Confira 7 super dicas para evitar o mau hálito

Infelizmente, o mau hálito acomete várias pessoas e pelos mais diversos motivos, sendo que muitas vezes os próprios indivíduos não estão cientes de que possuem halitose, já que se acostumam com o próprio odor. A halitose é caracterizada pela exalação de odores desagradáveis vindas da cavidade bucal, e existem aproximadamente inúmeras causas que podem causar o chamado bafo, como jejum prolongado, dietas inadequadas, bolinhas que aparecem nas amígdalas, stress, entre outros.

Apesar de as pessoas fazerem o uso de balas, chicletes ou produtos específicos que mascarem o mau hálito, existem atitudes mais definitivas que efetivamente fazem com que ele pare por completo ou seja ao menos controlado.

Por isso, confira algumas dicas de como evitar o mau hálito, desde as mais básicas até as mais drásticas

1 – O básico: escova de dente e fio dental

A boca contém milhões de bactérias, com centenas de tipos que vivem na região. Para termos noção, os cientistas estudaram menos da metade das bactérias que vivem em nossas bocas. Existem dois métodos bem comuns de como eliminar esses germes (e que todos nós conhecemos bem): escovar os dentes no mínimo duas vezes e passar o fio dental diariamente.

Sim, o fio dental é extremamente importante na eliminação dos pequenos blocos de comida. Os alimentos que nós comemos são os alimentos que as bactérias também comem (ao menos os resquícios que sobram), por isso, quanto menos rastros houver em nossas bocas, será mais difícil para as bactérias se proliferarem. Os enxaguantes bucais são importantes também, porém eles não substituem a escovação e o fio dental – lembre-se disso.

Limpar a lingua evita o mau hálito

2 – Limpeza da língua e das amígdalas evitam o mau hálito

A língua também contém diversos tipos de bactérias, sendo que muitas pessoas frequentemente se esquecem de limpar essa região que é tão essencial. Com os limpadores de língua (ou com as costas de determinadas escovas de dente), é possível cuidar dessa área de modo muito mais específico e evitar o mau hálito

A saburra lingual, originária da combinação de células, saliva e bactérias, é uma das principais causas de halitose e, portanto, deve ser combatida com a manutenção diária da limpeza na língua. Além da saburra lingual, é importante ficar atento aos cáseos, que são pequenos blocos brancos que se formam e ficam presos nas amígdalas, ocasionando um odor muito desagradável. Normalmente, eles são expelidos através da tosse ou de espirros, porém você pode tirá-los manualmente também.

beber água a evita o mau hálito

3 – Beber bastante água evita mau hálito

Quando acordamos, é muito provável que o chamado hálito matinal se manifeste. Você acha que possui um hálito mais forte pela manhã? Isso ocorre devido à menor produção de saliva no período noturno, sendo que a saliva contém o oxigênio capaz de diminuir a produção das bactérias.

Contudo, esse chamado mau hálito matinal pode ocorrer em outros períodos do dia, seja de manhã, de tarde ou de noite. A sua boca pode ficar bastante seca no decorrer do dia também, o que resulta em menor produção de saliva. Consequentemente, o hálito pode ficar muito mais forte. A recomendação  para evitar o mau hálito mais simples é beber muito líquido para manter a região constantemente úmida e hidratada.

SE VOCÊ POSSUI MAU HÁLITO, AGENDE UMA CONSULTA COM UM DOS NOSSOS DENTISTAS ESPECIALISTAS EM SANTOS OU SÃO PAULO

4 – Não utilize só as pastilhas

Existem muitas pastilhas e balas de menta que podem mascarar os odores do mau hálito, porém elas não devem ser utilizadas para efetivamente combater a halitose. Em alguns casos, o efeito pode não ser bom. É como se você estivesse todo suado e passasse um desodorante. O resultado final não é muito o esperado, correto? Além disso, se a bala em questão possuir boas quantidades de açúcar, ela será só mais um alimento para as bactérias se proliferarem.

bons hábitos alimentares evita o mau hálito

5 – Hábitos alimentares

Existem algumas comidas que podem causar mau hálito, enquanto outras ajudam a manter um equilíbrio. Alimentos como carne vermelha, curry, cebola, pimenta e alho são exemplos claros que causam o cheiro ruim. A carne, por exemplo, pode ter pequenas partes que ficam entre os dentes e que servem como verdadeiro alimento para proliferação de bactérias. O jeito é escovar os dentes e passar o fio dental sempre que esses alimentos forem ingeridos.

Além disso, o que você bebe também pode causar um hálito extremamente forte. Exemplos conhecidos são o café, as bebidas alcoólicas e até alguns refrigerantes. Se você não quer ficar sem aquele café forte antes de ir ao trabalho, beber um copo de água logo depois já pode ajudar bastante. Por outro lado, existem bebidas que ajudam a manter um hálito saudável, pois possuem componentes antibacterianos – como é o caso do chá verde.

parar de fumar evita mau hálito

6 – Deixe de fumar

Isso não é nenhum segredo: fumar é um grande causador do mau hálito. Além de os cigarros liberarem diversas substâncias químicas que prejudicam o organismo, eles podem trazer problemas sérios aos dentes e à gengiva. Os fumantes são mais suscetíveis à formação de placas, que também ajudam na proliferação da halitose.

Evite o mau hálito

7 – Visitar o dentista

Se todas as recomendações listadas aqui já estão presentes nos seus hábitos diários, mas, mesmo assim, você possui um mau hálito insistente, procure um dentista. Existem causas médicas que podem ocasionar a halitose, sendo que mesmo ao seguir as indicações mencionadas você pode desenvolver um odor ruim na boca.

Somente um profissional poderá analisar melhor o seu caso e definir qual é realmente o tratamento indicado. Stress e determinados tipos de medicamentos, como antidepressivos, podem causar mau hálito também, por isso todos esses fatores devem ser levados em consideração.

LEIA TAMBÉM O que comer e beber para evitar o mau hálito

Além disso, consultas regulares aos dentistas (no mínimo, duas vezes ao ano) garantem limpezas que já ajudam muito na manutenção da saúde bucal. Os dentistas frequentemente retiram todo o tártaro e podem identificar prováveis doenças antes que elas adquiram força maior. Prevenção é a palavra-chave.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *