O que comer e beber para evitar o mau hálito

Do chá verde aos cereais naturais, saiba quais são os alimentos que ajudam a deixar a boca fresca e livre de odores ruins

Manter uma higiene bucal regular, com escovação e fio dental, é a medida número 1 para quem quer combater um dos piores inimigos dos relacionamentos: o mau hálito. Entretanto, manter uma boca fresca e livre de odores ruins vai muito além da pasta de dentes e do enxaguante bucal. O que é ingerido nas refeições, por exemplo, tem efeito direto sobre o hálito.

Uma nutrição adequada e pelo consumo de certos alimentos e bebidas, portanto, é um grande passo rumo a um hálito fresco – sempre aliado à profilaxia correta dos dentes, gengivas e língua, claro.

Água

Beber bastante água pura ao longo do dia (em média dois litros) mantém a boca umedecida, removendo resíduos alimentares e evitando a formação de placa bacteriana na língua, o que pode resultar em mau hálito.

Chiclete

Não é apenas pelo gostinho refrescante que o chiclete ajuda a combater a halitose. Mascar goma de vez em quando, desde que seja sempre sem açúcar, também ajuda a aumentar a salivação e manter a boca hidratada.

Iogurte natural

Semidesnatado ou desnatado e sem açúcar, ele tem baixo teor de carboidratos com baixo índice glicêmico, o que previne a proliferação bacteriana – combatendo assim a formação de cáries. Além disso, minimiza a produção do gás sulfídrico, formado em processos fisiológicos do corpo, e que favorece o mau hálito.

Chá verde

Consumido sem açúcar ou adoçante, o chá verde e seu sabor amarguinho auxiliam na produção salivar, impedindo a formação da placa bacteriana na língua. Entretanto, atenção para o consumo: o chá verde deve ser adicionado ao dia a dia, mas não deve substituir a água: por ser rico em cafeína, ele pode ter efeito oposto e favorecer a desidratação.

Chá de boldo e de alecrim

A ingestão de infusões de boldo e de alecrim (também sem açúcar), principalmente após refeições gordurosas, além de hidratar, facilita a digestão, prevenindo a incorreta liberação de gases produzida no intestino pelas vias respiratórias.

Maçã e cenoura

Consumidos crus, são alimentos ricos em fibras, que estimulam a salivação e auxiliam na limpeza dos dentes e da língua, impedindo a formação da placa bacteriana na língua.

Frutas cítricas

Algumas, como limão, abacaxi, kiwi, morango e maracujá são excelentes para a manutenção de um hálito saudável. Além de terem ação adstringente e bactericida, estimulam a salivação, inibindo a proliferação de bactérias na boca, e estimulam o funcionamento do sistema digestivo. O melhor é consumi-las sem açúcar, mesmo na forma de suco.

Canela, gengibre e hortelã

São três exemplos de alimentos com ação antioxidante, adstringente e termogênica. Assim, estimulam o sistema digestivo, auxiliando a digestão, além de adoçar e deixar o hálito mais fresco.

Cereais integrais

A manutenção da glicemia e da insulina é mais estável com o consumo de alimentos ricos em fibras e em carboidratos complexos, como pães, macarrão e arroz integrais, o que evita o mau hálito provocado pela hipoglicemia (ela surge em decorrência do jejum prolongado), além das fibras favorecerem uma flora intestinal saudável e estimular o trânsito do intestino.

 

OS PERIGOS DO CIGARRO PARA A SAÚDE BUCAL

Você já cansou de ouvir dos problemas que o tabagismo causa na sua saúde. Além de doenças como enfisema, bronquite crônica e câncer, esse hábito também traz sérios problemas para sua saúde bucal, como um risco mais elevado de desenvolver a gengivite. O problema, que pode levar à perda de dentes caso evolua para estágios mais avançados, é sério e merece atenção. Conversamos com a patologista bucal Beatriz Venturini para entender como o tabagismo pode ser um perigo para o sorriso.

O CIGARRO, A GENGIVITE E OUTRAS DOENÇAS

Perceber que sua gengiva está sangrando durante a higiene bucal pode ser um sinal de inflamação. Isso costuma acontecer com pacientes que não praticam tal hábito regularmente, o que faz acumular placa bacteriana. Mas para quem fuma, a doença costuma ser bem mais severa. A especialista conta que neste caso a gengiva inflamada é seguida pela perda óssea e de inserção gengival aumentada, tornando a queda de dentes mais frequente. “Além disso, quem fuma tem mais chances de apresentar lesões que podem sofrer transformação maligna, podendo causar câncer”.

O cigarro também é capaz de diminuir a vascularização dos tecidos, minimizar a resposta imunológica, causar destruição da glândulas salivares e redução do fluxo salivar, aumentar radicais livres, gerar mutações no DNA das células, entre muitos outros problemas. “O paciente fica mais suscetível a várias infecções e inflamações, como a gengivite, a candidíase, apresenta ainda a cicatrização prejudicada e pode até mesmo desenvolver câncer de boca”.

LEIA TAMBÉM NOSSO INFORMATIVO SOBRE O CUIDADOS A CARDIOPATAS. 

EXISTE UMA SOLUÇÃO: PARAR DE FUMAR

Ninguém merece ou precisa correr o risco de ter essas doenças. Entretanto, não existe mágica para solucionar o problema. A melhor escolha é dizer adeus ao cigarro. Largando este vício o paciente tem mais chances de sucesso no tratamento da gengivite e nos demais problemas causados pelo fumo. “Sem a cessação do hábito, os resultados não serão os mesmos e o controle da doença se torna mais difícil”.

OS BENEFÍCIOS PARA QUEM LARGA O CIGARRO

Quem para de fumar também volta a ter um belo sorriso. A nicotina, além de viciar, acumula no esmalte dentário e estimula a produção de melanina na mucosa, causando manchas nos dentes, gengiva e na bochecha. O lado bom é que com o rompimento do hábito estes sinais podem desaparecer. Você só tem a ganhar.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), quem para de fumar consegue perceber os benefícios imediatos deste abandono. Após 20 minutos a pressão sanguínea e a pulsação normalizam e em duas horas não existe mais nenhuma nicotina no seu organismo. Isso só melhora ao longo dos anos. O que acha de começar a perceber essas novas sensações? Seu corpo vai agradecer com um belo sorriso.

Implante dentário melhora a mastigação e a autoestima

A ausência de dentes representa um verdadeiro sofrimento na vida de muitas pessoas. Essa condição compromete a saúde física, emocional e até o convívio social de algumas pessoas. Mesmo que a pessoa seja usuário de prótese móvel (dentadura), ainda pode haver dificuldade de se alimentar se esta prótese não estiver bem ajustada.

Em ambos os casos, os implantes dentários são perfeitamente capazes de devolver a função mastigatória, a autoestima e a estética do sorriso.

 

A saúde começa pela boca

A correta mastigação é uma etapa importante da boa alimentação. O ato de mastigar é uma preparação dos alimentos para a digestão e a ausência dos dentes atrapalha e muito esse processo. Além disso, ausência dos dentes dificulta a escolha e a variedade de diversos alimentos. O paciente opta, por exemplo, por alimentos mais fáceis de consumir (muitos deles ricos em gordura saturada e açúcar) e de deixa de ingerir nutrientes importantes para a saúde. A consequência disso é um déficit de vitaminas, minerais e fibras em sua dieta que pode desencadear outras doenças.

LEIA TAMBÉM Qual o melhor momento para se realizar a cirurgia de implante dentário?

O implante dentário completo com próteses fixas supre essa ausência porque substitui as raízes e as coroas dentárias perdidas com formas e resistência muito semelhantes aos dentes naturais. O paciente volta a ter segurança para mastigar bem os alimentos e tem um aumento no leque opções para o seu cardápio.

Devido aos avanços odontológicos, não há mais motivos para sentir constrangimento ou limitações pela falta de um ou mais dentes. AGENDE SUA CONSULTA COM UM DE NOSSOS ESPECIALISTAS EM IMPLANTE DENTÁRIO

implantes dentarios

 

Sorrir é a melhor maneira de mostrar que estamos bem. 

Além de problemas funcionais, a falta dos dentes causa constrangimento e limita o convívio social. Uma pessoa com esse tipo de problema tem dificuldade de executar os mais simples gestos, como falar e sorrir, podendo muitas vezes ficar reclusa e deprimida. Essa condição em muitos casos até atrapalha na vida profissional, já que ela pode ser um ponto negativo em uma entrevista de emprego.

O implante dentário completo também é indicado para solucionar essa condição, porque é visualmente muito parecido com os dentes naturais. O aspecto das coroas sobre implantes dentários é muito semelhante a um dente natural, tanto em tonalidade como em textura. Com um sorriso completo e harmônico, o paciente volta a ter segurança para sorrir, falar, namorar

Vinhos italianos feitos da uva Pinot Grigio

A uva Pinot Grigio é dividida em dois mundos completamente diferentes, e os consumidores norte-americanos lentamente começam a conhecer o melhor deles. Isso porque, especialmente nos Estados Unidos, há uma grande quantidade de PG de baixa qualidade no mercado, o que manchou a reputação das incríveis versões italianas do mesmo tipo de vinho.

Os bons Pinot Grigios vêm de vales nos pés dos alpes italianos, especialmente Friuli e Bolzano, e podem ser deliciosos e econômicos. São bem diferentes das versões fracas e aguadas, que pelo baixo preço são muito vendidas.

Karoline Walch, que com sua irmã Julia e sua mãe, Elena, opera a estimada vinícola Elena Walch, em Bolzano (Itália), conta que ficou inicialmente surpresa com a reputação norte-americana do Pinot Grigio. “Sempre que os sommeliers [especialmente nos Estados Unidos] me perguntam, com olhos críticos, sobre minha opinião em relação ao PG, eu me surpreendo e respondo que tive de viajar para descobrir que ele tinha uma má conotação em outro lugar”, conta.

Bollini Pinot Grigio Trentino 2015
Trentino, Itália
Preço médio nos EUA: US$ 16

Leve, fresco e limpo, belamente produzido, com equilíbrio agradável e toques finos da montanha. O melhor da produção de vinho italiana moderna.

“Em Bolzano, a Pinot Grigio é considerada uma variedade de uva de alto nível e é tratada de acordo. Baixos rendimentos, vinhedos montanhosos com boa drenagem em altitude média, dias mornos para desenvolver todos os seus aromas primários, noites frescas para reter sua acidez com solos ricos em minerais são pontos-chave para nós. Certamente, se plantados em condições planas, quentes e úmidas, com rendimento muito alto, pertencerão a uma categoria diferente, que não tem nada a ver com o que eu acredito que seja um Pinot Grigio. Esse pode ser o caso de qualquer variedade. Alguns produtores infelizmente descobriram que Pinot Grigio vende, independentemente do que estiver dentro da garrafa. Este é o verdadeiro problema!”

Ca Donini Grigio Delle Venezie 2016
Delle Venezie, Itália
Preço médio nos EUA: US$ 8

Excelente custo benefício. Peras brancas e maçãs verdes rígidas invadem o paladar com um toque cítrico no final. Perfeito para acompanhar marisco ou camarão na praia.

É possível ver essa diferença claramente em dois restaurantes: No The Leopard at des Artistes, em Nova York, são oferecidas cinco variedades superiores de Pinot Grigios. Já em Miami, são vendidas duas versões menos sofisticadas. Por isso, não basta se guiar pelo nome da uva, é preciso verificar o nome do produtor. O mesmo acontece com o Prosecco.

Mas a má reputação das versões populares de Pinot Grigio trazem uma vantagem, ao menos para os consumidores: vinhos de qualidade da mesma uva têm preços mais vantajosos se comparados aos brancos da moda, como o Chardonnay da Califórnia.

Conti Formentini Pinot Grigio 2015
Collio, Itália
Preço médio nos EUA: US$ 15

Um ano extra deu a este vinho toques suaves e uma redondeza que preenche a boca e o torna ideal para acompanhar peixes como salmão ou atum, frango e até porco.

Sedação consciente no tratamento odontológico garante mais qualidade de vida ao paciente

É dia de ir ao dentista. Só de pensar em ficar horas naquela cadeira ouvindo o motorzinho que arrepia até a espinha dá vontade de desistir. Mas antes de se arriscar a ter uma cárie ou precisar fazer um tratamento mais sério, saiba que os consultórios estão cada vez mais modernos e com soluções para amenizar o mal-estar dos procedimentos.

LEIA TAMBÉM: Implantes Dentários sob Sedação. Uma ótima opção para quem tem medo de dentista

Especialistas da Vasconcelos Odontologia dizem  que é muito comum receberem pessoas com medo ou trauma de dentista. “Muitas vezes esse medo é adquirido por causa de uma experiência ruim. O que importa é respeitarmos isso e desenvolvermos uma forma de deixar o paciente mais confortável, para que, além dos procedimentos em si, ele se sinta à vontade para frequentar o dentista, sempre pensando na odontologia preventiva. Para evitar desconforto, medo ou ansiedade, dispomos de sedação, monitorada e acompanhada por um médico anestesista. A cirurgia ambulatorial em implantodontia tornou-se uma prática comum em função do desenvolvimento de equipamentos sofisticados e adequadas técnicas cirúrgicas, além do surgimento de medicamentos de rápida eliminação e com efeitos colaterais mínimos. ”, informa Dr. Rafael Vasconcelos  Vasconcelos Odontologia.

Sedação consciente

O óxido nitroso é um produto que tem como objetivo eliminar progressivamente a ansiedade e o medo, aumentando a autoconfiança, além de causar uma sensação de relaxamento durante o procedimento clínico. Nesse método, o paciente inala o óxido nitroso por meio de uma máscara, permitindo que fique mais relaxado, sem que perca a consciência e possa reagir a estímulos. No final da consulta, o paciente fica cinco minutos somente no oxigênio e volta totalmente ao seu estado consciente e pode voltar às suas atividades normalmente

Os implantes são, hoje, a opção mais moderna, segura, longeva e confortável para a substituição de um ou mais dentes perdidos. AGENDE SUA CONSULTA

O paciente inala uma mistura de óxido nitroso e oxigênio, no máximo com 70% de óxido. A ação do óxido nitroso é no córtex cerebral, região que controla o medo, a autocensura e a ansiedade, levando ao relaxamento. “Eu costumo recomendar essa técnica, porque além de ter efeito imediato e eficiente, é considerado um dos procedimentos sedativos mais seguros na odontologia, podendo ser utilizado até em crianças”, indica o dentista.

 

Aparelho ortodôntico é uma alternativa para quem ronca

A apneia do sono é uma síndrome que desorganiza os movimentos respiratórios. A obesidade é o fator mais comum para o problema, mas o crescimento das as amígdalas, a obstrução nasal, malformações da mandíbula ou da faringe, tumores, ou falta de coordenação dos músculos respiratórios também estão entre as causas do ronco

O ronco, quando não está associado à apneia, e não é ocasional – gerado por cansaço, consumo de bebida alcoólica ou obstrução nasal, provocada por gripes e resfriados – é conseqüência de problemas dentários e desarmonias faciais.

LEIA TAMBÉM Conheça os benefícios que um aparelho ortodôntico pode trazer para sua saúde

O barulho é provocado quando há espaço reduzido ou obstruído para a passagem de ar nas vias respiratórias. Quem tem queixo pequeno (lembra do perfil do músico Noel Rosa?), tende a roncar. O barulho ocorre porque a musculatura da garganta, durante o sono, fica relaxada. O ar passa com força no palato mole (campainha) e o faz vibrar com uma intensidade maior.

APARELHO ORTODÔNTICO PODE SER A SOLUÇÃO

Não é um tratamento provisório, mas um aparelho ortodôntico que elimina o barulho, corrige o sintoma e deve ser usado todas as noites. Sem ele, o paciente volta a roncar.

Outra forma mais agressiva e permanente é o procedimento cirúrgico. Para isso, é necessário identificar o local da obstrução da via área – nariz ou garganta – e corrigi-la.

 

O uso de aparelhos ortodônticos é uma alternativa de prevenção eficaz, principalmente em crianças. Nelas, o resultado é ainda mais eficiente, a melhora é de 70%.

Na menopausa, elas roncam mais

O ronco é mais comum nos homens. Os índices só ficam equilibrados quando a mulher atinge a menopausa. O especialista explica que nesse período, no organismo feminino, ocorre uma substituição de tecido muscular por gorduroso. Esse processo também acontece na garganta, obstruindo a passagem do ar.

É uma mudança hormonal, fisiológica. Aumenta o diâmetro do pescoço, a gordura acumulada fecha o espaço da garganta e é preciso respirar com mais força, fazendo vibrar e roncar mais.

 

A importância da ortodontia preventiva na infância

Que pai ou mãe não chega a uma consulta odontológica com dúvidas sobre a frequência com que os seus filhos devem visitar o dentista e sobre o momento em que devem iniciar um tratamento na boca das crianças.

LEIA TAMBÉM Ortodontia Preventiva pode evitar dentes tortos ou problemas de má oclusão

Segundo especialistas em Ortodontia e Odontopediatria da Vasconcelos Odontologia, tudo vai depender do problema a ser tratado e do tipo de tratamento ortodôntico que a criança precisa.

Dentre as opções oferecidas para as crianças está a ortodontia preventiva, que pode ser aplicada entre os 7 e 11 anos e que que serve para garantir o crescimento e o desenvolvimento adequado das estruturas que formam a boca, especialmente o osso maxilar e mandíbula.

 

Entre as ações planejadas para o desenvolvimento correto da mandíbula, o ortodontista pode fazer expansão do maxilar, estimular ou restringir o crescimento mandibular, deixando a correção do posicionamento dental exclusivamente para quando todos os dentes permanentes já tiverem eclodido.

Ortodontia Preventiva na Vasconcelos Odontologia: para a prevenção da má-oclusão na dentição decídua e mista, ou seja, impedir que a má-oclusão se instale. AGENDE SUA CONSULTA

Para todos os pais que têm dúvidas sobre a necessidade deste tipo de tratamento nos seus filhos, o mais importante é encontrar profissionais experientes, que farão um estudo abrangente sobre o desenvolvimento bucal dos pequenos e irão recomendar o melhor caminho para que eles cresçam com um sorriso perfeito.

Conheça alguns dos melhores campos golfe do Brasil

Uma partida de golfe, dizem os apaixonados pelo esporte, é muito mais do que completar os 18 buracos do campo com o menor número de tacadas. O jogo exige técnica, concentração, superação. O jogador depende das boas condições de seu corpo e de sua mente. Depende, também, das perfeitas condições do campo.

Apesar de pouco explorado e divulgado no Brasil, a Confederação Brasileira de Golfe (CBG) calcula que existam 25 mil jogadores à procura de bons lugares para praticar o esporte em competições ou a lazer. Para eleger os melhores campos do país jogadores profissionais e amadores e entusiastas da modalidade dão sua opinião sobre suas preferências.

LEIA TAMBÉM Conheça os benefícios de jogar Golfe para a saúde

Em primeiro lugar, é preciso analisar o que torna um campo bom ou ruim – e isso pode ter um forte componente pessoal. “Eu gosto dos estreitos, que exigem concentração máxima”, diz o piloto Rubens Barrichello, acostumado com lugares estreitos que exigem concentração máxima – o cockpit dos carros de corrida. Rubinho começou a jogar em 2000, em Algarve (Portugal), onde tem uma casa, por influência dos sogros, também praticantes do esporte. Viciou-se. Hoje pratica três vezes por semana.

Para a paulista Victoria Lovelady, de 30 anos, um bom campo é definido “pela arquitetura, pelo desenho técnico e pela qualidade da grama”. Victoria, que está competindo no Ladies European Tour, disputou a Olimpíada de 2016, ano em que o golfe voltou aos Jogos após um hiato de 112 anos (foi disputado em 1900, em Paris, e 1904, em Saint Louis).

 O jogo promove a confraternização e um imenso networking, onde negócios podem ser fechados

Giordano Junqueira, 27 anos, jogador do Ipê Golf Club de Ribeirão Preto (SP), diz que o que mais importa em um campo é o “resultado de jogo” que ele oferece.

Para o engenheiro Pedro da Costa Lima, sócio do São Paulo Golf Club e praticante desde os 5 anos de idade, “um bom campo é aquele que permite que as pessoas joguem, que não tenha um nível de dificuldade desmotivador”. O golfe, segundo Lima, é um esporte democrático que “promove a confraternização entre pessoas de diferentes faixas etárias”.

A imagem hollywoodiana de que golfe e business andam juntos tem fundamento? Euclides Gusi, 60, presidente da CBG, analisa: “O networking que o golfe proporciona é imenso, e muita gente tem interesse em fazer negócios. Em um jogo de quatro horas e meia, as pessoas podem se aproximar para esse fim”. E é justamente para promover essas aproximações que Jair Junqueira, pai de Giordano, organiza o torneio Ribeirão Sobe – que na última edição (em dezembro de 2016) teve como principais patrocinadores o Itaú BBA, a empresa de segurança Gocil e a Cosan. Seja para competir, seja para se divertir ou para fechar negócios, veja a seguir os melhores campos para suas próximas tacadas.

Santapazienza Golf Club
(Itatiba, São Paulo)

É uma propriedade particular, onde só jogam convidados. É o primeiro colocado do ranking Top 100 Golf Courses do Brasil, que elege todos os anos os melhores campos por país. Foi projetado por Tom Fazio, arquiteto americano que acumula a maior quantidade de prêmios de excelência em campos dos EUA. Uma fase da Faldo Series, campeonato mundial para jovens de 12 a 21 anos, foi realizada no Santapazienza em 2015 – e vai se repetir em junho de 2017.

Quinta da Baroneza Golfe Clube
(São Paulo)

Dentro do condomínio homônimo, este campo tem mais de 800 mil metros quadrados de área. O projeto, inaugurado em 2001, é do arquiteto americano Dan Blankenship, que apostou no estilo links – o mais antigo percurso de golfe, de origem escocesa. Em território nacional, é um dos preferidos de Rubens Barrichello e do fundador da empresa de segurança Gocil, Washington Cinel.

A VO Experience é uma modalidade você terá uma experiência em odontologia intensiva, podendo realizar o seu tratamento no menor tempo possível, a partir de um plano de tratamento otimizado e com uma equipe de profissionais trabalhando conjuntamente no seu caso de forma totalmente personalizada. É uma modalidade ideal para aqueles que fazem viagens constantes, são de outras cidades, Estados ou países – o que também é conhecido como turismo odontológico – ou, ainda, para aqueles pacientes que possuem quadros de grave ansiedade em relação aos tratamentos odontológicos.

 AGENDE SUA CONSULTA AQUI

 

Campo Olímpico
(Rio de Janeiro)

Inaugurado para a Olimpíada de 2016. O projeto de Gil Hansen foi concebido no estilo “links”, sem árvores e com muitas áreas de transição. O circuito fica próximo ao mar, o que faz o vento entrar no jogo e aumentar o desafio. Euclides Gusi, presidente da CBG, explica que, por ser um campo público, o acesso é livre mediante o pagamento da green fee, de R$ 410. Para os golfistas já filiados a algum clube brasileiro, o valor cai para R$ 210.

Gávea Golf & Country Club
(Rio de Janeiro)

Perto da Pedra da Gávea, com vista para a praia de São Conrado. Mario Gonzales, considerado o melhor golfista da história do país, foi head pro (administrador do campo) do clube entre 1949 e 1984. Hoje está aposentado, mas ainda é presença frequente no Gávea – o que é considerado um “deleite” por frequentadores; tem até um campeonato em sua homenagem.

São Fernando Golf Club
(Cotia, São Paulo)

Inaugurado em 1958. Segundo a atleta olímpica Victoria Lovelady, o São Fernando destaca-se por seu bom desenho técnico e nível de dificuldade. Por muito tempo foi considerado o melhor do país. O green fee, taxa cobrada para os não sócios, começa em R$ 307.

São Paulo Golf Club
(São Paulo)

O SPGC foi fundado em 1901 como São Paulo Country Club. Ficava perto da avenida Paulista. Em 1913 foi transferido para seu endereço atual, no bairro de Santo Amaro. O projeto arquitetônico inicial é do aclamado Stanley Thompson (1893-1953), mas, devido à necessidade de constantes reformas, ele perdeu algumas de suas características originais – situação que o clube tenta agora reverter.

Terravista Golf Course
(Trancoso, Bahia)

Todos os jogadores entrevistados ressaltaram a beleza do lugar, nas falésias de Trancoso, distrito de Porto Seguro (veja na foto que abre esta reportagem). O investimento na construção foi de US$ 4 milhões. Quatro dos 18 buracos têm grau de dificuldade maior por estarem à beira-mar e sofrerem maior influência do vento. Iniciantes podem ter aulas (R$ 120 por 50 minutos) com o head pro Anísio Santos. Ao longo do percurso existem algumas áreas de proteção ambiental (resquícios de Mata Atlântica). O projeto, a exemplo do Quinta da Baroneza, é de Dan Blankenship. O signature hole, buraco mais famoso do campo, é o 14. Ele fica sobre uma falésia, e a bandeira fica em outra; para acertar o alvo, deve-se bater a bola de uma falésia para outra com grande precisão, enfrentando os fortes ventos. Hole in one para poucos e bons.

ODONTOLOGIA PARA CRIANÇAS A MAIS NOVA ESPECIALIDADE NA VASCONCELOS ODONTOLOGIA

 

 

Se você tem filhos, certamente já os levou a uma consulta com o odontopediatra para cuidados e prevenções na saúde bucal. Mas será que você conhece tudo sobre essa especialidade? O profissional dessa área não só ajuda a tirar as dúvidas sobre a troca dos dentes de leite e como realizar a escovação correta, mas pode fazer um acompanhamento muito mais profundo, inclusive antes mesmo do nascimento da criança. Você sabia disso?

UMA ESPECIALIDADE QUE AGREGA VÁRIAS IDADES

Engana-se quem pensa que a odontopediatria cuida apenas da saúde bucal infantil. Apesar de ser o foco da área, não podemos esquecer que, antes de se tornar especialista, o dentista estuda todos os campos da odontologia quando se forma cirurgião. Por isso, o profissional consegue atender pacientes de outras idades. Não há necessidade, por exemplo, de um adolescente migrar para outro dentista. Odontopediatras estudam o desenvolvimento bucal desde a barriga da mãe explica Dra. Fávia Odontopediatra da Vasconcelos Odontologia. Os odontopediatras também são capazes de acompanhar as mudanças que acontecem ao longo dos anos, tanto fisiológicas quanto emocionais, sendo o profissional mais capacitado para atender essa faixa etária.

A PRIMEIRA CONSULTA E VISITAS REGULARES

A odontopediatra acredita que todo o tratamento da saúde bucal precisa começar quando a criança ainda está na barriga da mãe. Defendemos muito a importância do pré-natal odontológico em que a gestante vai cuidar da sua saúde bucal, se informar sobre as mudanças que podem acontecer na sua boca e aprender como cuidar da higiene do seu bebê.

Quando não há esse acompanhamento, é importante que a primeira consulta aconteça antes dos seis meses de idade, para que a mãe possa receber toda orientação a tempo de colocá-la em prática. Como a criança está em constante desenvolvimento, a especialista sugere uma revisão a cada 6 meses ou no máximo 1 ano para avaliarmos de perto os problemas pertinentes de cada momento e intervir na hora certa.

ODONTOPEDIATRIA. A MAIS NOVA ESPECIALIDADE DA VASCONCELOS ODONTOLOGIA. AGENDE SUA CONSULTA AQUI

Vasconcelos Odontologia

A ODONTOPEDIATRIA É O FUTURO DO SORRISO

A infância é uma fase muito importante da vida e que precisa de atenção em todos os sentidos, até mesmo na saúde bucal. A odontopediatria tem um grande valor nessa missão. Acompanhamos de perto o crescimento das crianças e podemos ajudá-las a criar e manter bons hábitos , desmistificando a ideia de que o dentista é uma coisa assustadora e contribuindo assim para adultos mais conscientes.

EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NO ATENDIMENTO A CRIANÇA

Hoje a Vasconcelos Odontologia possui uma equipe multidisciplinar para o atendimento a crianças e adolescentes. Após o atendimento da equipe de Odontopediatria caso haja necessidade o paciente é encaminhado para um de nossos especialistas como Ortodontista entre outros.

Plástica Gengival, a cirurgia de correção pra quem tem gengiva alta

A beleza do sorriso não está apenas nos dentes. Sua harmonia depende dos diversos elementos que o compõem, como a gengiva, os lábios e as características faciais de cada paciente. Os contornos gengivais, bem como suas características de coloração e textura, merecem cuidadosa atenção, visto que são imprescindíveis para o equilíbrio do sorriso. Dessa forma, podemos atuar nas gengivas para aprimorar ainda mais a estética bucal.

Esse tipo de procedimento é composto, principalmente, por dois tipos de cirurgias. O primeiro visa à criação de tecido epitelial adequado ao controle de placa bacteriana ao redor do implante e o segundo tipo de cirurgia tem como objetivo o aprimoramento estético junto à prótese definitiva, aumentando o volume de tecido mole perdido devido à ausência dentária.

LEIA TAMBÉM Como ter dentes e gengivas saudáveis com bons hábitos alimentares

O problema da gengiva alta pode ser em níveis mais amenos ou bem graves e pode ter diversas causas:

  • encurtamento do lábio superior;
  • fatores congênitos ou adquiridos, como:
  • hiperplasia gengival por medicamentos, placa bacteriana ou aparelho ortodôntico;
  • hereditariedade;
  • hiperatividade do músculo elevador do lábio superior;
  • erupção dentária alterada;
  • crescimento vertical da maxila;
  • disfunções hormonais ou
  • causas mistas, ou seja, mais de uma causa juntas. 

    A periodontia oferece cirurgias diversas para corrigir, minimizar a aparência ou disfarçar as gengivas salientes. É a Cirurgia Plástica Periodontal, que deve ser escolhida conforme o caso, após um exame minuncioso, em que são avaliadas as características físicas, pontos faciais de referência, situação da saúde gengival, radiografias e fotografias das proporções entre altura e largura de cada dente. Esses exames são feitos de várias formas, com os lábios em repouso ou com um sorriso forçado.

    A identificação da origem do problema é fundamental para a escolha do tipo de procedimento a ser realizado.

    A chave para a prevenção e a recuperação da saúde é a informação. Pensando nisso, desenvolvemos informativos periodicamente com alguns dos assuntos que consideramos essenciais em odontologia. Neles, buscamos trazer informações detalhadas e com comprovação clínica e científica, de modo que você obtenha esclarecimentos de uma fonte confiável e possa tirar todas as suas dúvidas sobre saúde e tratamentos odontológicos. Confira este material desenvolvido especialmente para você.

ACESSE E CONHEÇA MAIS COMO TER GENGIVAS SAUDÁVEIS
ACESSE E CONHEÇA MAIS COMO TER GENGIVAS SAUDÁVEIS

 

  •  

    O procedimento para retirada do excesso de gengiva chama-se gengivoplastia e é relativamente simples. A anestesia é local e a cicatrização leva de 7 a 14 dias. Observados todos os cuidados pré e pós-operatórios, quando  o paciente deve colaborar para o sucesso dos resultados.

    Quando a origem do problema gengival é esquelético, ou seja, o paciente apresenta crescimento do maxilar superior e a exposição gengival é maior do que 8mm, a indicação é que um cirurgião bucomaxilofacial realize uma cirurgia ortognática, em que parte do osso é removido e reposicionado.

  • Consulte sempre seu dentista