Viagem – Saindo do comum, mas com luxo

Uma das maiores tendências no turismo de luxo é fazer diferente e apostar tanto em novos destinos quanto em experiências inusitadas. Bons exemplos disso são: Conhecer restaurantes subqaquáticos, se hospedar em hotéis de gelo ou até em iglus, hotéis com serviços personalizados para cada hóspede, viajar pra o Alasca ou passar alguns dias em um castelo de verdade pela Europa.

A preferência da vez é pelo frio!

Destinos com o clima frio tem sido a escolha principal dos viajantes de luxo. Unindo a tendência de sair do comum, os Cruzeiros para o Alasca têm feito muito sucesso, Islândia também é um dos lugares mais cobiçados da vez, Canadá no inverno e até a Antártica está ganhando vez. Sem contar nas inúmeras estações de ski pelo mundo como Vail, Valle Nevado, Aspen e Chamonix por exemplo.

Não focar só nos pontos turísticos

Visitar os pontos turísticos de um lugar, principalmente quando ele é desconhecido, é mais do que comum e deve ser feito com toda certeza. Porém, a tendência maior para 2018 é fazer novas descobertas em seu destino e fazer um caminho diferente do que guias e sites de viagens indicam, ou seja, tentar sair um pouco da visão de viajante e entrar um pouco no dia a dia dos nativos. Conhecer restaurantes frequentados por locais, degustar vinhos da região, provar a gastronomia rotineira, aprender o idioma e se aprofundar na vida tradicional de moradores são ótimos exemplos para isso. Adoro fazer isso, viver como uma local!

Vá para a África!

Além da África do Sul, um destino muito procurado em 2017 também, o continente africano em geral será explorado mais esse ano. Isso por quê esse é um roteiro que também abrange muito a tendência “saindo do comum”. Por lá as experiências são inusitadas em diversos países, como por exemplo: Se hospedar em hotéis à céu aberto em desertos – O Resort Tsawalu Kalahari na África do Sul é uma ótima sugestão para isso -, interagir com animais selvagens nos inúmeros safarias que a região oferece, conhecer um dos diversos resorts no deserto como o Wolwedans Dunes Lodgee na Namíbia e até ir de encontro com gorilas em um trekking feito no Parque Nacional de Virunga em Ruanda.

Viagem em família

Reunir a família toda será uma das grandes tendências de viagens de luxo em 2018, tanto que até ganhou um nome para esse nicho: Turismo Multigeracional – Quando diversas gerações da mesma família se reúnem para embarcar em uma experiência juntos. Exemplos disso são: os cruzeiros de luxo, alugar casas em vilas da Europa ou até reunir todos para passar uma temporada em uma ilha exclusiva como em Zanzibar, na Tanzânia por exemplo.

Como não ser sedentário trabalhando remotamente

não ser sedentário trabalhando remotamente

O trabalho remoto continua ganhando popularidade: cerca de 56% dos profissionais norte-americanos já operam em sistema de home office. E esse número provavelmente crescerá nos próximos anos, à medida que mais e mais pessoas optarem pela condição de freelancers.

Embora trabalhar em casa ofereça inúmeros benefícios, também contribui para a adoção de um estilo de vida sedentário. Quando o trajeto passa a ser do quarto para a sala ou escritório, é preciso incluir alguns movimentos extras e exercícios físicos à rotina.

não ser sedentário trabalhando remotamente

1. Mexa-se a cada 90 minutos

As estatísticas mostram que as pessoas devem se mover a cada 90 minutos para mudar seus níveis de energia. Gerenciar a energia é a coisa mais importante para manter sua mente fresca e produtiva. Levante-se e caminhe, suba as escadas, vá até um café para fazer uma pausa, almoce, tenha amigos que o encontrem na academia logo cedo, à tarde ou depois do trabalho.

não ser sedentário trabalhando remotamente

2. Compre uma mesa ajustável

Uma das principais causas de doenças e lesões é a ergonomia inadequada combinada ao fato de passar o dia inteiro sentado. Certifique-se de que sua cadeira e mesa permitam a postura correta e respeitem a mecânica do corpo. A melhor estratégia é ter uma mesa ajustável para criar o hábito de adequá-la à altura do seu pé pelo menos algumas vezes por dia. Se você esquecer de fazer isso, basta colocar um despertador, que também irá lembrá-lo de se movimentar.

não ser sedentário trabalhando remotamente

3. Organize seu calendário

Uma das vantagens de trabalhar de casa como freelancer é poder de controlar o próprio calendário. Reservar tempo para certas atividades, como a academia, o café com os colegas e o desenvolvimento profissional fora do escritório, pode proporcionar alívio do isolamento de se trabalhar sozinho. Além disso, mantém o corpo em movimento. É importante que essas atividades não sejam agendadas.

não ser sedentário trabalhando remotamente

Faça exercícios pela manhã

Trabalhar em casa pode acabar postergando o início do seu dia. Para que isso não aconteça, é importante criar uma rotina matinal. Eu recomendo começar o dia com exercícios, de preferência em uma academia ou um local fora de casa. Inicie sua rotina com o compromisso de uma sessão de exercícios e, em seguida, note o aumento de sua produtividade com energia renovada.

não ser sedentário trabalhando remotamente

5. Trabalhe em um ambiente compartilhado

Pode ser solitário trabalhar como empreendedor solo ou freelancer. Faça parte de um coworking e divida espaço com outros profissionais criativos e ousados. Há tantas opções para escolher atualmente, que é possível encontrar um espaço em qualquer faixa de preço. Esses lugares também oferecem incríveis oportunidades de networking

não ser sedentário trabalhando remotamente

6. Saia de casa por cinco minutos

Como freelancer, quando cada momento conta, fazer uma pausa pode ser um desperdício. Mas o seu bem-estar físico é um elemento fundamental para o sucesso. Fazer uma pausa de cinco minutos para dar uma saidinha ao ar livre diminui o estresse, aumenta o foco e melhora o humor. Três pausas por dia consomem menos de 1% do seu tempo e oferecem benefícios significativos, por isso, vá em frente e saia de casa um pouco

Prótese dentária móvel ou fixa: qual é a ideal para você.

A diferença entre prótese dentária móvel ou fixa pode confundir os pacientes em tratamento com relação às indicações, vantagens e problemas de cada técnica. Que tal entender um pouco mais sobre o assunto através das discas de um especialista no assunto?

 

Prótese dentária móvel ou fixa, as diferenças vão muito além do preço do tratamento.

O tratamento com próteses dentárias difere de outros procedimentos odontológicos por exigir do paciente escolhas – quase sempre, rápidas – envolvendo técnicas e materiais. Entretanto, é a seleção entre prótese dentária móvel ou fixa a que mais pode confundir pelas diferenças no preço, durabilidade e, principalmente, nos resultados estéticos e de conforto.

A seleção entre dispositivos protéticos fixos ou móveis deveria levar em consideração apenas a funcionalidade e resultados estéticos. – mas não é bem assim que as coisas acontecem. Fatores adversos como custos, tempo de tratamento e fobias a procedimentos cirúrgicos ainda pesam na hora de selecionar a técnica e material mais apropriados. Um problema que poder solucionado com informações mais aprofundadas sobre o assunto.

Prótese dentária móvel ou fixa

Implantes dentários podem eliminar desgastes dentários na técnica fixa.

Existem duas técnicas para fixar próteses dentárias nos tratamentos com prótese dentária fixa: sobre dentes naturais ou sobre implantes ósseointegrados. Na primeira, mais antiga e utilizada, dá-se mediante desgastes dentários ou instalação de pinos protéticos em dentes vizinhos à área a ser reabilitada. Em algumas situações, esta pode ser a técnica ideal, principalmente se o procedimento em andamento é a troca de pônticos ou coroas dentárias em porcelana já existentes.

 

Uma das vantagens do tratamento com prótese dentária fixa sobre implantes é dispensar o uso de dentes naturais como suporte para os dispositivos protéticos. Além de evitar desgastes preparatórios e instalação de pinos protéticos, a técnia pode facilitar a higienização dos dentes em muitas situações, como nos procedimentos com pônticos dentários múltiplos.

Diferenças nos resultados estéticos são cada vez mais discrepantes.

A cada ano, novos materiais para tratamentos com próteses dentárias fixas são introduzidos para melhorar ainda mais a durabilidade e resultados estéticos. São o caso, por exemplo, das novas porcelanas odontológicas e da zircônia, esta um óxido de alta resistência e estética com múltiplas indicações para tratamentos com próteses dentárias livres de metal.

Os resultados estéticos das próteses dentárias fixas em porcelana atuais são tão elevados que pode ser impossíveis de distinguir até mesmo das lentes de contato dental e facetas laminadas – referências em técnicas para transformações de impacto. E como consequência destes avanços, as diferenças de qualidade entre as técnicas com prótese dentária móvel ou fixa são cada vez maiores. É preciso, portanto, colocar na balança todos os prós e contras para que a seleção de técnica seja a mais apropriada.

 

Transformações de impacto do sorriso já estão disponíveis na técnica fixa.

Transformações de impacto do sorriso com lentes de contato dental e facetas laminadas são famosas pelas modificações marcantes em dentes de artistas e famosos. Um dos segredos desta técnica está na porcelana (cerâmica) utilizada: além de resistente, traz cores e transparências naturais e deslumbrantes. A evolução mais recente destas cerâmicas é a possibilidade para utilizá-las em próteses dentárias fixas – o que  mudou tudo nas reabilitações orais complexas.

As novas cerâmicas feldspáticas reforçadas ou sobre zircônia, aplicadas seja na técnica individual (coroa dentária), unida em pônticos para reabilitar áreas com alguns dentes ausentes ou mesmo para reabilitar arcadas totalmente desdentadas (prótese dentária tipo protocolo), trazem resultados estéticos de impacto semelhantes a laminados cerâmicos como lentes de contato dental e facetas laminadas. Uma revolução em termos de harmonia do sorriso para dispositivos protéticos fixos.

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Situações em que a prótese móvel ainda vale a pena.

A substituição de dentaduras e pontes móveis pela técnica fixa é a melhor recomendação para resultados mais estéticos e confortáveis. Entretanto, quando o preço é o fator que mais pesa na hora de decidir entre prótese dentária móvel ou fixa, é preciso estar atento a alguns detalhes para evitar problemas mais sérios no futuro como perdas dentárias, reabsorção óssea severa e limitações estéticas severas.

Conheça algumas condições anatômicas, fisiológicas e psicológicas necessárias para o uso de prótese dentária móvel sem riscos potenciais à saúde do seu portador:

 

Dentaduras (prótese total):

 ✓ baixa expectativa para resultados estéticos;

✓ osso em contato com as bases acrílicas em altura e largura suficientes;

✓ gengivas (e mucosas) resistentes e livres de hiperplasias traumáticas (crescimento excessivo);

✓ força e motricidade favorável dos músculos da mastigação;

Ponte móvel (prótese parcial removível):

✓ baixa expectativa para resultados estéticos;

✓ dentes de apoio para grampos em excelente estado periodontal;

✓ força e motricidade favorável dos músculos da mastigação;

✓ presença de dentes posteriores para apoio dos grampos;

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Quando a prótese dentária fixa é o tratamento ideal.

A escolha entre prótese dentária móvel ou fixa é, na maioria das vezes, de natureza financeira. De fato, os custos envolvidos em procedimentos fixos são mais elevados, principalmente os que reabilitam áreas com perdas dentárias através de enxertos ósseos e implantes dentários.

A opção pelo tratamento fixo, quando o preço não é o fator que mais conta, é a primeira opção para a quase totalidade dos procedimentos com próteses dentárias, seja ela fixa ou móvel. Veja algumas condições em que a prótese dentária fixa é a escolha ideal mesmo levando-se em contao os custos mais elevados da técnica:

✓ próteses fixas unitárias (coroas ou jaquetas dentárias);

✓ expectativa elevada para resultados estéticos;

✓ procedimentos protéticos combinados com lentes de contato dental e facetas laminadas;

✓ gengivas e dentes de suporte inadequados para dispositivos protéticos móveis;

✓ fobias a procedimentos cirúrgicos e implantodônticos;

✓ limitações motoras para fonação e mastigação com dispositivos móveis.

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Trocando próteses removíveis por fixas.

Trocar dentaduras e pontes móveis por próteses dentárias fixas sobre implantes ou dentes naturais é um procedimento que requer cuidados. O primeiro deles é preparar-se adequadamente para a fase com provisórios, um parte essencial do tratamento que pode levar a desconfortos mastigatórios – principalmente durante a substituição de dentaduras.

O tempo de tratamento para substituir próteses dentárias removíveis por implantes dentários é sensível ao uso de enxertos e implantes dentários – o que, em determinadas condições, requer entre 4 a 8 meses até que tudo esteja pronto.

Já os procedimentos que substituem dispositivos móveis por fixos, o tempo de tratamento dá-se entre 3 a 12 semanas, dependendo da extensão da reabilitação oral planejada – características que impactam na seleção entre a prótese dentária móvel ou fixa.

 

Próteses fixas: diversos materiais para resultados mais estéticos e duráveis.

As alternativas técnicas e novos materiais para procedimentos com próteses dentárias fixas aumentam a cada dia, trazendo soluções cada vez mais personalizadas. Conheça os principais tipos de materiais e combinações técnicas disponíveis na construção de dispositivos protéticos fixos:

Prótese dentária metalocerâmica

Além de mais antiga, é a técnica mais utilizada para recuperar dentes cariados ou fraturados ou reabilitar áreas com dentes perdidos. Fixa sobre dentes naturais ou implantes dentários, o dispositivo é construído com uma camada de porcelana odontológica que reveste um núcleo estrutural metálico. As vantagens ficam por conta do custo mais baixo do tratamento; já as desvantagens devem-se a problemas como alergias inflamatórias ao metal, gengivas acinzentadas e resultados estéticos limitados.

Prótese dentária em porcelana pura

Utilizando cerâmicas odontológicas modificadas que dispensam estruturas internas de reforço como metais ou zircônia, a prótese dentária em porcelana pura é indicada nas transformações de impacto do sorriso em procedimentos que combinam múltiplas técnicas como lentes de contato dental, facetas laminadas e coroas em porcelana pura.

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Prótese dentária em porcelana sobre zircônia

A zircônia é um óxido de alta resistência desenvolvido para eliminar o metal presente em próteses dentárias fixas convencionais. E os resultados são excelentes: além de mais estética, a técnica elimina problemas como o acinzentamento de gengivas ou a necessidade para trocas imediatas em dentes com retração gengival associada à borda de dispositivos protéticos fixos. Esta técnica também está disponível para tratamento com dentadura fixa sobre implantes dentários.

Prótese dentária em zircônia pura

Técnica recente, a prótese dentária em zircônia é uma alternativa mais para dispositivos protéticos sem metal. Apesar da elevadíssima durabilidade e baixos custos, os dispositivos protéticos entregam estética final inferior às técnicas com porcelana pura ou porcelana sobre zircônia.

 

Prótese dentária móvel ou fixa:

Próteses móveis: opções de materiais e fixação.

A seleção entre prótese dentária móvel ou fixa requer atenção com relação às técnicas para suporte dos dispositivos protéticos. Isso porque, na técnica removível, o suporte dá-se sobre dentes e gengivas que podem ser prejudicados ao longo dos anos. Conheça as técnicas mais utilizadas no tratamento com prótese dentária removível, de acordo com a retenção ou tipo de material utilizado na sua confecção:

Dentadura (prótese total)

Técnica tradicional para reabilitar arcadas com todos os dentes perdidos, traz limitações estéticas e mastigatórias que aumentam com o passar dos anos. As trocas deste tipo de dispositivo devem ser feitas a cada quatro anos para evitar o aumento na velocidade da reabsorção do osso em contato com as bases da prótese total.

Prótese parcial removível (ponte móvel)

Assim como a dentadura, o tratamento com prótese dentária removível é uma técnica antiga e ainda muito utilizada. Os problemas ficam por conta da estética limitada pelas armações e grampos metálicos e riscos para danos irreversíveis nos dentes que suportam o dispositivo, como fraturas e extrações dentárias.

Prótese removível com grampo estético

Confeccionada com material flexível, é a técnica ideal para eliminar problemas estéticos decorrentes dos grampos metálicos presos em dentes em áreas estéticas. Ao contrário do que se imagina, este tipo de dispositivo protético não é mais confortável ou durável do que a técnica tradicional com metal. Outro ponto que requer atenção é o maior tempo de adaptação a este tipo de dispositivo comparado às técnicas tradicionais.

Prótese removível com encaixe

São dois os objetivos desta técnica: eliminar grampos metálicos e melhorar a retenção e eficiência mastigatória das próteses removíveis. Indicada para arcadas cujos dentes remanescentes estão localizados na região anterior, tem preço mais elevado pela necessidade de tratamento combinado com coroas protéticas fixas em porcelana.

 

Prótese removível flexível

A prótese dentária flexível é semelhante ao dispositivo com grampos estéticos. As diferenças ficam mesmo é por conta dos materiais mais flexíveis. Já as desvantagens e limitações são semelhantes às próteses com grampos estéticos – motivo que requer cautela na indicação deste tipo de dispositivo protético móvel.

 

 

 

Sangramento na gengiva pode ser a causa de problemas que vão além de uma simples gengivite

O sangramento na gengiva pode ser a causa de problemas que vão muito além da simples gengivite e requerem tratamentos urgentes e especializados.

São várias as doenças, distúrbios e síndromes que têm o sangramento gengival como manifestação oral do problema. E em algumas delas, como é o caso da leucemia, a deficiência da higiene oral é até mesmo um fator secundário para o problema de hemorragia nas gengivas e mucosas. Mas 5 delas, pelos riscos elevados para perdas dentárias rápidas ou aparecimento de sequelas como a retração gengival, exigem a procura imediata por ser serviço odontológico especializado – e que estão apresentadas, abaixo, de forma resumida e didática.

5 situações onde o sangramento na gengiva exigem tratamentos urgentíssimos.

Das doenças que acontecem na cavidade oral e provocam o sangramento na gengiva, as mais comuns são a gengivite e periodontite, infecções crônicas causadas pela higiene oral deficiente (remoção de placa bacteriana) e que, apesar da simplicidade da terapia, estão, junto a cárie dental, entre as maiores responsáveis por perdas dentárias. Entretanto, algumas situações nem tão comuns – mas nem tão raras assim – exigem consultas odontológica urgentíssimas dado o risco elevado para perdas dentárias e ou agravamento da saúde geral.

sangramentos nas gengivas que exigem tratamentos urgentíssimos

1. Leucemia

A leucemia é uma desordem hematológica maligna que, com alguma fequência, apresenta manifestações bucais – principalmente quando a doença apresenta-se na sua forma mais aguda. Gengivas inchadas e que crescem sobrem os dentes de maneira rápida e indolor são sinais clínicos comuns associados ao sangramento gengival característico. A dor oral é outro achado clínico frequente.

O tratamento das manifestações orais da doença consiste na remoção sistemática, assistida pelo dentista, da placa bacteriana como fonte de bacteremia – inclusive durante o período de quimioterapia. Antibióticos e agentes químicos para controle da placa bacteriana são auxiliares terapêuticos frequentes. A hemorragia crônica das gengivas, assim como o inchaço, tendem a desaparecer em semanas, necessitando, muitas vezes, de cirurgias gengivais para reconstrução estética e funcional da arquitetura gengival. Perdas dentárias, por outro lado, são pouco frequentes nesses indivíduos.

 

2. Periodontite agressiva

Um tipo de periodontite rara e que na maioria das vezes manifesta-se em indivíduos muito jovens traz elevados riscos para perdas dentárias e recessões gengivais se não for rapidamente tratada. É a periodontite agressiva, uma doença periodontal de ação intensa e rápida cuja destruição do osso que suporta raízes e gengivas aparece de forma súbita e requer tratamento odontológico imediato.

 

É frequente a confusão entre doenças periodontais crônicas e a periodontite agressiva, situação que pode causar muita ansiedade e medo para perdas dentárias. Felizmente, a periodontite de progressão é rara, acometendo pacientes abaixo dos 20 anos ou acima dos 60 anos. O tratamento envolve controle severo de placa bacteriana e uso de antibióticos e produtos químicos para controle de placa e sangramento gengival.

 

sangramentos nas gengivas que exigem tratamentos urgentíssimos

3. Doenças gengivais necrosantes

Debilitante e de rápida progressão, as doenças gengivais necrosantes que acomentem os tecidos periodontais apresentam os mesmos sinais clínicos comuns às doenças crônicas da gengiva – gengivite e periodontite – como o inchaço, vermelhidão e hemorragia das gengivas. Nas condições necrosantes, entretanto, o sangramento na gengiva aparece de forma espontânea e intensa, e o risco para reabsorções ósseas e retrações da gengiva são mais elevadas.

 

A causa para o problema é o acúmulo de placa bacteriana, mas com manifestações clínicas exageradas e influenciadas por doenças sistêmicas como a infecção pelo HIV e desnutrição – além de outros fatores que interferem na resposta normal do processo de destruição das gengivas e ossos, como o estresse psicológico, sono inadequado ou uso de tabáco e álcool.

O tratamento requer controle severo de placa bacteriana, sendo o uso de antibióticos e agentes de controle químico da placa bacteriana. A velocidade na procura por atendimento é fundamental para evitar sequelas clínicas permanentes como retrações gengivais ou perdas dentárias. Os achados clínicos comuns são gengivas excessivamente inchadas, avermelhadas e sangrantes, com desaparecimento das papilas (gengivas localizadas entre dentes).

CUIDADO COM MO SANGRAMENTO NA GENGIVA. AGENDE UMA CONSULTA COM UM DE NOSSOS DENTISTAS ESPECIALIZADOS EM GENGIVITE

 

4. AIDS

As manifestações gengivais em pacientes infectados pelo HIV são semelhantes às encontradas em indivíduos soronegativos. A diferença é que, nos soropositivos, o sangramento na gengiva e perdas ósseas mais severas são desproporcionais (maiores) ao acúmulo de placa bacteriana. A suspeita para infecção por HIV recai sobre pacientes que não respondem de forma adequada ao tratamento convencional para doenças gengivais crônicas (gengivite e periodontite).

 

O tratamento para paciente infectados pelo HIV inclui o acompanhamento sistêmico da qualidade de remoção da placa bacteriana (higiene oral) e saúde das gengivas. Antibióticos e agentes químicos de controle da placa bacteriana são frequentemente administrados para estes indivíduos.

sangramentos nas gengivas que exigem tratamentos urgentíssimos

 

5. Diabetes

Diabetes mellitus é uma doença complexa do metabolismo da glicose e com grau variável de complicações bucais. Indivíduos com diabetes mal controlada apresentam sintomas como diminuição do fluxo salivar, queimação da língua ou boca. Entretanto, é a sua alteração no metabolismo ósseo a maior preocupação, já que perdas mais severas do osso que sustenta as raízes do dentes são frequentementes associadas nesses pacientes. Nesses indivíduos, o sangramento gengival frequente pode mascarar danos severos e irreversíveis às estruturas periodontais.

 

As manifestações clínicas mais comuns em pacientes diabéticos não controlados são o sangramento na gengiva e abcessos, que aparecem como áreas inchadas e avermelhadas e próximas às gengivas. Por ser assintomático e apresentar períodos de melhora aparente na maioria das situações, a diabetes pode protelar a procura por atendimento especializado – o que, na maioria das vezes, é causa para a recessão gengival severa e perda óssea preocupante.

 

 

Clareamento dental. Tire suas dúvidas sobre um dos procedimentos estéticos mais procurados

 
Um sorriso perfeito faz a diferença na vida de qualquer pessoa: aumenta a autoestima, a convivência social, além de ser um incentivo para o cuidado ainda maior com a saúde bucal. Por isso, o clareamento dental é um dos procedimentos odontológicos estéticos mais procurados, mas que também gera muitas dúvidas.

Tire suas dúvidas sobre o clareamento dental

Como funciona o clareamento dental?

Como funciona o clareamento dental?

O clareamento dental pode ser realizado devido à permeabilidade dos dentes, que permite que as moléculas do gel clareador penetrem na intimidade do esmalte e da dentina. O peróxido de hidrogênio do gel clareador “quebra” as moléculas dos pigmentos causadores de manchas, as quais são removidas por difusão. O mesmo princípio é válido para o peróxido de carbamida, uma vez que ele reage gerando o peróxido de hidrogênio como produto intermediário.

Durante o clareamento podem aparecer algumas manchas brancas, o que fazer?

É preciso deixar claro que o clareamento dental não causa manchas. No entanto, áreas hipoplásicas (manchas brancas, áreas de hipocalcificação) previamente presentes na superfície de esmalte, e muitas vezes imperceptíveis, podem ser evidenciadas durante o clareamento. Em alguns casos, estas manchas desaparecem devido à re-hidratação da superfície do esmalte após a conclusão do clareamento. O tratamento destas áreas com íons flúor (aplicação tópica), também pode auxiliar no desaparecimento destas manchas brancas (remineralização).

Como funciona o clareamento dental?

No caso de ser necessário um retoque como deve ser realizado?

Assim como o clareamento convencional, o retoque do clareamento pode ser feito pela técnica caseira ou de consultório. A diferença está no fato de que, em geral, este “re-clareamento” apresenta um menor tempo de tratamento.

Pacientes com manchas por Tetraciclina podem receber clareamento dental?

Sim, pacientes com manchas por tetraciclina podem receber clareamento. No entanto, nestes casos, o sucesso do tratamento depende da intensidade da mancha. Casos mais brandos apresentam maiores possibilidades de oferecerem resultados mais satisfatórios, e, geralmente, tempos de tratamento mais longos são necessários. O melhor procedimento é avaliar o grau de manchamento causado pela tetraciclina e conversar com o paciente sobre os possíveis resultados. Temos relatos na literatura de clareamento dental em casos de tetraciclina com a técnica caseira de até seis meses de duração com resultados satisfatórios. Uma boa opção é a combinação da técnica de consultório com a caseira.

Pacientes grávidas ou amamentando podem fazer clareamento dental?

Pacientes grávidas ou amamentando podem fazer clareamento dental?

Embora não haja dados na literatura científica que descrevam danos ao feto ou ao bebê pela realização de clareamento dental, não recomendamos sua realização em pacientes grávidas ou lactantes.

Por que clareamento dental não é recomendado antes dos 16 anos?

Por que clareamento dental não é recomendado antes dos 16 anos?

Não recomendamos a realização de clareamento dental em crianças e adolescentes com idade inferior a 16 anos porque nesta fase, a câmara pulpar é muito ampla e o esmalte mais permeável, podendo tornar os efeitos de sensibilidade mais intensos.

Posso combinar clareamento feito no consultório com clareamento caseiro?

Perfeitamente. Os clareamentos de consultório e caseiro podem ser combinados, sim, sendo uma ótima opção em diversos casos, como dentes muito escurecidos, presença de pigmentações de difícil remoção, manchamentos por tetraciclina, etc.

Clareamento dental. Tire suas dúvidas

Quais os cuidados que o paciente deve tomar com a alimentação durante o clareamento?

Durante o clareameto, alguns cuidados devem ser tomados com a alimentação. Deve-se evitar o consumo excessivo de alimentos corantes, como cenoura, beterraba, café, chá, vinho tinto entre outros. Deve-se evitar também o consumo de bebidas cítricas e à base de cola, pois podem aumentar a sensibilidade.

Quais são os casos que apresentam melhor indicação para o clareamento?

Os casos que melhor respondem ao clareamento são aqueles realizados em pacientes jovens (maiores de 16 anos)* com dentes naturalmente escurecidos, os casos de escurecimento por envelhecimento, e os casos de tons de amarelos. * Não recomendamos a realização de clareamento dental em pacientes com idade inferior a 16 anos, porque nesta época, a câmara pulpar é muito ampla, podendo causar hipersensibilidade.

Clareamento dental. Tire suas dúvidas

Qual a longevidade de um clareamento dental?

A longevidade de um clareamento é variável de um paciente para outro. Em trabalho realizado por Leonard, 1998, o autor descreve que 63% dos pacientes encontravam-se satisfeito com a retenção da cor obtida 3 anos após a realização do clareamento, e que pelo menos 35% dos pacientes encontravam-se satisfeitos após 7 anos da realização do tratamento.

Qualquer pessoa pode clarear seus dentes?

A partir dos 16 anos de idade, qualquer pessoa pode clarear os dentes. No entanto, este procedimento não é recomendado para pacientes que apresentam lesões cariosas, restaurações extensas e/ou deficientes, gengivites ou problemas periodontais, que tenham sido submetidas à cirurgia gengival/peridontal recentemente, ou que apresentem outros problemas que possam provocar hipersensibilidade durante o clareamento. O produto é ainda contra-indicado para pessoas que apresentam reações alérgicas ao produto. Também desaconselhamos sua realização em gestantes e lactantes. O dentista deve realizar uma boa avaliação da condição dental do paciente previamente à indicação do tratamento clareador.

Quando escolher um clareamento caseiro, de consultório ou combinado?

Não existe uma regra para se escolher um clareamento caseiro, de consultório ou combinado. O essencial para o sucesso do tratamento é a realização de um planejamento adequado e da execução criteriosa do protocolo clínico, os quais são dependentes da realização de um diagnóstico clínico bem feito (correto diagnóstico da etiologia das manchas ) e devidamente documentado, e do conhecimento do mecanismo de ação dos agentes clareadores. A seleção da técnica deve levar em consideração diversos fatores, como o histórico do paciente, idade, o grau de coloração do dente, o estilo de vida do paciente, sua disciplina, sensibilidade ao tratamento, a rapidez desejada no clareamento, além dos exames clínicos e radiológicos.

Quando um clareamento dental está contra-indicado?

O clareamento está contra-indicado nos casos de pacientes que apresentam lesões cariosas, restaurações extensas e/ou deficientes, gengivites ou problemas periodontais, que tenham sido submetidas à cirurgia gengival/peridontal recentemente, ou que apresentem reações alérgicas aos componentes do produto. É ainda desaconselhado para gestantes, lactantes, e menores de 16 anos.

Quanto tempo, após o clareamento se podem ser feitas as restaurações com resina composta?

Deve-se aguardar de 7 a 14 dias, após a realização do clareamento, para que restaurações adesivas possam ser feitas, pois há uma diminuição da força adesiva das restaurações quando elas são realizadas imediatamente após o clareamento dental.

BMW R80 – Essa moto é o futuro em duas rodas

Quando você pensa em motocicletas do futuro já imagina aquelas estilo Akira, certo? Bom, a empresa francesa Barbara Custom quis fazer algo mais factível e deu um tapa na BMW R80 com o conceito futurista “Black Mamba”.

A moto feita por eles mantém uma série de elementos característicos da Série R, como o motor de cabeçote duplo e carburadores distintivos – além de uma série de novos ajustes. Entre eles, um braço oscilante RnineT e garfos dianteiros USD, que foram adicionados ao chassi e ao motor R80 existentes.

20

O protótipo também apresenta um design radical de peça única, juntando assento, tanque e farol em uma única peça. O futuro em duas rodas.

Alterações na articulação das palavras pode ser problema de má oclusão

 

Alterações na articulação das palavras pode ser problema de má oclusão e é  um bom motivo para uma consulta ao ortodontista e ao fonoaudiólogo. Vamos entender um pouco  mais sobre esse problema que afeta centenas de pessoas.

A genética é o fator importante que está envolvido na má oclusão. Existem ainda fatores adquiridos durante o desenvolvimento da linguagem e dos ossos da face. O início da sucção do polegar, do uso incorreto da chupeta ou mamadeira, da posição unilateral de colocar o bebê para dormir também são fatores que contribuem para a má oclusão com prejuízos significativos na fala.

Alterações na articulação das palavras pode ser um problema de má oclusão

 

A oclusão dentária é o resultado do movimento sinérgico onde atuam a mastigação, a respiração e a fala. A má-oclusão é o resultado de distúrbios dessas funções, que podem ocasionar prejuízos estéticos e funcionais, provocados pelo desalinhamento dos dentes e o modo incorreto como os dentes superiores e inferiores se encaixam, prejudicando a mordida.

Alterações na articulação das palavras pode ser um problema de má oclusão

No acompanhamento dessa dinâmica precisam atuar juntos o odontólogo e o fonoaudiólogo. Esses profissionais vão atuar no favorecimento da condição miofuncional orofacial, visando à correção e a estabilidade do complexo orofacial. Isto significa estabelecer harmonia de movimentos entre os ossos da face, dos dentes com a musculatura orofacial.

O tratamento interdisciplinar inclui a melhoria da saúde como um todo, chegando mesmo à melhoria da estética que pode gerar problemas psicológicos, envolvidos na aceitação ou não da aparência. Ele pode eliminar a força excessiva nos dentes e na mandíbula para diminuir o risco de se quebrar um dente e de reduzir os sintomas de distúrbios da articulação temporomandibular (DTM).

TRATAMENTO MULTIDICIPLINAR COM FONOAUDIÓLOGO E ORTODONTISTA NA VASCONCELOS ODONTOLOGIA

Quanto mais cedo iniciar o tratamento com orientações preventivas, que vai desde as primeiras semanas de vida – evitar uso prolongado da chupeta, de preferência não fazer uso dela, uso correto da mamadeira, incluindo o tamanho mínimo do furo do bico e a posição adequada do corpo do bebê em relação ao corpo da mãe -, mais chance terá a criança de evitar tratamentos ortodônticos e fonoterapia prolongados.

Check-up com o seu dentista antes das férias pode evitar grandes prejuízos

As férias do meio do ano estão chegando. Então, que tal um Check-up com o seu dentista antes das férias pode evitar grandes prejuízos?

Muita gente escolhe essa época para espairecer e conhecer outras paisagens, outras regiões, outros países. Tudo o que menos se deseja durante uma viagem é sentir um dente incomodando. Além de ser estraga-prazeres, essa dor pode sair muito cara para ser resolvida em atendimento emergencial, fora de casa, ainda mais se for à noite e com profissional que você não conhece.

Porque realizar um Check-up com o seu dentista antes das férias de julho

Antes de viajar, não é só o carro que precisa passar por revisão. É importante dar uma passada no dentista e fazer um check-up da saúde bucal. Mas lembre-se mesmo que não vá viajar, sempre é bom, de tempos em tempos, conferir se a saúde da boca está ok.

Check-up com o seu dentista antes das férias

Tecnologias aliadas à sua saúde bucal

Na cadeira de um bom dentista, o paciente que anda afastado dos consultórios logo vai perceber que aquele espelhinho prosaico, que o profissional usa para verificar os dentes, virou coadjuvante. Hoje, as personagens principais das boas consultas são câmeras microprocessadoras que ampliam em até 65 vezes a imagem do dente. O profissional tem condições de avaliar se os dentes têm infiltrações, trincas ou cáries.

Em um monitor, dentista e paciente são capazes de verificar, com extrema precisão, qualquer problema que haja na dentição e até mesmo lesões cancerígenas.

Tecnologias aliadas à sua saúde bucal

O check-up digital é uma das formas mais modernas de prevenção oral. Quando o paciente sente dor, já é tarde. Sinal de que uma infecção ou inflamação está instalada. O ideal é prevenir antes que a dor aconteça. Não se espera ter um enfarte para tomar medidas preventivas.

A nova tecnologia, previne e trata as cáries, permite avaliação estética (se há necessidade de clareamento dos dentes) e, o que é melhor, tem preço acessível. Especialmente porque permite que você parcele tratamento e se organize financeiramente. Coisa bem diferente de uma emergência que venha a ocorrer por esse mundão afora.

Por que optar pelas facetas de porcelana?

 

Existe solução para dentes quebrados ou manchados. A mais famosa é a restauração de porcelana ou facetas de porcelana que costuma ser usada para alterar forma, tamanho e cor dos dentes. Nossos especialistas em odontologia estética preparam 5 motivos para optar por elas.

Facetas de porcelana tem maior resistência às manchas 

As facetas de porcelana não se desgastam facilmente e são mais fáceis de serem higienizadas. No caso das resinas compostas, a escovação diária pode causar micro lesões na sua superfície, facilitando a adesão de restos de alimentos ou pigmentos que mancham os dentes, como café, vinho ou cigarro. O mesmo não acontece nas de porcelana.

 Facetas de porcelana tem maior resistência às manchas 

Maior estabilidade de cor 

Justamente por não sofrerem tanto desgaste e terem esse poder de resistir às manchas, elas conseguem manter sua cor e sua aparência natural por muito mais tempo. Aliás, esse é outro benefício das restaurações de porcelana, elas são a versão mais similar ao dente natural que a tecnologia já conseguiu criar nesse segmento.

Facetas de porcelana tem maior durabilidade 

Estudos mostram que o sucesso das facetas de porcelanas é de 98,8% nos primeiros seis anos, 93% em onze anos e 91% em até treze anos, enquanto as resinas compostas costumam durar de 3 a  no máximo 8 anos.

Mas isso vai depender dos cuidados que a pessoa terá com o material. Fumar, ingerir bebidas e alimentos com alto grau de pigmentação ou acidez com frequência são hábitos que podem diminuir drasticamente a vida útil das facetas de porcelana.

Facetas de porcelana tem maior durabilidade 

Maior brilho e translucidez 
O brilho superficial de uma faceta de porcelana também não é perdido com facilidade. As resinas compostas precisam, de tempos em tempos, de uma espécie de polimento da sua superfície para que ela recupere seu brilho, as de porcelana não. Além disso, as de porcelana trabalham bem melhor a reflexão e a transmissão da luz.

facetas de porcelana

Resistência 
Com a introdução de materiais reforçados e a evolução da técnica de colagem, que agora acimenta a faceta ao dente, a porcelana acaba sendo bem mais resistente às forças mecânicas e mastigação do que as resinas compostas que são mais frágeis e se descolam com mais facilidade.

A Fonoaudiologia em benefício à saúde bucal

Seja para ajudar em funções relacionadas à audição, equilíbrio da fala, da voz e da respiração, a Fonoaudiologia é a ciência que cuida do aparelho fonador. Mas o que ela tem a ver com a saúde bucal? Tudo.
Em alguns casos, a Odontologia precisa desta área parceira para atuar em tratamentos ortodônticos, protéticos e buco-maxilar. A Fonoaudióloga Alessandra Amaral parceira da Clínica Vasconcelos Odontologia explica de que forma este trabalho multifuncional ajuda a ter um sorriso mais saudável.

A IMPORTÂNCIA DA FONOAUDIOLOGIA EM PARCERIA COM TRATAMENTOS ODONTOLÓGICOS

A saúde bucal não se limita à apenas possuir dentes brancos, mas, também, manter o bem-estar das pessoas. A fonoaudiologia ajuda na busca deste equilíbrio. Alessandra Amaral diz que nos cuidados em saúde é comum a necessidade de um tratamento interdisciplinar. “Profissionais de diferentes áreas partilham seu conhecimento específico em relação ao quadro clínico do paciente, ampliando as possibilidades de tratamento ao caso”. Quem usa aparelho ortodôntico móvel, por exemplo, pode ter problemas na adaptação ou se sentir incomodado com o acessório no início. O fonoaudiólogo pode ajudar.

ÁREAS DA ODONTOLOGIA QUE TRABALHAM EM PARCERIA COM A FONOAUDIOLOGIA

Fonoaudiologia em benefício à saúde bucal
Odontopediatria: A fonoaudiologia é uma área que acompanha a vida do paciente desde recém-nascido até a terceira idade . Na primeira fase, muitos bebês apresentam dificuldade na amamentação devido ao formato do freio lingual. O fonoaudiólogo pode avaliar a sucção, o processo completo do aleitamento materno e definir se o freio lingual está ou não limitando e prejudicando esta função.

Ortodontia: O tratamento ortodôntico também conta com essa ajuda. A fonoaudióloga diz que existem casos em que a postura ou força da língua podem prejudicar o ciclo ortodôntico Quando a língua está flácida ou sua posição inadequada, tocando (e empurrando) os dentes com frequência, este pode ser a causa da interferência na evolução do tratamento.

Fonoaudiologia em benefício à saúde bucal

Prótese dentária: Colocar uma prótese para repor dentes que foram perdidos é bom demais, mas também requer um período de adaptação deste novo acessório. A mastigação, que antigamente era feita apenas de um lado da boca, precisa ser praticada em ambas as direções. É aí que este especialista entra. “O fonoaudiólogo tem a possibilidade de auxiliar no fortalecimento da musculatura da boca e do rosto, restabelecendo sua força e a simetria, dando condições para o treino e melhoria da mastigação”

Buco-maxilo: No caso de realizar uma cirurgia ortognática, que corrige deformidades esqueléticas na região do rosto, o paciente vai precisar se acostumar com as novas utilidades desta área, que vão desde o modo de falar até a maneira de mastigar. “O tratamento fonoaudiológico é necessário para estimular a musculatura responsável por estas funções, para que consiga reeducar-se e passar a respirar, falar, mastigar e engolir da forma correta”.

UM TRATAMENTO DE MÃO DUPLA
Alessandra Amaral explica que também é comum o fonoaudiólogo buscar a colaboração do dentista em alguns casos. Na hora de suspender o hábito de chupar o dedo ou chupeta, por exemplo, um ortodontista pode auxiliar por meio do preparo de grades e contenções que dificultam o movimento automático de colocar o dedo na boca.

O odontologista também pode atuar na confecção de placas que auxiliam o posicionamento da língua no céu da boca durante o repouso, acelerando assim o aprendizado da sua nova postura. “É enriquecedor o diálogo entre dentista e fonoaudiólogo. São olhares diferentes, buscando o mesmo objetivo: a completa reabilitação e satisfação do paciente”, conclui Alessandra Amaral.

AGENDE UMA CONSULTA COM A NOSSA FONOAUDIÓLOGO