Tratamento ortodôntico para alinhamento dos dentes 

A Associação Americana de Ortodontia informa que, nos Estados Unidos, cerca de 4,5 milhões de pessoas usam aparelhos para corrigir a posição dos dentes e ter um sorriso bonito e saudável1.

Como você sabe, o ortodontista é um dentista com uma especialização clínica complementar no tratamento das más oclusões (mordidas erradas), as quais podem ocorrer devido à falta de alinhamento dos dentes e problemas nas arcadas.

Por que os dentes ficam tortos? O cirurgião dentista Terry Pracht, ex-presidente da Associação Americana de Ortodontia, afirma que os dentes tortos e os problemas de mordida têm sua origem tanto em fatores hereditários como em fatores ambientais.

O Dr. Pracht diz que os fatores hereditários respondem inclusive pelo apinhamento dentário, diastema (grandes espaços entre os dentes) e más oclusões. Ele também menciona que os dentes tortos podem ser causados pelo hábito de chupar o dedo e pela protrusão lingual, além de problemas nas arcadas decorrente de acidentes(1).

Quais as opções de tratamento para alinhar os dentes ou corrigir más oclusões?

O tratamento ortodôntico tem três estágios. O primeiro é aquele no qual os aparelhos são usados para ganhar espaço na boca.

Por exemplo, os expansores palatais são usados para aumentar a largura do palato, e, as barras linguais, para expandir a arcada inferior.

O estágio seguinte é o da correção ativa, no qual os aparelhos são colocados nos dentes. Neste estágio, os dentes são ajustados e alinhados e as más oclusões são corrigidas no decorrer de um período que depende do grau de irregularidade dos dentes e da severidade dos problemas das arcadas.

O terceiro estágio é o da retenção, no qual, depois que o aparelho é removido, os dentes são monitorados por meio do uso de um retentor (fixo ou removível) e das visitas ortodônticas semestrais.

Depois que seu ortodontista determinar a remoção de seu aparelho, é importante usar um retentor

Tipos de aparelhos
Os aparelhos de trinta ou mais anos atrás eram grandes bandas de metal enroladas e cimentadas em cada dente. O aparelhos podem ser colocados na face externa ou interna dos dentes, dependendo da recomendação do ortodontista. Os bráquetes, arcos e bandas apresentam-se em diversas cores, à escolha dos adolescentes.

Atualmente, pequenos bráquetes de metal ou cerâmica são fixados, com cimento específico, na superfície externa dos dentes, podendo-se usar bandas de metal nos dentes posteriores.

Os arcos colocados dentro dos bráquetes são feitos de uma liga de níquel e titânio que esquenta de acordo com a temperatura da boca, permitindo a aplicação constante de pressão sobre os dentes quando ajustados no consultório do ortodontista.

Um aparelho alternativo e de uso mais recente é o sistema Invisalign, que consiste em uma série de alinhadores removíveis usados durante o dia e à noite para ajudar na correção. Os alinhadores podem ser removidos antes da escovação ou do uso do fio dental.

Cuidado dos aparelhos
O ortodontista ou dentista dará a você todas as informações sobre como higienizar corretamente seu aparelho. Há várias escovas manuais (especialmente projetadas para pacientes ortodônticos), movidas a bateria, elétricas e sônicas que podem ser usadas.

ergunte ao dentista qual é a melhor para o seu caso. Escove ao menos duas a três vezes por dia, em ângulo de 45 graus com movimentos de vai-e-vem. Remova a placa bacteriana na linha da gengiva para evitar gengivite (inflamação do tecido gengival).

Coloque a escova em ângulo na linha da gengiva e escove suavemente ao redor do aparelho para remover a placa bacteriana e os resíduos alimentares. É muito importante higienizar entre os dentes, se houver espaço, usando fio dental e um passa fio, um stimudent (palito limpador) ou uma proxabrush (escova interdentária).

Os irrigadores bucais são recomendados para a remoção de resíduos alimentares e irrigação do tecido gengival para eliminar a gengivite e as bactérias causadoras de mau hálito. Também podem ser usados um creme dental antibacteriano e um enxaguatório bucal, com o irrigador ou isoladamente.

Com o manter o sorriso depois de retirar o aparelho?
Depois que seu ortodontista determinar a remoção de seu aparelho, é importante usar um retentor (um dispositivo de plástico) durante o dia ou à noite, de acordo com a recomendação profissional. A higienização do retentor pode ser feita com água ou creme dental e escova, logo depois do uso.

Quando não estiver sendo usado, o retentor deve ser guardado em um estojo de plástico. Combine com seu dentista a profilaxia profissional semestral e com seu ortodontista as consultas regulares de manutenção.

PROCURANDO UMA CLINICA ESPECIALIZADA EM IMPLANTES DENTÁRIOS EM SANTOS OU SÃO PAULO?
SAIBA MAIS

Fonte: UOL

Aprenda a proteger sua audição

Preste atenção nos sons do seu dia a dia: buzinas, sirenes, música alta, ônibus barulhento, gente falando alto… É muita coisa, né? “É a poluição sonora, um acúmulo de ruídos ambientes que causam danos à audição”, explica o médico Manoel de Nóbrega. O problema é tão grave que, no último Censo, mais de 7,5 milhões de brasileiros declararam ter difculdade de audição, um salto de 2 milhões em apenas dez anos. O pior é que o dano às células auditivas, que já são pouquíssimas, é irreversível.

Muito do que a gente faz no cotidiano causa danos aos ouvidos. “Ouvir música alta, especialmente com fones de ouvido, e limpar o canal auditivo com cotonete são atitudes perigosas”, diz o também especialista Fabrízio Romano. Isso não signifca que passar horas na balada em frente à caixa de som, uma vez ou outra, vá danifcar sua audição para sempre, como explica o doutor Manoel: “O ouvido entupido e o zumbido são sintomas temporários, que passam após um período de repouso. A exposição constante é que realmente causa danos.”

Os primeiros sintomas da perda de audição são um zumbido que não para e difculdade para ouvir sons mais agudos, como os vocais das Empreguetes. “Tais sintomas podem ser acompanhados
também de tontura e de dor de ouvido”, ressalta o doutor Fabrízio. Caso você já esteja aumentando muito o volume da TV pra entender o que a Carminha falou pra Nina, não espere mais para procurar
um otorrino!

Aprenda a cuidar dos seus ouvidos

Ouça o som de fora sempre!
Fones de ouvido para abafar sons de fora são um perigo, ainda mais na rua! “Ele diminui a atenção e pode causar graves acidentes”, alerta Manoel de Nóbrega. A dica é usar os fones apenas em casa, para ouvir a música com mais atenção e sem precisar botar o volume nas alturas!

Limpe com cuidado
Evite introduzir objetos (como cotonetes) no canal auditivo. Passe os bastões apenas na parte de fora.

Hora do expediente
Preste atenção nos sons em seu trabalho. Se for um local muito barulhento, onde você precisa gritar para conversar, use protetores auriculares. Eles custam a partir de R$ 3 e podem ser encontrados em
casas de material de construção.

Descanso pós-festa
Vai pra balada? Dê um descanso aos ouvidos logo em seguida: procure um ambiente silencioso para repousar. Assim, você evita danos graves.

55 decibeis
É a potência máxima de som que você pode ouvir sem prejudicar a saúde, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

Conheça os ruídos do dia-a-dia

– O canto dos passarinhos tem apenas 10 decibéis. Pode ouvir sempre!
– O tique-taque do relógio tem 30 decibéis. Nem precisa se preocupar com o barulhinho.
– Bebê chorão é sinal de dor de cabeça e de ouvido! Com 60 decibéis, o som já incomoda.
– Um caminhão emite até 100 decibéis. Mais de duas horas no trânsito já causa danos!
– Os fãs de música têm que fcar atentos: o som do piano tem 80 decibéis. É bem alto!
– Show de rock é sempre alto: 110 decibéis! Não deveria passar de meia hora, mas…
– A decolagem do avião tem 120 decibéis. Se trabalha ou mora perto de aeroporto, fique esperto!

Fonte: Abril.com