CARREIRA – Dicas para se preparar para um MBA fora do país

Um MBA (Master of Business Administration) é o certificado dos sonhos de muitos profissionais. Antes mesmo de conquistá-lo é necessário ingressar em uma instituição e, dependendo da escolha, este pode ser o primeiro grande desafio.

Os candidatos precisam de muito foco e disciplina, assim como entender como funcionam as provas e o que a entidade espera dele. Ter o seu objetivo profissional alinhado e saber as suas próprias expectativas ao final do curso também são pontos importantes.

1. Esteja preparado para o GMAT

“É importante se preparar para o GMAT. A exigência dessa prova assegura a qualidade do programa de MBA, pois significa que os estudantes recrutados são capazes de ter um bom desempenho em um ambiente acadêmico exigente”, aconselha Veronique Therrien, recrutadora da HEC Montreal. O GMAT é o teste utilizado por grande parte das escolas de negócios como uma das fases do processo de admissão. O formato da prova é interativo e o nível das questões varia conforme o desempenho do candidato – caso esteja indo bem, questões mais complexas e que valem mais pontos são aplicadas.

2. Saiba o que você quer

“É crucial começar definindo o que é mais importante para você. Alguns candidatos só pensam no ranking da escola e esquecem de considerar o que será mais relevante para eles como indivíduos, não só durante o período em que estiver frequentando o curso, mas a longo prazo”, explica Johanna Beers, diretora adjunta de admissões do Babson College.

A VO Experience uma experiência em odontologia intensiva que a Clínica Vasconcelos Odontologia para você realizar o seu tratamento no menor tempo possível. CONSULTAS AQUI

3. Faça uma pesquisa extensa

“Use todos os recursos disponíveis para pesquisar as escolas de negócios – dos sites das escolas a conversas com recrutadores, estudantes e ex-alunos. Frequente feiras de escolas de negócios para conhecer as equipes de admissão pessoalmente e, se possível, visite a instituição de ensino, aconselha Johanna Beers, do Babson College. Paula Amorim, diretora de admissões para América Latina da IESE, completa: “Fazer uma pequena lista com informações importantes das escolas é fundamental para um processo bem-sucedido”.

4. Olhe para dentro

“Pare e pense sobre quem você é, seus pontos fortes e fracos, seus sucessos e fracassos, seus objetivos e quem você quer se tornar. Seja honesto consigo mesmo quando fizer essas reflexões. Não escreva ou fale o que você acha que a escola quer ouvir. Se você entrar em uma universidade que não tem nada a ver com você, você é quem tem mais a perder. Aproveite esse momento, mesmo que seja um pouco sofrido e sacrificante”, diz Paula Amorim, da IESE.

5. Use a internet a seu favor

Satya Witzer, diretor adjunto de admissões da UCLA, destaca a importância da internet como ferramenta: “As visitas às escolas são ótimas, mas se você não conseguir ir ao campus, atualmente há muitos recursos online. Conecte-se com os alunos por e-mail e assistia a webinars para entender se a escola é adequada a suas necessidades”.

Premio Nobel 2015 em Medicina e Fisiologia. Conheça os ganhadores e suas descobertas.

NObel Medicina 2015

A premiação do Nobel de Medicina e Fisiologia deste ano foi entregue nesta segunda (5 de outubro). Os ganhadores foram os cientistas William C. Campbell, da Irlanda, e Satohi Omura, japonês, por desenvolverem novas terapias para combater doenças causadas por vermes nematódeos e para a cientista chinesa YouYou Tu, que desenvolveu uma nova terapia contra a malária.

Os dois primeiros vencedores dividirão metade dos 8 milhões de coroas suecas do prêmio (US$ 963 mil, aproximadamente R$ 3,8 milhões), enquanto Tu ficará com a outra metade.

A descoberta de Campbell e Omura é uma nova droga, a avermectina, que traz uma grande redução na incidência de oncocercose(a “cegueira dos rios”) causada pelo verme Onchocerca volvulus, e pela filaríase linfática, uma infecção por trás da elefantíase, causada por vermes do gênero Filarioidea.

Tu, por sua vez, descobriu a artemisina, uma droga que combate os plasmódios, que são os parasitas causadores da malária.

nobel_medicina_2015

História dos ganhadores

Campbell, nasceu em 1930 e trabalhou para a farmacêutica Merck na época da descoberta do medicamento, na década de 1970. Hoje é pesquisador emérito da Universidade Drew, de Nova Jérsei (EUA). Omura, que nasceu em 1935, é professor emérito da Universidade Kitasato, de Tóquio. Tu, nascida em 1930, é formada em farmacologia na Universidade Médica de Pequim e é professora-chefe da Academia de Medicina Tradicional Chinesa.

“Essas duas descobertas forneceram à humanidade novos e poderosos meios de combater essas doenças debilitantes que afetam milhões de pessoas anualmente”, é o que afirma o comitê do Nobel num comunicado à imprensa. “As consequências em termos de melhora da saúde humana e redução do sofrimento são imensuráveis.”

TECNOLOGIA EM TRATAMENTOS ODONTOLÓGICOS E COM IMPLANTES, EM SÃO PAULO E SANTOS. ACESSE E CONHEÇA A CLÍNICA BRANEMARK CENTER
www.branemark.com.br

Do golf às farmácias
Omura possuia uma certa expertise em cultivar bactérias do solo. Ao criar milhares de culturas do gênero Streptomyces, conseguiu identificar várias delas que produziam substâncias tóxicas para outros organismos.

Segundo ele, não esperava que sua linha de pesquisa recebesse o Nobel. “Aprendi tanto com os microorganismos e dependi deles, então eu preferira dar o prêmio a eles”, afirmou. “Essa é uma área de pesquisa meio humilde, mas microorganismos são extremamente importantes para os humanos. Eles podem ser nossos parceiros. Espero que a área ganhe mais atenção em razão do prêmio, de forma que possa contribuir mais com os seres humanos.”

Omura contou à agência de notícias Associated Press que a amostra de solo onde encontrou a Streptomyces foi obtida em um campo de golf, esporte que costumava praticar.

Campbell, dando continuidade ao trabalho de Omura, adquiriu as culturas de bactéria para avaliar sua eficiência. Uma das espécies encontradas, a S. avermitilis, produzia a avermectina, capaz de combater diversos parasitas de animais. A substância foi quimicamente modificada para criação da ivermectina, um versão mais eficiente do medicamento, que passou por testes em humanos e se mostrou capaz de matar larvas dos vermes patógenos.

Enquanto Cambell e Omura se voltaram às bactérias para encontrar um medicamento contra os vermes, Tu estudava compostos derivados de plantas que pudessem atacar os plasmódios causadores da malária.

Na época, já se sabia que a erva Artemisia annua às vezes se mostrava eficaz contra o parasita, porém os resultados eram inconsistentes e não se sabia bem por quê.  A cientista chinesa então foi quem isolou a artemisina, o princípio ativo da planta, e demonstrou sua eficiência em animais e humanos na década de 1960.

Até 2005, o nome da descobridora da artemisina não era conhecido pela comunidade científica. Tu encontrou a substância enquanto trabalhava num programa secreto chinês durante as décadas de 1960 e 1970. Sua identidade foi revelada depois que cientistas vasculharam trocas de correspondências do projeto na época e descobrirem seu nome. Em 2011, Tu revelou em entrevista à revista “New Scientist” que foi obrigada a ficar tanto tempo longe da filha para trabalhar em hospitais de campo que uma vez não foi reconhecida por ela quando, passou seis meses fora.

“Estava disposta a sacrificar minha vida pessoal”, afirmou a pesquisadora. “Vi muitas crianças em estágio terminal de malária.”

Fonte: G1

Calendário aulas Professor Dr. Laércio Vasconcelos

O Professor Dr. Laércio Vasconcelos participou em outubro dos congressos da Abross(Academia Brasileira de Osseointegração) em São Paulo e do Sindiodon em Santos.

Em dezembro, particiou do Congresso da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética (SBOE). O congresso foi realizado no Rio de Janeiro.

 

photo

ABROSS – São Paulo – 20/10/2011

 

photo

ABROSS – São Paulo – 20/10/2011

Gentileza fotos: VM Comunicação

 

 

Sindiodon em Santos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IN 2011 – Latin American Osseointegration Congress

IN 2011 chega ao fim fazendo história na Odontologia

O IN 2011 – Latin American Osseointegration Congress, entra para a história da Implantodontia como um dos maiores eventos já vistos dedicados a uma especialidade odontológica. Mais abrangente, de sede nova e com uma programação científica de primeira, o evento estabeleceu um novo marco de integração para a comunidade latino-americana: nas dependências do Expo Center Norte, em São Paulo, cerca de 5 mil participantes, de 623 municípios brasileiros e de outros 11 países (Alemanha, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Estados Unidos, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela).

Sob a presidência de honra de Per Ingvar Brånemark, o descobridor do princípio da Osseointegração, a base da Implantodontia moderna, o IN 2011 contou com uma mensagem de saudação ao público gravada especialmente por ele para o evento: “Sejam bem-vindos a este congresso singular e pioneiro de Osseointegração da América Latina. De acordo com o programa deste congresso, teremos muitos tópicos excitantes. Por favor, apreciem em compartilhar a experiência de algo que tem sido aplicado há mais de 50 anos, mas que é muito novo”, disse o professor sueco. “Se nos lembrarmos que existem milhões de pacientes esperando pelas reconstruções osseointegradas, isso significa que estamos apenas no estágio inicial de testar novas possibilidades”.
Hugo Nary Filho, presidente do IN 2011, fez um balanço do encontro. “Tivemos um número muito grande de ministradores de alta qualidade do Brasil e do exterior, discutindo os temas mais recentes da Implantodontia de uma forma bastante objetiva e conclusiva. Esses temas vão desde novos sistemas de implante até materiais e substâncias que promovem crescimento ósseo e a reconstrução óssea do complexo maxilofacial”.
Na Solenidade de Abertura Oficial, realizada no dia 2 de julho, grandes autoridades da Odontologia nacional e estrangeira estiveram presentes para prestigiar o evento. O IN 2011 teve como patrono Waldyr Janson, especialista em Prótese, Periodontia e Implantodontia, que foi homenageado de forma emocionante durante a cerimônia.
O primeiro dia do evento foi dedicado ao Corporate Session – Ciclo de Conferências sobre Tecnologia Aplicada, no qual as maiores empresas do segmento puderam apresentar suas tecnologias, produtos e soluções no contexto da reabilitação oral com implantes. “Para elaborar a programação do IN 2011, tivemos o cuidado de limitar muito bem a informação apresentada pelas indústrias no primeiro dia. Dessa forma, o congressista pôde observar de maneira crítica as apresentações de cunho comercial”, disse Laércio Vasconcelos, presidente da comissão científica.

Nos três dias seguintes, realizaram-se os cursos de imersão nacionais e internacionais, as mesas-redondas consensus, as conferências especiais, além de outras atividades, como o plantão de dúvidas e as atividades premium. Os temas que se destacaram na programação científica foram regeneração tecidual estética, enxertos ósseos, regeneração óssea, biomateriais, peri-implantite, tratamento de superfícies de implantes, reabilitação pós-exodontia, reabilitação em maxilas atróficas, implantes curtos e inclinados, cirurgia guiada e planejamento em reabilitação oral.
Entre os ministradores internacionais, estavam Franck Renouard, Joseph Kan, Markus Hüzeler, Massimo Del Fabbro, Moshe Goldstein, Paolo Trisi, Sascha Jovanovic, Stephen Chu, Ulf Wikesjö, Zvi Artzi e dezenas de outros renomados professores estrangeiros. Na equipe brasileira, André Zétola, Antonio Carlos Cardoso, Carlos Eduardo de A. Ferreira, Carlos Eduardo Francischone, César Arita, Eduardo Ayub, Glécio Vaz de Campos, Guaracilei Maciel Vidigal Jr., Jan Peter Ilg, Júlio Cesar Joly, Laura Guimarães P. Paleckis, Luis Antonio Violin, Marco Aurélio Bianchini, Mário Groisman, Oswaldo Scopin, Paulo Fukashi Yamaguti, Ricardo Magini, Ronaldo Hirata, Sidney Kina, entre outros. Ao todo, 190 palestrantes deixaram sua contribuição para tornar o IN 2011 mais imponente.
Mais de 80 expositores estiveram presentes na ExpoIN 2011, trazendo ao grande público o que existe de mais novo no mercado, oferecendo cursos e palestras, concretizando bons negócios e estabelecendo novas parcerias.
Para Haroldo Vieira, coordenador executivo do IN 2011, “o encontro que realizamos no Expo Center Norte acabou no dia 5. No entanto, o conteúdo apresentado no IN 2011 continuará sendo debatido e repercutido por muitos meses nos núcleos acadêmicos de pós-graduação, nos centros de desenvolvimento de produtos das indústrias, nas dezenas de cursos que reproduzem as novidades apresentadas em primeira mão e, principalmente, no ambiente clínico, onde as ideias revolucionárias desses grandes pesquisadores se transformam em soluções efetivas para pacientes”.
O evento máximo da Implantodontia latino-americana chega ao seu fim deixando saudades. Vale a pena reservar espaço na agenda para o IN 2013, que vai acontecer na última semana de setembro.

Protesistas do Branemark Osseointegration Center que ministraram cursos no Congresso:

Dr. Daniel Hiramatsu
Graduado e mestre em Reabilitação Oral – Faculdade de Odontologia de Bauru, USP; Membro Adjunto – Clínica Brånemark Osseointegration Center, Santos e São Paulo.
Tema: Planejamento cirúrgico e protético para individualizações múltiplas com implantes pós-enxerto e pós extração
Abordagem: a reabilitação de dentes perdidos por coroas individualizadas sobre implantes é uma tendência que exige um cuidadoso planejamento cirúrgico-protético para sua execução. O objetivo da apresentação será conceituar as etapas e procedimentos das fases cirúrgica e protética que possibilitem, ao final do caso, a individualização das coroas sobreimplantes tanto para casos onde é indicada extração com carga imediata, quanto para casos de restabelecimento da anatomia do rebordo ósseo com enxertos previamente à instalação de implantes.


CN-08
Paulo Fukashi Yamaguti
Especialista e mestre em Prótese Dentária – Faculdade de Odontologia de Araçatuba – Unesp; Doutor em Reabilitação Oral – Faculdade de Odontologia de Bauru – USP; Membro adjunto – Clínica Brånemark Osseointegration Center de São Paulo.
Tema: Reabilitação oral complexa: das próteses transitórias à reabilitação com implantes
Abordagem: as próteses transitórias são executadas na fase do preparo inicial de uma reabilitação oral, na qual se cria o modelo para a reabilitação definitiva com estabilidade da dimensão vertical de oclusão e estética melhorada. As próteses transitórias podem servir também para identificar a real condição de suporte de dentes duvidosos, principalmente em pacientes comprometidos periodontalmente. Nestas situações, o mesmo pode ser compensado por implantes osseointegrados que, no planejamento protético, pode beneficiar o paciente com maior estabilidade, prognóstico favorável e conforto.

Para maiores informações visite o site: www.implantnews.com.br/in2011/

Professor P.I. Branemark recebe prêmio na Europa

No dia 19 de maio, o Professor Dr. P.I. Branemark recebeu mais um prêmio. Desta vez é o prêmio Life Time Achievement Award pelo EPO (European Patent Office). Este prêmio celebra o espírito de invenção com a apresentação da mais alta distinção da Europa para os inventores: o Prêmio de Inventor Europeu de 2011.

O evento aconteceu em Budapeste, Hungria.
Veja todos os detalhes, como filmes e fotos clicando abaixo:

Premio European Inventor Award

Vídeo Professor P.I. Branemark