Os melhores campos de polo da América do Sul

Na configuração que conhecemos hoje, o polo é originário do estado de Manipur, na Índia. Foi lá que o primeiro time, The Silchar Polo Club, foi fundado no ano de 1859 por militares britânicos. Rapidamente o esporte conquistou territórios e adeptos em Malta (1868), na Inglaterra (1869), Irlanda (1870), Argentina (1872), Austrália (1874) e nos Estados Unidos, mais exatamente em Nova York (1876). Em solo brasileiro, os primeiros relatos da modalidade datam da década de 1920, no carioca (porém fundado por ingleses) Rio de Janeiro Golf Club – que segue em funcionamento com o nome de Gávea Golf & Country Club.

O polo é um esporte complexo e bastante peculiar. Para começar, é a combinação de dois “atletas”: o jogador e o cavalo. Isso exige preparo intenso de ambos. São quatro jogadores em cada equipe. Uma partida tem entre quatro e seis tempos, batizados de chukkas. Em cada chukka, os cavalos são trocados devido ao intenso desgaste – a velocidade média que eles atingem em campo chega a 60 km/h. Por isso, as equipes têm, em média, um plantel de 24 cavalos (ou mais) disponíveis e a postos para entrar no jogo.

Parte fundamental é a qualidade do campo onde a partida será disputada – tanto pela fluidez das jogadas como pela segurança dos animais e dos jogadores.

A Argentina é o país mais importante no cenário do polo mundial. Na capital, Buenos Aires, acontece o principal campeonato da modalidade, o Abierto de Palermo ou Open de Palermo, que concentra anualmente a elite dos times do mundo – neste ano, a competição se estende de 10 de novembro a 15 de dezembro. Todas as partidas são disputadas no Campo Argentino de Polo, no bairro de Palermo. Esse campo foi um dos indicados por José Klabin, que ressalta seu alto nível de cuidado e preservação. Ainda no país vizinho, ele cita os campos do Clube Ellerstina, que tem sob seu nome uma das melhores equipes de polo do país. Ali, nos arredores do centro urbano da capital argentina, é disputada a Copa Oro.

O interior paulista abriga dois elogiados complexos: Helvetia e Fazenda Boa Vista

 

É unânime entre os consultados que o Helvetia Polo Country Club, localizado em Indaiatuba, interior de São Paulo, é o maior e melhor centro de polo do Brasil. Além dos 11 campos do clube, há cerca de 20 campos particulares nos arredores. O campo 1 é muito conhecido pelos polistas – nele são disputadas as finais dos campeonatos, o que o tornou um “objeto do desejo” entre os jogadores.

Divulgação
Helvetia em Indaiatuba (SP), maior centro do esporte no Brasil

O Helvetia foi fundado em 1975 com o objetivo de integrar os campos a um condomínio de casas, iniciativa do empresário Giorgio Moroni. Atualmente está sob o comando de seu filho, Antonio Giorgio Moroni.

Herança familiar, aliás, é algo extremamente comum na cultura do esporte – uma paixão que passa, em muitos casos, de pai para filho. José Klabin, por exemplo, é filho do ícone do polo Armando Klabin, que acaba de recuperar o título de jogador de polo equestre mais velho na ativa segundo o Guinness World Records, no auge de seus 85 anos (ele foi eleito pela primeira vez em 2016, mas no ano seguinte o americano Edward Robbins “roubou” seu recorde). Desde 1959, sua família é dona de um time, o Tigres, que Klabin ajudou a fundar.

Divulgação
O Campo Argentino de Polo, um dos indicados por José Klabi

João Gaspar também vem de uma família com time próprio, o Maragata, fundado em 1975 em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. O time da família Martins Bastos é patrocinado pelo banco suíço Julius Baer e é bastante popular nas redes sociais: só no Instagram soma 67 mil seguidores. Desde 2011 mantém um braço filantrópico, o Instituto Maragata.

O complexo do empreendimento Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz, interior de São Paulo, compreende condomínio de casas, um hotel Fasano e campo de polo. Em agosto, foi palco do campeonato Polo Challenge JHSF Zapälla, em sua primeira edição. O evento, que teve como propósito disseminar a cultura do polo no país, contou com a presença da “alteza” de Jaipur, o marajá Padmanabh Singh, também conhecido como Pacho na Índia. Além de bilionário, ele é jogador profissional.

Divulgação
João Gaspar Martins Bastos em partida no complexo Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz (SP)

No Rio de Janeiro, o Itanhangá Golf Club, na Barra da Tijuca e bem próximo da praia de São Conrado, foi apontado por José Klabin como um ótimo lugar para a prática do esporte. O Itanhangá foi inaugurado em 1935 com campos oficiais de golfe e polo.

Divulgação
Itanhangá, na Barra da Tijuca: inaugurado em 1935 e considerado “ótimo”

A partir de qual idade deve ser feito o chek-up odontológico

Talvez você considere que somente se preocupar em escovar os dentes após as refeições e antes de dormir seja suficiente para se ver longe de problemas bucais. Esses cuidados são fundamentais, porém, para que a prevenção aconteça de fato, é imprescindível visitar o dentista regularmente.

Mas você pode pensar: “Está tudo bem com os meus dentes, não vi nada diferente na minha boca nem sinto dor nenhuma”. E o objetivo é esse — o check-up odontológico é preventivo, ou seja, vai evitar que uma cárie superficial, por exemplo, tome conta de todo o seu dente. Esqueça a ideia de procurar o dentista somente quando a dor aparece!

qual idade deve ser feito o chek- up odontológico

A partir de qual idade deve ser feito o chek- up odontológico

A resposta para essa pergunta é: desde sempre. Pode parecer exagero, mas quando nasce o primeiro dentinho, os pais já podem levar o bebê ao odontopediatra para fazer o acompanhamento regular. Ele vai analisar se o desenvolvimento orofacial está correto e também dará orientações sobre limpeza bucal e alimentação.

Mesmo que você não tenha levado seu filho ainda bebê, leve-o o quanto antes. Quando as crianças se acostumam a ir ao dentista, perdem o medo de realizar os tratamentos e se conscientizam quanto aos bons hábitos de prevenção bucal. No futuro, serão adultos com a boca mais saudável.

O que é feito no check-up odontológico?

Se você é daqueles que evitam passar perto do consultório odontológico por medo, saiba que não há motivo para se preocupar. É importante salientar que as técnicas e materiais na odontologia estão em constante evolução, objetivando sempre tratamentos mais eficazes, rápidos e confortáveis para o paciente.

Como dissemos, o dentista vai avaliar a sua boca. Com a ajuda de um pequeno espelho, vai analisar todos os seus dentes e mucosas bucais (língua, gengivas e bochechas), verificando se existe alguma mancha, ferida, inflamação ou outro problema.

check-up odontológico

Em alguns casos, após a verificação, o profissional poderá realizar dois procedimentos preventivos:

  • profilaxia: é aquela limpeza mais completa, em que é utilizado bicarbonato de sódio para retirar a sujeira aderida ao dente e também para fazer um polimento. Você sente, além dos dentes mais limpos, que eles estão mais lisinhos;
  • aplicação de flúor: com a ajuda de uma moldeira de silicone, o dentista faz a aplicação de flúor e pede para que o paciente fique em contato com a substância por um período determinado. O flúor é um mineral que vai deixar os dentes mais fortes e protegidos contra as bactérias que causam a cárie.

Caso você tenha tártaro, que é quando a placa bacteriana se calcificou e aderiu aos dentes, o dentista pode fazer a raspagem no check-up odontológico. Você sai com um sorriso mais limpo e longe do mau hálito.

check-up odontológico

Devo me preocupar com a radiografia?

Em muitas situações, o dentista pode realizar a radiografia para complementar a avaliação do check-up odontológico. O exame consegue detectar a extensão de uma cárie ou quando ela está escondida entre os dentes, o que não é possível de ver a olho nu. Esse diagnóstico mais preciso direciona o plano de tratamento.

Seja qual for o motivo, você pode ficar tranquilo. O exame é seguro, rápido e indolor. Para proteção, é colocado um colete de chumbo no paciente.

check-up odontológico

De quanto em quanto tempo ele deve ser feito?

Não existe um intervalo padrão para a realização do check-up odontológico. Geralmente, a indicação é que ele seja feito a cada seis meses, mas isso depende das condições de saúde bucal, histórico e estilo de vida de cada paciente.

Quem sofre com doença periodontal crônica ou dentes sensíveis, por exemplo, deve visitar o dentista a cada quatro meses. Pacientes que colocaram implante dentário ou usam aparelho ortodôntico também precisam fazer esse acompanhamento com mais frequência. Já pessoas que fumam devem realizar essas consultas em intervalos menores.

LEIA TAMBÉM: Sinais que indicam a necessidade de visitar o seu dentista

Viu só como é importante fazer o check-up odontológico? Manter os dentes saudáveis vai deixar o seu sorriso mais bonito e trará qualidade de vida. Coloque esse compromisso na agenda e fique longe de qualquer problema bucal.

 

Que tal oferecer jantar com o Polvo à Lagareiro aos amigos

Vai receber os amigos e quer preparar um jantar especial? Que tal uma pratada de polvo à lagareiro? O nome desta receita típica portuguesa vem da figura do lagareiro (o trabalhador do lagar, onde é feita a produção de azeite) e a grande quantidade de azeite quente utilizada para regar o polvo é um dos segredos do preparo.

Polvo à lagareiro

Rendimento: 4 porções
Tempo de preparo: 1 hora
Dificuldade: fácil
Ingredientes Polvo

• 1 kg de polvo
• 4 dentes de alho esmagados
• 4 folhas de louro
• ¾ de xícara (chá) de azeite  de oliva (150 ml)
• Sal e molho de pimenta a gosto

Batatas

• 6 batatas médias
• 3/4 de xícara (chá) de azeite
• 4 dentes de alho picados
• 2 colheres (sopa) de manteiga
• Salsa a gosto
• Sal e pimenta a gosto

Preparo do polvo

1. Em uma panela de pressão, coloque o louro, o alho e o azeite.
2. Deixe dourar levemente e acrescente o polvo. Tempere a gosto e tampe.
3. Cozinhe na pressão por 15 minutos.
4. Desligue o fogo, deixe a panela esfriar para poder abri-la e, depois, volte ao fogo para reduzir o caldo do cozimento.
5. Reserve para saltear com as batatas.

Batatas

1. Unte as batatas com a manteiga e salgue com duas colheres (chá) de sal grosso. Leve ao forno por 45 minutos.
2. Quando as batatas estiverem assadas, esmague com um murro cada uma delas.
3. Em uma frigideira grande, aqueça o azeite e adicione o alho, o polvo, já cozido, e as batatas. 4. Deixe dourar levemente, retire do fogo e tempere com sal, pimenta e a salsa rasgada.  Sirva em seguida.

5 doenças bucais mais comuns na melhor idade

O processo de envelhecimento traz grandes mudanças no corpo, na mente e claro, o sorriso. Sim, os dentes também envelhecem e como o restante do corpo, eles  precisam de cuidados redobrados com o avançar da idade. Caso contrário, além de exibir um sorriso feio, o idoso ainda corre o risco de perder alguns ou todos os dentes na boca.

doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

 

 

Conheças as cinco doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

Aliás, a perda dentária é muitas vezes, associada ao avanço da idade. Mas, as coisas não são bem assim, pois é perfeitamente possível chegar à velhice com todos os dentes na boca. Basta tomar os cuidados necessários.

  1. Lesões da mucosa bucal

Com o avanço da idade, é mais comum que apareçam lesões na boca. Isso acontece devido ao uso de próteses mal adaptadas. O consumo de álcool e o hábito de fumar também contribuem com o problema. Para verificar a presença de alguma lesão, olhe-se no espelho e procure por feridas nas gengivas, bochechas e palato.

Caso identifique alguma anormalidade, procure o dentista imediatamente. O autoexame deve ser feito todo mês.

  1. Cáries

Com o avanço da idade, a higienização bucal também se torna mais complicada. Além disso, as pessoas tendem a se descuidarem quando vão ficando mais velhas. Por isso, o surgimento de cáries em pessoas idosas também é muito comum.

As cáries provocam dores, amarelamento nos dentes e mau hálito.

doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

  1. Xerostomia

Conhecida também como “boca seca”, a xerostomia é outro problema de saúde bucal comum em pessoas idosas. O problema consiste na redução de saliva, que pode ser causada por uso de alguns medicamentos ou por tratamentos como radioterapia, por exemplo.

Apesar de não ser bem uma doença, a xerostomia contribui com o aparecimento de outras patologias na boca. Isso porque a produção de saliva é importante para manter a boca livre de bactérias que causam mau hálito, cáries e doenças na gengiva.

cinco doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

  1. Periodontite

A periodontite é uma doença muito comum em idosos. Ela é o agravamento da gengivite — que é caracterizada por inchaço e sangramento nas gengivas ao escovar os dentes. Quando a periodontite não é tratada, ela pode evoluir e causar a destruição do ossos e tecidos, provocando a perda dentária.

As doenças nas gengivas podem ser causadas por má higiene bucal, tabagismo, problemas sistêmicos como diabetes e câncer ou ainda pode ocasionada por problemas genéticos.

  1. Câncer de boca

O câncer bucal está entre as doenças bucais mais comuns em idosos. A doença pode atingir os lábios, gengiva, língua, ossos maxilares e outras estruturas dentro da cavidade oral. Suas causas estão relacionadas ao tabagismo, ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, à predisposição genética e à exposição ao sol, especialmente em casos de câncer nos lábios.

O câncer bucal tem cura, mas é essencial que o diagnóstico seja realizado precocemente.

cinco doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

Como manter uma boa saúde bucal na terceira idade?

Cuidar de sua saúde bucal não só preserva a beleza de seu sorriso até a velhice, mas também, deixa sua boca livre de doenças. Então, mantenha uma boa higiene e escove os dentes no mínimo duas vezes ao dia e não se esqueça do fio dental. Abandonar hábitos nocivos como fumar e consumir bebidas alcoólicas em excesso.

E o mais importante de tudo: visite seu dentista regularmente. O acompanhamento profissional é essencial para a prevenção de doenças e diagnóstico precoce de doenças.

Por que fazer um check-up odontológico preventivo antes de viajar?

“Prevenir é melhor do que remediar”. Esse é um ditado antigo, mas bastante válido, principalmente em relação aos cuidados com nossa saúde bucal. Um simples check up odontológico antes de viajar nas férias pode diagnosticar doenças bucais logo no início, evitando problemas maiores e mais gastos com tratamento, além de prevenir outros problemas orais.

Durante o check up odontológico, o dentista avalia bochechas, língua, garganta, gengivas e ainda verifica se o paciente tem cáries, imperfeições nas restaurações antigas, tártaro e ainda faz uma avaliação da mordida, tudo isso em uma única sessão, que dura menos de uma hora.

Vantagens de se fazer um check-up odontológico preventivo

Vantagens de se fazer um check-up odontológico preventivo antes de viajar

Você terá sempre um sorriso bonito

Além de uma boa higiene bucal diária, as visitas periódicas ao dentista são fortes aliadas na manutenção do sorriso bonito. E se você gosta de sorrir, precisa estar sempre com os dentes impecáveis.

Ao fazer o chek up bucal regularmente, o dentista vai indicar os tratamentos essenciais para você manter seus dentes, como: clareamento dentário, por exemplo, além de orientar a cuidar melhor de sua higiene bucal.

O check up odontológico previne e trata problemas de saúde bucal de forma precoce

O check up odontológico previne e trata problemas de saúde bucal de forma precoce

Problemas de saúde bucal como gengivite (infecção nas gengivas) e doenças periodontais, se tratados logo no início, causam menos transtornos para o paciente, pois, o diagnóstico precoce desses males evita que eles se agravem, afetando a saúde geral de nosso corpo.

Afinal, todos sabemos que uma saúde bucal precária pode ocasionar doenças cardíacas. Isso porque a gengivite e problemas periodontais em estágio avançado disseminam bactérias, que podem cair na corrente sanguínea e chegar ao coração, afetando seu bom funcionamento.

Além do tratamento precoce, o check up odontológico também previne doenças na gengiva, pois, mesmo que o paciente não tenha nenhum problema, o dentista fará uma limpeza dentária, chamada de profilaxia. Nesse procedimento, o profissional retira todo acúmulo de placa bacteriana e tártaro dos dentes, evitando outras patologias.

 

O check up bucal faz bem para a saúde de seu bolso também

O check up odontológico faz bem para a saúde de seu bolso também

O que fica mais barato para você: fazer um check up odontológico geral de sua boca ou fazer um implante dentário? Os problemas citados acima, se não tratados a tempo, podem ocasionar outros tratamentos como canal ou em último caso, a perda dentária. E, quando você perde um dente você tem duas alternativas: colocar dentadura ou fazer implante.

E, independente do procedimento a ser escolhido, a prevenção sempre será a melhor escolha, tanto para a saúde de seu bolso quanto para sua boca. Prevenir custa menos e ainda garante que você mantenha seus dentes por muito mais tempo.

Quantas vezes por ano fazer o check up dentário?

O ideal é fazer o check up odontológico a cada 6 meses, mas essa frequência somente o dentista poderá te dizer, pois isso vai depender dos seus cuidados diários e da saúde de sua boca, dentes e gengivas.

Há pessoas que cuidam melhor de sua higiene bucal, já outras nem tanto e ainda, há aquelas que sofrem de problemas crônicos que afetam a saúde da boca. Portanto, você deve seguir as orientações de seu dentista e comparecer para fazer o check up com a periodicidade que ele te indicar.

Por que a prevenção é importante?

Escovar os dentes, passar o fio dental e usar um enxaguante bucal são procedimentos muito importantes. Entretanto, eles não descartam a necessidade de fazer visitas regulares ao dentista. Pois só o profissional especializado sabe identificar as reais necessidades bucais do paciente e evitar grandes complicações.

É essa cultura de prevenção e diagnóstico que a odontologia moderna está tentando, aos poucos, estabelecer. Realizar intervenções no início do problema, evitando dores futuras ou tratamentos invasivos, como o canal ou até mesmo a extração.

Mas por que a prevenção é o melhor tratamento? Existem três fatores básicos que facilitam esse entendimento:

  • É mais barato
  • O tratamento é bem menor
  • Causa menos desconforto

Quando o paciente realiza consultas periódicas de manutenção ou revisão o dentista consegue detectar possíveis problemas bucais logo no início. Ou seja, ao invés de pegar o paciente já com uma cárie grande, necessitando fazer um tratamento de canal, o profissional vai cuidar daquela cárie pequena ou até insipiente. Evitando complicações mais sérias.

 

 

 

 

Lentes de contato dental são indicadas para quem busca um sorriso bonito

As lentes de contato dental têm conquistado cada vez mais espaço no mercado brasileiro por serem uma solução simples, que recupera a funcionalidade dos dentes em pouco tempo. Listamos aqui 6 vantagens da lente de contato dental!

O que é lente de contato dental?

O que é lente de contato dental?

Recurso usado na Odontologia Estética da Vasconcelos Odontologia, a lente de contato dental pode ser feita em um ou mais dentes, sendo desenvolvidos pequenos ajustes ou um alinhamento total de toda a arcada dentária.

É feita uma prótese de porcelana muito fina, que é fixada sobre a superfície dos dentes. A técnica é prescrita por um dentista e costuma ser indicada nas seguintes situações:

  • Dentes escurecidos ou com manchas;
  • Dentes desgastados ou com pequenas fraturas;
  • Pacientes com muito espaço entre os dentes (diastemas);
  • Dentes desalinhados ou com forma irregular.

A princípio,  qualquer pessoa pode se submeter ao procedimento para colocação das lentes de contato dental, mas em todos os casos é necessária uma avaliação prévia do profissional.

O que é lente de contato dental

Quais as vantagens da lente de contato dental?

Muitas pessoas buscam um sorriso bonito. Os motivos são os mais variados, desde conseguir um emprego até arrumar namorado. Por isso, as lentes de contato dental apresentam vantagens para melhorar o visual dos dentes mal posicionados, separados e quebrados. Conheça!

O que é lente de contato dental

1. Lentes de contato dental: harmonia do sorriso

As lentes de contato dental são colocadas sobre os dentes de forma estratégica para melhorar a estética do sorriso, eliminando desarmonias causadas por diastema, curva invertida ou dentes curtos.

Elas também reparam as disfunções de coloração e fazem com que os dentes adquiram maior resistência a manchas e a outras agressões ao esmalte.

2. Preserva a estrutura natural dos dentes

As lentes de contato dental demandam desgaste mínimo ou nenhum nos dentes, graças à fina estrutura da porcelana e à técnica pouco invasiva.

Ainda há a possibilidade de serem confeccionadas sob medida, assim, as lentes de contato dental preservam a estrutura natural da arcada dentária de cada paciente.

O que é lente de contato dental

3. Naturalidade

As lentes de contato proporcionam uma aparência natural aos dentes por causa do material utilizado e da possibilidade de personalização da cor do revestimento, de forma a ter um resultado mais próximo possível do original.

 

O que é lente de contato dental

 

4. Devolve a função dos dentes

Com dentes novos, mais resistentes e alinhados, o paciente consegue restabelecer a função mastigatória em pouco tempo, pois a arcada dentária é corrigida.

As lentes restabelecem o formato e o alinhamento dos dentes devolvendo a anatomia e a reparação do sorriso.

 

5. Resultados rápidos e duradouros

O procedimento para implantação das lentes é simples e rápido. E a duração média é de 10 a 15 anos. Mas há casos em que esse tempo é bem maior, depende da saúde bucal do próprio paciente, seus hábitos de higienização e visitas regulares ao dentista.

 

O que é lente de contato dental

 

6. Maior resistência a manchas

A estrutura ultrafina e translúcida do material utilizado na confecção das lentes de contato dental permite a cobertura perfeita da superfície dentária, preservando sua coloração e brilho.

Assim, os dentes tornam-se mais resistentes a manchas, mesmo consumindo bebidas e alimentos com pigmentos escuros.

 

Aparelho ortodôntico invisível: quais são os benefícios

A procura pelo aparelho ortodôntico por quem deseja alinhar os dentes e deixar de lado aquela imperfeição no sorriso que tanto incomoda é cada vez mais comum. Porém, muitas vezes, esse tipo de tratamento é adiado pelo fato de que o tradicional visual metálico ou mesmo das peças coladas não agrada a todos, principalmente pessoas mais criteriosas.

Nesse sentido, para aqueles que se incomodam com a aparência que o clássico aparelho ortodôntico proporciona, a solução é um aparelho ortodôntico invisível. O aparelho ortodôntico invisível nas mãos de quem tem a expertise, é uma excelente opção para quem deseja aliar um tratamento de qualidade com conforto, discrição e praticidade. Na maioria dos casos, seu uso passa despercebido e suas vantagens vão muito além da estética.

 

O que é o aparelho ortodôntico invisível?

Em linhas gerais, o aparelho ortodôntico invisível é uma estrutura removível, confeccionada de acordo com a arcada dentária do paciente. Ele é constituído por um conjunto de alinhadores transparentes e feitos sob medida em modernas impressoras 3D.

Assim sendo, é uma excelente alternativa para quem deseja ter um sorriso bonito com o máximo de conforto, na medida em que, além de ser removível, ele não possui fios, bráquetes e bandas como nos modelos de aparelho fixo.

Vamos conhecer os principais benefícios do uso Aparelho ortodôntico invisível

1. É discreto e imperceptível

Muitas pacientes rejeitam o aparelho metálico por causa da estética que ele apresenta durante o tratamento. Com ele é possível evitar essa condição, pois, ele é confeccionado praticamente invisível e vem já no formado da sua arcada dentária. Por isso, se encaixa perfeitamente nos dentes, o que torna seu uso praticamente imperceptível.

2. É confortável

As bandas, fios e demais peças de metal ou porcelana dos aparelhos tradicionais são dispensáveis, isto é, não são necessárias na técnica removível. Isso torna o aparelho invisível bastante mais confortável, uma vez que não existe a necessidade do uso das peças dos modelos convencionais que contribuem para que apareçam irritações e aftas na boca.

3. Traz mais praticidade

O alinhador ortodôntico é móvel e, assim, pode ser retirado, sem desconfortos, quando você precisar comer ou beber. Durante o tratamento, você pode removê-lo quando for conveniente, como em jantares, festas e eventos corporativos. Por não necessitar de nenhum acessório para essa ação, o aparelho é facilmente retirado pelo próprio paciente.

4. Mantém a saúde da gengiva

O fato de o aparelho ser removível também interfere na praticidade para realizar a limpeza diária. Passar fio dental entre os fios e bráquetes do aparelho convencional pode ser trabalhoso. Muitas vezes a escovação não é feita 100%, e isso contribui para o surgimento de tártaro e de problemas gengivais.

Na técnica das placas ortodônticas removíveis, para passar o fio dental e realizar a escovação, basta remover o alinhador e pronto. Dessa forma, a higiene bucal pode ser feita de forma bem mais completa.

5. Melhora a autoestima

Os dentes desalinhados podem causar problemas de má oclusão, mas também podem atingir a autoestima. Em contrapartida, o aparelho convencional também pode atrapalhar a estética do rosto e causar desconforto. O uso do aparelho ortodôntico invisível contribui para trazer mais confiança, sem interferir em sua vida pessoal ou profissional, afinal, na maioria dos casos, as pessoas nem percebem que você o está usando.

6. Apresenta resultados iguais a outros tratamentos

A duração do tratamento feito com um aparelho ortodôntico invisível é bem menor do que com o tratamento convencional ortodôntico e traz os mesmos resultados. No entanto, esse modelo de aparelho prioriza a estética, o conforto, a higiene e a praticidade durante o processo de alinhamento dos dentes.

Mas vale lembrar que, para que o tratamento tenha sucesso, o paciente precisa cooperar com o processo. Além disso, o cirurgião-dentista precisa ter o conhecimento necessário para proceder com esse tipo de intervenção em seu consultório.

Coisas que todo homem precisa saber sobre o Câncer de Próstata

Após os 50 anos, 1 em cada 6 homens terá câncer de próstata. No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma).

Mas, diferente de 40 anos atrás, quando a doença tinha um tratamento complicado e o preconceito era grande, não dá mais para você ficar se escondendo dos exames e dar chance para o mal. Para isto que foi criado o Novembro Azul (Movember), incentivando e orientando o homem sobre a necessidade de conversar sobre a saúde masculina.

QUEM CORRE MAIS RISCO DE TER CÂNCER DE PRÓSTATA?

O câncer de próstata é a segunda neoplasia maligna mais frequente no sexo masculino e os principais fatores de risco são a idade elevada e o histórico familiar presente (neste caso, o risco chega a ser 5 vezes maior para pessoas com até 3 familiares com câncer de próstata). Homens negros têm uma taxa maior em relação a homens brancos ou asiáticos, mas sabe-se que os hábitos ocidentais de vida também aumentam o risco.

QUANDO VOCÊ PRECISA COMEÇAR A SE CUIDAR?

Os exames devem iniciar-se aos 50 anos de idade. Pessoas com histórico familiar presente e negros devem iniciar seus exames de screening aos 45 anos de idade.

O EXAME DE TOQUE AINDA É NECESSÁRIO?

O exame de toque retal ainda é necessário pois pode detectar lesões precoces na próstata que nenhum exame de imagem com as tecnologias atuais seria capaz de diagnosticar. Desta forma, ele faz parte de todas as avaliações. Mas, ao contrário do que muitos imaginam, o exame de toque é muito pouco incômodo e extremamente rápido.

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS SINAIS E SINTOMAS DO CÂNCER DE PRÓSTATA?

O câncer de próstata em suas fases iniciais não causa sintomas nem apresenta sinais. A introdução na prática clínica na década de 90 do exame laboratorial sanguíneo do PSA em conjunto com o exame de toque retal, trouxe a possibilidade de diagnosticar lesões malignas enquanto ainda localizadas na próstata, o que permite, na maioria das vezes, tratamento curativo.

COMO EVITAR? Ainda não há forma concreta de se evitar o câncer de próstata. Manter uma alimentação saudável, não fumar, ser fisicamente ativo e visitar regularmente o médico contribuem para a melhoria da saúde em geral e podem ajudar na prevenção deste câncer. Existem algumas estratégias de prevenção com uso de medicamentos inibidores da 5-alfa-redutase, estatinas, anti-inflamatórios e moduladores de receptores seletivos de estrógenos, ou dietéticas pelo uso de carotenóides, retinóides, vitamina D, vitamina E, cálcio e selênio. Mas, não se comprovaram como 100%  eficientes em estudos científicos.

TRATAMENTOS PARA O CÂNCER DE PRÓSTATA  A forma de tratamento adequada vai depender de cada caso; da idade do paciente, da expectativa média de vida, do estadiamento da doença (se localizada ou avançada) e principalmente da escolha do paciente frente às opções possíveis. Para doenças que estão ainda apenas na próstata, existem 3 tipos de tratamento (que são usados isolados ou em associação), que têm o objetivo de tentar curar o paciente. São eles a cirurgia, a radioterapia (radiação aplicada externamente) e a braquiterapia (que consiste na colocação de sementes radioativas no local da próstata). Cada uma delas tem suas vantagens e desvantagens. Para pacientes mais idosos e tumores menos agressivos, pode-se também acompanhar o paciente rigorosamente e tratar apenas se o tumor mostrar sinais de alteração em sua agressividade. A decisão da melhor forma de tratamento deve ser tomada em conjunto entre o médico, o paciente e a sua família. Nos casos avançados, onde a doença já “se espalhou” pelo corpo do paciente, também existem tratamentos, embora não sejam mais curativos, mas que podem controlar a doença, como o bloqueio hormonal (trata-se de bloquear a produção de testosterona, o hormônio masculino, que faz o câncer se desenvolver) ou a quimioterapia em alguns casos.

VO Experience: facilidade no tratamento em odontologia intensiva para executivos

A prevenção é um trabalho em equipe que envolve paciente e dentista, visando preservar a dentição natural, evitando o surgimento e progresso de doenças bucais.

tratamento em odontologia intensiva para executivos

A VO Experience é uma modalidade em odontologia intensiva, onde executivos e executivas podem realizar o seu tratamento no menor tempo possível, a partir de um plano de tratamento otimizado e com uma equipe de profissionais trabalhando conjuntamente no seu caso de forma totalmente personalizada.

É uma modalidade ideal para aqueles que fazem viagens constantes, são de outras cidades, Estados ou países – o que também é conhecido como turismo odontológico – ou, ainda, para aqueles pacientes que possuem quadros de grave ansiedade em relação aos tratamentos odontológicos.

VO Experience: facilidade no tratamento em odontologia intensiva para executivos

SERVIÇOS QUE IRÃO CUIDAR DO SEU MAIOR CARTÃO DE VISITAS

tratamento em odontologia intensiva para executivos

 

  • Remoção de placa bacteriana e tártaro (cálculo dentário)

 

Por meio da utilização do aparelho de ultrassom ou da remoção manual (raspagem), pode-se remover substâncias nocivas as dentes e à gengiva.

 

  • Profilaxia

 

Procedimento realizado por meio de jato de bicarbonato ou de escovas especiais para a remoção de placa bacteriana e manchas de fácil remoção.

 

  • Aplicação tópica de flúor

 

Quando aplicado periodicamente, o flúor é um agente que ajuda a proteger a saúde dos dentes contra a ação bacteriana.
tratamento em odontologia intensiva para executivos

 

  • Orientação sobre higiene bucal

 

Por meio de uma correta orientação sobre escovação e utilização de fio dental, buscamos conscientizar nossos pacientes sobre a importância da manutenção de uma boa higiene bucal em casa.

 

  • Polimento e acabamento de restaurações antigas

 

Restaurações antigas também precisam de manutenção para que não percam suas qualidades.

COMO A PREVENÇÃO PODE AJUDAR VOCÊ ECONOMIZAR?

Visitar regularmente o dentista é uma ação econômica, pois previne o surgimento de problemas com soluções mais custosas, além de ser essencial para verificar o estado de tratamentos anteriores e manter sua saúde bucal em dia. A prevenção é a chave para a manutenção da beleza e da saúde de seu sorriso.

Gravidez pede cuidados especiais com a saúde bucal

Atualmente sabe-se da importância do tratamento preventivo da criança a partir mesmo da gravidez, aumentando assim as chances do bebê ter uma boa saúde bucal. Além disso, existe a necessidade de cuidados com a saúde odontológica da própria gestante, diminuído as chances de transmissão de microrganismos da mãe para a criança. Diagnosticar e tratar doenças bucais que podem comprometer a saúde da mulher e do seu bebê são medidas fundamentais para a garantia de um pré-natal seguro.

 

Gravidez pede cuidados especiais com a saúde bucal

Gravidez pede cuidados especiais com a saúde bucal

Existem crenças, receios e resistências que dificultaram o cuidado com a saúde bucal durante a gestação, e, ainda hoje, confundem pacientes e profissionais. A atenção odontológica durante a gestação é indicada e necessária e, com certas precauções, o tratamento é totalmente protegido.

A cárie é uma doença transmissível e, sendo a mãe a cuidadora, ela é uma das principais fontes de bactérias cariogênicas para seus filhos. Contatos frequentes e repetitivos entre a mãe e a criança, tais como beijos na boca, uso comum de talheres e hábitos de limpar a chupeta colocando-a na boca do adulto podem ser responsáveis pela transmissão precoce das bactérias causadoras de cáries em bebês. Assim sendo, as infecções e cáries não tratadas podem prejudicar a saúde da futura mamãe e a de seu bebê.

O cirurgião-dentista está apto a realizar este tipo de atendimento e deve sempre se atentar às condições físicas e psicológicas da gestante e, quando julgar necessário, pode e deve entrar em contato com o médico da mesma.

As consultas podem ocorrer em qualquer momento da gestação, mas o período mais indicado é o segundo trimestre (entre o 4º e o 6º mês). Evita-se o primeiro trimestre, pois é quando ocorre a organogênese completa, isto é, formam-se o corpo, os membros, a cabeça e todos os órgãos internos, período em que o feto é mais suscetível à ação de medicamentos e o índice de aborto espontâneo é maior. Evita-se também o terceiro trimestre por haver um maior risco de parto prematuro e causar um desconforto maior para a paciente devido à posição deitada da cadeira odontológica.

Gravidez pede cuidados especiais com a saúde bucal

Durante os atendimentos odontológicos, alguns cuidados devem ser tomados. As radiografias só devem ser feitas em casos indispensáveis e de preferência evitando o primeiro trimestre, e a gestante tem que estar protegida usando o avental de chumbo, proteção indicada, na verdade, a qualquer outro paciente. Ao receitar medicamentos, o profissional deve ser criterioso durante a gravidez, evitando os excessos e avaliando a relação custo-benefício, pois sabe-se que a droga administrada à gestante atravessa a barreira placentária e chega ao feto.

O acompanhamento odontológico da gestante é importante para uma boa condição bucal e para fornecer informações sobre a saúde e desenvolvimento do seu bebê. Assim, os profissionais devem conversar sobre os efeitos maléficos do álcool e drogas, orientar sobre uma dieta equilibrada para uma boa saúde da gestante e do bebê, incentivar e explicar a importância da amamentação natural, higienização antes e depois da erupção dos dentes, consequências da sucção de dedos e chupetas, meios de transmissão de doenças bucais, momento da primeira visita e etc.

Gravidez pede cuidados especiais com a saúde bucal

Ao contrário do que muita gente diz, a gestação não está diretamente relacionada à cárie, perda de dentes e enfraquecimento dos dentes devido à perda de cálcio, sendo esses alguns mitos em relação à saúde bucal da gestante.

Durante a gestação, a mulher acaba por diminuir os cuidados com a higiene bucal, pois sua atenção e preocupação estão focadas no pré-natal e no bebê, principalmente depois do parto, com os cuidados com o recém-nascido. O descuido com a higiene oral também pode ocorrer devido ao enjoo que os cremes dentais podem provocar nessas pacientes durante as escovações. É importante, portanto, que faça uma correta escovação, com uso de fio dental e creme dental com flúor, e visitas regulares ao dentista.

 

Durante a gravidez percebe-se a ocorrência de grandes mudanças fisiológicas e alterações hormonais que podem ter efeitos adversos na saúde bucal. A gestante passa a ter uma alimentação desregulada, com uma maior frequência de ingestão de alimentos e muitas vezes alimentos mais cariogênicos (que causam cáries) e isso pode contribuir para a ocorrência e problemas bucais nessa fase, como o aumento do risco de cáries e problemas periodontais (nas gengivas e ossos que servem de sustentação para os dentes). Outro fator que pode ser observado na gestação é a erosão do esmalte dentário, que consiste em perda de estrutura dentaria ocasionada por substâncias ácidas e nestes casos pode ser decorrente da exposição ao suco gástrico por frequentes enjoos e vômitos.

Gravidez pede cuidados especiais com a saúde bucal

Não existe relação entre a gravidez e a perda de minerais dos dentes. Já está comprovado que os dentes não participam do processo de captação do cálcio, pois o cálcio que irá formar as estruturas do bebê provém da alimentação da gestante.

Existem evidências que sugerem a existência de uma relação entre os problemas gengivais e os nascimentos prematuros e de bebês que nascem com peso abaixo do normal. Os microorganismos presentes na placa bacteriana e que causam inflamação nos ossos e gengivas ao redor dos dentes percorrem a corrente sanguínea e estimulam a produção da prostaglandina, que é substância hormonal, provocando contrações do útero e acelerando o trabalho de parto.

O ideal é que as mulheres que estejam em idade fértil e que desejam ser mães passem por uma avaliação odontológica detalhada antes mesmo de engravidar para que possam realizar todo o tratamento necessário e receber as orientações previamente.

Por todos esses motivos é importante o pré-natal odontológico priorizando a saúde bucal da gestante e a prevenção do bebê. Os hábitos saudáveis de higiene bucal e uma boa alimentação devem ser adotados desde a gravidez, pois o nível de saúde bucal da mãe tem relação com a saúde bucal da criança e estão ligadas diretamente a uma boa saúde geral.