Extração do dente siso: quando é necessária?

Os dentes sisos, popularmente conhecidos como “dentes do juízo”, são os últimos molares de cada lado dos maxilares, surgindo geralmente entre os 16 e 20 anos de idade. A extração do dente siso é uma questão que preocupa muitos jovens e adultos, principalmente por uma eventual expectativa da dor durante o procedimento. Porém, sabemos que, se feita por um especialista e com procedimento anestésico correto, é uma cirurgia simples e indolor.

Extração do dente siso: quando é necessária

No entanto, é muito importante ressaltar: a extração não é obrigatória em todos os casos. Cada quadro deve ser analisado individualmente pelo dentista.

No post de hoje, você vai compreender quando a extração do dente siso é necessária e como ocorre o procedimento!

Extração do dente siso: avaliação deve ser feita pelo dentista

A extração dos dentes sisos é um procedimento que quando realizado por um profissional capacitado, se torna um simples e indolor, com um pós operatório tranquilo. Mas será que todas as pessoas precisam extrair os famosos dentes do juízo? A resposta é: nem sempre.

 

É de responsabilidade do dentista avaliar o posicionamento dos dentes sisos: nos casos em que a erupção do dente é completa, não prejudica a arcada dentária e possui boas condições de higiene bucal, a extração dos sisos não é necessária e os dentes podem ser preservados.

Extração do dente siso: quando é necessária

Quando a extração do dente siso deve ocorrer?

Os dentes sisos apenas devem ser removidos quando podem apresentar problemas futuros para o paciente. Nesses caso, a extração deve ocorrer o mais cedo possível, pois os dentes não estão com a formação completa da raiz e são mais fáceis de remover.

A extração do dente siso deve ocorrer quando o espaço para seu nascimento não é suficiente. Se, nesses casos, os dentes não são extraídos, poderão ficar inclusos – presos embaixo do tecido gengival por outros dentes ou osso, podendo causar inchaço e dor no local.

A extração é indicada quando o paciente apresenta dores e infecções recorrentes, cistos, tumores, gengivites ou cáries profundas. Porém, é o dentista que deverá avaliar a situação e designar o tratamento adequado para o caso.

Como é feita a extração do dente siso?

Quando considerada necessária pelo dentista, a extração do siso é realizada mediante cirurgia. Geralmente, a anestesia utilizada é a local, ministrada por injeção. Em alguns casos, o uso de sedativos também pode ser autorizado pelo cirurgião-dentista.

Após a área estar devidamente anestesiada, uma incisão é realizada na pele da gengiva, que é deslocada para que o cirurgião-dentista consiga visualizar o siso a ser retirado. Se o dente ainda não erupcionou, o osso que recobre o siso é removido. Por fim, é feita a remoção do dente siso, seguidos de uma sutura.

tempo do procedimento pode variar em cada caso. Geralmente, ao menos 30 minutos são destinados para cada remoção. Extrações mais fáceis podem ser ainda mais breves, demorando cerca de 5 minutos.

É extremamente importante que o procedimento seja realizado em uma clínica Odontológica segura e confiável. Assim, a recuperação torna-se muito mais rápida e indolor ao paciente.

Cuidados após extração do dente siso

Após a extração do dente siso, alguns cuidados devem ser levados em consideração para uma recuperação mais rápida:

  • Dieta líquida nos primeiros três dias, evitando alimentos muito quentes;
  • Utilização correta das medicações indicadas pelo cirurgião-dentista;
  • A escovação dos dentes deve ser realizada suavemente, evitando os dentes vizinhos dos sisos extraídos nas primeiras 24 horas;
  • Não fume nos primeiros sete dias;
  • Visite o cirurgião-dentista após 7 dias para retirada dos pontos.

Facetas dentais na conquista do sorriso perfeito

Você vê a foto de uma celebridade e fica admirada com o sorriso perfeito. Mas isso já é possível graças as facetas dentais, procedimento considerado mais avançado da odontologia estética. Essa técnica devolve dentes mais brancos e alinhados de maneira rápida, podendo chegar perto da perfeição.

As facetas laminadas são personalizadas, ou seja, feitas sobre medida para se encaixar perfeitamente nos dentes. O trabalho do dentista é artesanal e com muita precisão para dar ao dente um aspecto mais natural possível. É indicado para corrigir dentes manchados, desalinhados, desgastados, trincados, irregulares ou anormalmente espaçados.

Facetas dentais na conquista do sorriso perfeito

O resultado é satisfatório e com o novo sorriso, os pacientes recuperam a autoestima e a confiança, pois o sorriso fica bem natural e bonito. Os pacientes quando terminam o tratamento ficam bem emocionados porque em muitos casos, é a realização de um sonho. Tem gente que fica com receio de mostrar o sorriso e após o tratamento, voltam a sorrir com uma facilidade incrível e mudam até o comportamento sobre a satisfação dos pacientes após a realização do procedimento. O importante é conversar bastante com o dentista e acreditar no trabalho do profissional e juntos, fazer um planejamento para ver o tamanho e o formato do novo dente.

Características e tipos de facetas dentais

As facetas laminadas são cerâmicas (próteses) finas coladas na frente dos dentes, com alto poder de resistência à descoloração (manchas) e ao desgaste dental. Foi estudada para ter um comportamento físico, químico e estético semelhante aos dentes naturais. Mas para a sua manutenção e durabilidade, exige uma boa higienização bucal e visita ao dentista regularmente.

Vamos explicar a diferença entre a faceta de resina e a de porcelana, os dois tipos de facetas mais conhecidas:

– Faceta de resina no consultório: é feito dente por dente produzida com um bisnaga de resina, como se fosse uma restauração.

– Faceta de resina prensada no laboratório: o corpo inteiro do dente já vem pronto para fazer a cimentação

Ambas quebram e mancham com mais facilidade e uma durabilidade inferior comparada com a faceta de porcelana.

– Faceta de porcelana ou cerâmica: não mancha, tem uma resistência muito semelhante ao esmalte e a durabilidade é muito maior

O procedimento é o mesmo entre os três tipos de facetas, mas a faceta da porcelana é muito melhor pelas qualidades do material que ela possui.

Saiba como funciona a cirurgia de implantes dentários

Como funciona a cirurgia de implantes dentários

Não é segredo para ninguém que um belo sorriso está diretamente ligado à autoestima. A saúde bucal tem um impacto enorme na qualidade de vida e, por isso, merece atenção. Se você deseja aprimorar esse aspecto e busca informações sobre cirurgia de implantes dentários, vale a pena conferir as dicas que reunimos neste artigo.

A verdade é que uma cirurgia de implantes dentários envolve diferentes etapas – e cada uma delas é muito importante para garantir um resultado final excelente. Antes do procedimento, em si, é indispensável contar com o auxílio de profissionais capacitados para analisar o seu caso em particular.

Cerca de 98% dos implantes dentários têm ótimo resultado final. Mas, com o intuito de assegurar o sucesso da cirurgia, são necessárias algumas etapas de observação e alinhamento das expectativas do paciente. Quer entender melhor como funciona o processo?

Abaixo, explicaremos cada uma das etapas!

 implantes dentários em, Santos

Procedimento de implantes dentários: a preparação

A primeira e mais importante etapa da cirurgia de implante dentário é o planejamento prévio. Nessa fase, nós tentamos descobrir quais os objetivos e desejos do paciente e quais as reais possibilidades de trabalho que existem.

A colocação do implante é sempre feita após um estudo no computador do tipo de osso do nosso paciente, através da tomografia computadorizada. A partir dela, é selecionado o modelo e tamanho do implante dentário. Atualmente, existem diferentes tamanhos que podem ser utilizados em diferentes situações.

A partir do momento em que é determinado o tamanho do implante para aquele paciente, são utilizadas brocas de mesmo tamanho para preparar a região que vai receber o implante dentário. Aí é que entra a habilidade do cirurgião para colocar o implante no lugar e angulação ideal, pois ele deverá ficar ali por muito tempo – quem sabe, até para o resto da vida.

A cirurgia para colocar implantes dentários não é um processo complicado. Com as atuais técnicas e sem imprevistos, a instalação de um implante leva, normalmente, de 20 a 30 minutos. O procedimento pode ser realizado no próprio consultório do dentista com anestesia local e o paciente não sente dor em nenhum momento.

cirurgia de implante dentário

3 etapas da cirurgia de implante dentário

De modo geral, são três as fases englobadas no processo de colocação dos implantes dentários. A seguir, explicamos em detalhes cada uma delas:

Fase Cirúrgica

Geralmente, é considerada uma cirurgia de pequeno porte. Utiliza-se uma anestesia local para que o paciente não sinta qualquer tipo de dor ou incômodo durante o processo. O procedimento consiste em uma pequena incisão na gengiva, com a finalidade de expor o leito ósseo.

O dentista precisa ter bom acesso à região para instalar o implante dentário corretamente. Em seguida, são utilizadas pequenas brocas para fazer a perfuração do osso. O processo é realizado de forma a expandir progressivamente a cavidade para que possa receber o implante do tamanho selecionado pelo dentista.

O implante é inserido na cavidade e recebe uma tampa de proteção. Por fim, é realizada uma sutura da região.

Fase de reabertura e moldagem

Esta fase é ainda mais simples que a primeira e ocorre de três semanas a seis meses após a primeira fase, dependendo do tempo de osseointegração do implante e da marca do implante utilizado.  Essa fase tem como objetivo reabrir caminho para que os implantes possam, em breve, receber as próteses dentárias.

A cicatrização nessa fase é bastante previsível e tranquila. A cicatrização gengival é algo muito importante para que haja sucesso estético na colocação das próteses dentárias.

Colocação das próteses

Assim que a gengiva se recupera plenamente, as próteses são enfim confeccionadas e colocadas nos implantes dentários dos pacientes. Dificilmente, um implante é perdido após sua colocação. As próteses geralmente levam de duas a três sessões para serem concluídas.

A estética e funcionalidade das próteses sempre devem ser os objetivos principais neste momento para o sucesso total de qualquer reabilitação oral.

Implantes dentários, a evolução da odontologia

Implantes dentários, a evolução da odontologia

Os implantes  dentários representam uma verdadeira revolução na odontologia. Eles podem suportar a colocação de dentes artificiais da mesma forma que as raízes naturais, além de representarem uma ótima alternativa para as dentaduras, que se deslocam e causam muito desconforto.

Os implantes dentários devolvem a capacidade de mastigação dos alimentos e aumentam a confiança do paciente para falar e sorrir, recuperando sua autoestima. Mas, para garantir seu sucesso, a cirurgia deve ser feita por um dentista especializado em Implantodontia, que possua experiência e conhecimento na área para determinar o melhor tratamento para cada paciente.

Para ter um ótimo pós-operatório, as pessoas que passarem por esse procedimento devem seguir as orientações do profissional rigorosamente.

Tire suas dúvidas sobre implante dentário. Perguntas e respostas sobre o tratamento

O medo de sentar na cadeira do dentista assombra muita gente! Quando se trata do procedimento de colocação de implante dentário, esse receio aumenta. Mas será que fazer implante dentário dói?

Para responder a essa e outras dúvidas, leia atentamente este artigo e descubra como é feito o implante dentário e por que é uma tecnologia tão indicada para substituir dentes que foram extraídos ou perdidos.

Tire suas dúvidas sobre implante dentário

Tire suas dúvidas sobre implante dentário

1. O que é um implante dentário?

A evolução das técnicas da Odontologia é sempre pensada em termos de bem-estar e qualidade de vida do paciente. O implante dentário é um exemplo disso: por meio dele, é possível substituir os dentes extraídos ou perdidos, devolvendo, além de um sorriso bonito, as funções naturais de mastigação e fala.

O implante nada mais é que um parafuso, feito de titânio, que funciona como a raiz do dente e, por isso, é colocado no osso da mandíbula ou maxilar. Em cima dele, vai a coroa, que tem a aparência de um dente natural.

benefícios do implante dentário

2. Quais são seus benefícios do implante dentário?

Além dos benefícios estéticos, o implante pode proporcionar uma vida normal para o paciente, que não terá mais problemas com a fala e mastigação. Logo, ficará livre de doenças gastrointestinais, porque consegue processar os alimentos da forma correta.

Outra vantagem é que ele conseguirá sentir o sabor real dos alimentos e, dessa forma, pode se alimentar corretamente.

Ao contrário das dentaduras (próteses móveis), os implantes não causam desconfortos por problema de encaixe, nem insegurança na hora de comer, sorrir ou falar. Isso porque eles ficam fixos e integrados ao osso, trazendo um conforto enorme para o paciente.

Por último, sua colocação pode ter um preço acessível, conseguindo atender todos que precisam desse tratamento. Procure uma clínica especializada 

benefícios do implante dentário

O medo do dentista ainda persiste na cabeça de muitas pessoas. Seja por uma experiência desagradável no passado, seja pelas histórias de alguém próximo, tratar os dentes pode ser motivo de pânico.

Por isso, a preocupação com a colocação de implantes dentários é grande. Será que vai doer?

Para realizar o procedimento, é necessário fazer uma cirurgia. Assim, a preparação inclui uma série de exames, como radiografias e tomografia para que tudo seja feito sem contratempo.

Se houver outros problemas na boca, como cáries, inflamações ou necessidade de canal, tudo será realizado antes do implante.

benefícios do implante dentário

Anestesia

Mas calma! Não é porque o paciente vai se submeter a uma cirurgia que será dolorido. A colocação do implante é feita no próprio consultório. O paciente recebe uma anestesia local, a mesma aplicada para qualquer outro procedimento odontológico e, por isso, não sentirá dor.

A parte mais complexa é quando o cirurgião-dentista abre a gengiva. Porém, quando ele chega no osso, não tem como ser dolorido, visto que ele não possui nervos.

Todas as etapas são realizadas com anestesia e seu dentista acompanha seu estado para que tudo seja feito de forma tranquila.

Sedação consciente e cirurgia ambulatorial

Para evitar desconforto, medo ou ansiedade, a Vasconcelos Odontologia dispõe de sedação, monitorada e acompanhada por um médico anestesista. A cirurgia ambulatorial em implantodontia tornou-se uma prática comum em função do desenvolvimento de equipamentos sofisticados e adequadas técnicas cirúrgicas, além do surgimento de medicamentos de rápida eliminação e com efeitos colaterais mínimos.

A Vasconcelos Odontologia foi classificada como “unidade ambulatorial tipo II”, caracterizada como estabelecimento de saúde, independente do hospital, destinado à realização de procedimentos cirúrgicos de pequeno e médio porte, em nível ambulatorial, em salas cirúrgicas adequadas a essa finalidade, sob anestesia locorregional, com ou sem sedação.

A vantagem do implante é que não é necessário o desgaste de outros dentes para a sua colocação.

Para se ter uma ideia, a extração de um dente é mais complexa do que a colocação do implante tanto para o paciente quanto para o dentista.

Enxerto ósseo

Quando o paciente não possui uma estrutura óssea que consiga sustentar o implante, é necessário colocar o enxerto ósseo. Novamente, você deve estar pensando: “Mas dói para colocar o enxerto ósseo?”

Essa é uma etapa anterior à colocação do implante e também é realizada no consultório com cirurgia e anestesia.

Para formar a estrutura óssea que consiga ser forte e tenha espessura para receber o implante, o cirurgião-dentista pode utilizar um material sintético ou um osso do próprio paciente da área do queixo ou maxilar.

Depois de realizado o enxerto, é necessário esperar de 4 a 6 meses, dependendo do caso, para que haja a cicatrização e o implante consiga ser colocado sem nenhum problema.

Pós-operatório

Outra dúvida de muita gente é a dor no pós-operatório. Novamente, não há o que temer! Basta tomar os medicamentos prescritos pelo dentista (analgésicos e anti-inflamatórios) e utilizar bolsas de gelo para amenizar o inchaço e tudo transcorrerá sem dor.

A recomendação é que o paciente fique em repouso no dia do procedimento. Depois, pode voltar às atividades corriqueiras sem exagerar.

Outro cuidado importante é com a alimentação, que deve ser líquida ou pastosa e fria para que o paciente não force a região do implante com a mastigação.

 

4. Todo mundo pode por um?

Praticamente todas as pessoas podem colocar um implante dentário desde que já tenham a estrutura de dentição completamente desenvolvida.

Há contraindicações para alguns casos clínicos, como cardiopatias, diabetes e câncer, mas tudo isso pode ser conversado entre médico e dentista para saber se há possibilidade de fazer o procedimento.

Em fumantes, as taxas de sucesso do implante podem ser menores.

Quando devo colocar o implante dentário?

5. Quando devo colocar o implante dentário?

Em caso de perda de um ou de vários dentes, o ideal é que o cirurgiã-dentista especializado em Implantodontia seja procurado rapidamente. Quando mais rápido o implante for feito, mais fácil e tranquilo será todo o procedimento.

Isso porque, na ausência do dente, a estrutura óssea do maxilar ou mandíbula tende a atrofiar. Nesse caso, antes da colocação do implante, torna-se necessário o enxerto ósseo como explicamos acima.

6. Meu corpo pode rejeitá-lo?

O implante é revolucionário porque, além da estética e qualidade de vida que proporciona ao paciente, tem altas taxas de sucesso.

O organismo não vai considerá-lo um corpo estranho, visto que ele é feito de titânio, um material biocompatível. Dessa forma, ele acaba se incorporando ao osso como se fizesse parte do corpo, num processo que é chamado de osseointegração.

Se você não procura um dentista porque acha que o implante dentário dói, já viu que pode ficar sossegado, fazer o tratamento e voltar a sorrir sem ter vergonha! A Odontologia, em especial a Implantodontia, evolui a cada dia, pensando sempre no bem-estar do paciente

Tire suas dúvidas sobre o momento de colocar um implante dentário

implante dentário é colocado através de “pinos”, semelhantes  a pequenos parafusos. Eles são instalados para substituírem dentes que foram perdidos ou que precisaram ser extraídos. Este é um procedimento que necessita muito cuidado e preparação, para que ocorra tudo bem.

Tire suas dúvidas sobre os cuidados o momento de colocar um implante dentário. Confira  5 dicas essenciais para que o seu tratamento aconteça da melhor forma!

1) Implante dentário oferece uma boa saúde bucal

Um dos fatores que mais comprometem a reabilitação oral por meio dos implantes são as doenças periodontais. A inflamação das gengivas e dos ossos são as principais causas de dificuldades na hora de fazer implantes. O dentista não pode realizar o procedimento se a boca do paciente não estiver em condições adequadas. Assim, a primeira providência antes de fazer implantes dentários é cuidar da saúde bucal.

Implante dentário oferece uma boa saúde bucal

2) Procurar um profissional especializado para realizar implante dentário

Um grande fator de sucesso dos implantes dentários é o planejamento. Para que isso seja feito com toda precisão necessária, é essencial consultar um profissional especializado. O implantodontista fará uma análise clínica para verificar as suas condições de saúde bucal. Depois, ele solicitará uma série de exames de imagens como radiografia panorâmica e tomografia computadorizada. Caso não sinta segurança no profissional, vale buscar outra avaliação.

3) Mantenha hábitos saudáveis

Uma boa saúde bucal e um profissional experiente não são as únicas garantias de que o seu implante será um sucesso. Hábitos e comportamentos que comprometem sua saúde também podem provocar problemas no tratamento. Uma das principais consequências está na cicatrização. Por isso, fumantes, cardiopatas e diabéticos precisam de atenção redobrada.

Os dentistas evitam realizar implantes dentários em fumantes, diabéticos e pessoas que tenham doenças do coração não controladas, pois elas afetam a cicatrização, comprometendo o sucesso do implante. Não esqueça que todos os tipos de implantes dentários estão fundamentados na técnica de integração óssea. Por isso uma boa cicatrização é fundamental para o sucesso do tratamento.

Quanto mais cedo, melhor realizar o implante dentário

4) Quanto mais cedo, melhor realizar o implante dentário

Para deixar o implante dentário com aspecto mais natural é importante realizar o procedimento assim que o dente é extraído. Quando a raiz do dente é extraída, o osso ao qual ficava presa, perde função e acaba sendo reabsorvido pelo organismo. Funciona da mesma forma, por exemplo, quando um paciente passa muito tempo deitado e atrofia a musculatura. O resultado é um rosto deformado e maior complexidade no procedimento para colocar o implante.

Quanto mais cedo, melhor realizar o implante dentário

5) Higiene Bucal sempre

Antes de realizar um implante dentário é importante realizar uma boa higiene bucal com escovação cuidadosa, uso do fio dental e bochecho com enxaguante bucal. Esta dica parece banal, mas depois da cirurgia, bochecho, por exemplo, está proibido até cicatrização total.

Depois do procedimento, a higiene bucal continua sendo igualmente importante. Compre uma nova escova de dente macia e sempre escove os dentes com cuidado. Se por alguma razão, você sentir algum tipo de amolecimento, procure imediatamente o dentista.

Perda óssea dentária: saiba o que é e como evitar

Você sabia que a falta de cuidados com a higienização bucal pode ocasionar a perda óssea dentária? Isso mesmo, apesar de escondido pelo tecido gengival, o osso alveolar — que protege a raiz dos dentes — pode ser afetado por bactérias.

É um problema que acomete mais os idosos, por conta do desgaste ósseo característico da idade avançada. Porém, pessoas mais jovens precisam ficar atentas à limpeza bucal regular e adequada para evitar essa situação.

Vamos explicar o que é a perda óssea dentária, quais os sinais que ela dá, os tratamentos que a Odontologia oferece e como se prevenir do problema.

 

O que é perda óssea dentária?

Para entender esse quadro, é importante conhecer as estruturas da cavidade oral: o dente é dividido em coroa (a parte branca que você vê) e raiz (menor, de coloração amarelada e que fica protegida pelo tecido ósseo alveolar e pela gengiva).

O tecido ósseo alveolar, portanto, garante a sustentação do dente e sua resistência na hora da mastigação. A perda óssea dentária ocorre quando esse suporte ósseo diminui, situação grave que pode trazer sérios prejuízos, como a perda do dente.

Como prevenir a perda óssea dentária?

Quais as principais causas?

Algumas doenças, como osteoporose e diabetes, podem ser fatores de risco para o problema, bem como a idade avançada.

Entretanto, a perda óssea dentária é decorrente da higienização oral incompleta. Quando os restos de alimentos não são eliminados, há a proliferação de bactérias que vão provocar a cárie e inflamação das gengivas (gengivite).

Como prevenir a perda óssea dentária?

Quando a gengivite avança, atinge a estrutura de sustentação do dente (periodonto) — o que provoca a periodontite, um quadro mais sério que pode resultar na perda óssea dentária.

O problema é que, muitas vezes, o paciente não sente dor e não procura o dentista rapidamente, somente quando a doença está mais avançada, comprometendo o suporte ósseo.

Como prevenir a perda óssea dentária?

Dentes desalinhados

Outra causa para a perda óssea dentária é o desalinhamento dos dentes: na arcada com dentes tortos fica mais fácil o acúmulo de alimentos, o que dificulta a limpeza, situação que pode provocar cáries e inflamações.

Quais as consequências da perda óssea dentária?

Nessa situação, a gengiva se retrai, o que dá a sensação de dentes mais alongados. O paciente também tem sangramento gengival, hipersensibilidade — porque as raízes ficam expostas — e mau hálito. Além disso, o risco de cáries é maior.

Como essa perda compromete o equilíbrio de forças da estrutura dental, os dentes podem se movimentar, trazendo problemas para a estética, mastigação e até fala.

Por fim, quando a perda óssea não é tratada, o paciente pode perder o dente.

Quais são os tratamentos para perda óssea dentária?

O tratamento odontológico varia de acordo com a severidade da perda óssea dentária. Para casos mais brandos, o dentista realiza a descontaminação da região afetada e verifica se está tudo em ordem com o exame clínico e raio-X.

Em situações mais complexas, é necessário fazer a reconstrução óssea por meio de uma cirurgia — o dentista faz a limpeza da raiz do dente e coloca um material biocompatível que consegue formar um novo osso e os ligamentos da região periodontal.

Como prevenir a perda óssea dentária?

Como prevenir a perda óssea dentária?

Não tem segredo: é importante realizar a escovação completa sempre após as refeições e antes de dormir. É preciso ter certeza de que todos os resíduos de alimentos foram retirados. Por isso, o uso do fio dental é um grande aliado. E ir até o dentista para checar se está sendo feito corretamente é fundamental pois, muitas vezes o paciente “acha” que está fazendo o certo mas, está apenas limpando parcialmente os dentes e permitindo a evolução da doença.

Para evitar o desgaste dos dentes e danos à gengiva, utilize uma escova com cerdas macias e faça movimentos suaves.

Além disso, é essencial visitar o dentista regularmente para fazer a prevenção e manter o sorriso sempre saudável. E, se você tiver dentes desalinhados, não perca tempo e faça o tratamento ortodôntico.

É preciso ficar atento à cavidade bucal em geral porque um problema sério como a perda óssea dentária pode ficar escondido e provocar consequências sérias para sua saúde. A dica é ser extremamente disciplinado com a higienização bucal e visitar o dentista regularmente!

Prótese dentária móvel ou fixa: qual é a ideal para você.

A diferença entre prótese dentária móvel ou fixa pode confundir os pacientes em tratamento com relação às indicações, vantagens e problemas de cada técnica. Que tal entender um pouco mais sobre o assunto através das discas de um especialista no assunto?

 

Prótese dentária móvel ou fixa, as diferenças vão muito além do preço do tratamento.

O tratamento com próteses dentárias difere de outros procedimentos odontológicos por exigir do paciente escolhas – quase sempre, rápidas – envolvendo técnicas e materiais. Entretanto, é a seleção entre prótese dentária móvel ou fixa a que mais pode confundir pelas diferenças no preço, durabilidade e, principalmente, nos resultados estéticos e de conforto.

A seleção entre dispositivos protéticos fixos ou móveis deveria levar em consideração apenas a funcionalidade e resultados estéticos. – mas não é bem assim que as coisas acontecem. Fatores adversos como custos, tempo de tratamento e fobias a procedimentos cirúrgicos ainda pesam na hora de selecionar a técnica e material mais apropriados. Um problema que poder solucionado com informações mais aprofundadas sobre o assunto.

Prótese dentária móvel ou fixa

Implantes dentários podem eliminar desgastes dentários na técnica fixa.

Existem duas técnicas para fixar próteses dentárias nos tratamentos com prótese dentária fixa: sobre dentes naturais ou sobre implantes ósseointegrados. Na primeira, mais antiga e utilizada, dá-se mediante desgastes dentários ou instalação de pinos protéticos em dentes vizinhos à área a ser reabilitada. Em algumas situações, esta pode ser a técnica ideal, principalmente se o procedimento em andamento é a troca de pônticos ou coroas dentárias em porcelana já existentes.

 

Uma das vantagens do tratamento com prótese dentária fixa sobre implantes é dispensar o uso de dentes naturais como suporte para os dispositivos protéticos. Além de evitar desgastes preparatórios e instalação de pinos protéticos, a técnia pode facilitar a higienização dos dentes em muitas situações, como nos procedimentos com pônticos dentários múltiplos.

Diferenças nos resultados estéticos são cada vez mais discrepantes.

A cada ano, novos materiais para tratamentos com próteses dentárias fixas são introduzidos para melhorar ainda mais a durabilidade e resultados estéticos. São o caso, por exemplo, das novas porcelanas odontológicas e da zircônia, esta um óxido de alta resistência e estética com múltiplas indicações para tratamentos com próteses dentárias livres de metal.

Os resultados estéticos das próteses dentárias fixas em porcelana atuais são tão elevados que pode ser impossíveis de distinguir até mesmo das lentes de contato dental e facetas laminadas – referências em técnicas para transformações de impacto. E como consequência destes avanços, as diferenças de qualidade entre as técnicas com prótese dentária móvel ou fixa são cada vez maiores. É preciso, portanto, colocar na balança todos os prós e contras para que a seleção de técnica seja a mais apropriada.

 

Transformações de impacto do sorriso já estão disponíveis na técnica fixa.

Transformações de impacto do sorriso com lentes de contato dental e facetas laminadas são famosas pelas modificações marcantes em dentes de artistas e famosos. Um dos segredos desta técnica está na porcelana (cerâmica) utilizada: além de resistente, traz cores e transparências naturais e deslumbrantes. A evolução mais recente destas cerâmicas é a possibilidade para utilizá-las em próteses dentárias fixas – o que  mudou tudo nas reabilitações orais complexas.

As novas cerâmicas feldspáticas reforçadas ou sobre zircônia, aplicadas seja na técnica individual (coroa dentária), unida em pônticos para reabilitar áreas com alguns dentes ausentes ou mesmo para reabilitar arcadas totalmente desdentadas (prótese dentária tipo protocolo), trazem resultados estéticos de impacto semelhantes a laminados cerâmicos como lentes de contato dental e facetas laminadas. Uma revolução em termos de harmonia do sorriso para dispositivos protéticos fixos.

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Situações em que a prótese móvel ainda vale a pena.

A substituição de dentaduras e pontes móveis pela técnica fixa é a melhor recomendação para resultados mais estéticos e confortáveis. Entretanto, quando o preço é o fator que mais pesa na hora de decidir entre prótese dentária móvel ou fixa, é preciso estar atento a alguns detalhes para evitar problemas mais sérios no futuro como perdas dentárias, reabsorção óssea severa e limitações estéticas severas.

Conheça algumas condições anatômicas, fisiológicas e psicológicas necessárias para o uso de prótese dentária móvel sem riscos potenciais à saúde do seu portador:

 

Dentaduras (prótese total):

 ✓ baixa expectativa para resultados estéticos;

✓ osso em contato com as bases acrílicas em altura e largura suficientes;

✓ gengivas (e mucosas) resistentes e livres de hiperplasias traumáticas (crescimento excessivo);

✓ força e motricidade favorável dos músculos da mastigação;

Ponte móvel (prótese parcial removível):

✓ baixa expectativa para resultados estéticos;

✓ dentes de apoio para grampos em excelente estado periodontal;

✓ força e motricidade favorável dos músculos da mastigação;

✓ presença de dentes posteriores para apoio dos grampos;

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Quando a prótese dentária fixa é o tratamento ideal.

A escolha entre prótese dentária móvel ou fixa é, na maioria das vezes, de natureza financeira. De fato, os custos envolvidos em procedimentos fixos são mais elevados, principalmente os que reabilitam áreas com perdas dentárias através de enxertos ósseos e implantes dentários.

A opção pelo tratamento fixo, quando o preço não é o fator que mais conta, é a primeira opção para a quase totalidade dos procedimentos com próteses dentárias, seja ela fixa ou móvel. Veja algumas condições em que a prótese dentária fixa é a escolha ideal mesmo levando-se em contao os custos mais elevados da técnica:

✓ próteses fixas unitárias (coroas ou jaquetas dentárias);

✓ expectativa elevada para resultados estéticos;

✓ procedimentos protéticos combinados com lentes de contato dental e facetas laminadas;

✓ gengivas e dentes de suporte inadequados para dispositivos protéticos móveis;

✓ fobias a procedimentos cirúrgicos e implantodônticos;

✓ limitações motoras para fonação e mastigação com dispositivos móveis.

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Trocando próteses removíveis por fixas.

Trocar dentaduras e pontes móveis por próteses dentárias fixas sobre implantes ou dentes naturais é um procedimento que requer cuidados. O primeiro deles é preparar-se adequadamente para a fase com provisórios, um parte essencial do tratamento que pode levar a desconfortos mastigatórios – principalmente durante a substituição de dentaduras.

O tempo de tratamento para substituir próteses dentárias removíveis por implantes dentários é sensível ao uso de enxertos e implantes dentários – o que, em determinadas condições, requer entre 4 a 8 meses até que tudo esteja pronto.

Já os procedimentos que substituem dispositivos móveis por fixos, o tempo de tratamento dá-se entre 3 a 12 semanas, dependendo da extensão da reabilitação oral planejada – características que impactam na seleção entre a prótese dentária móvel ou fixa.

 

Próteses fixas: diversos materiais para resultados mais estéticos e duráveis.

As alternativas técnicas e novos materiais para procedimentos com próteses dentárias fixas aumentam a cada dia, trazendo soluções cada vez mais personalizadas. Conheça os principais tipos de materiais e combinações técnicas disponíveis na construção de dispositivos protéticos fixos:

Prótese dentária metalocerâmica

Além de mais antiga, é a técnica mais utilizada para recuperar dentes cariados ou fraturados ou reabilitar áreas com dentes perdidos. Fixa sobre dentes naturais ou implantes dentários, o dispositivo é construído com uma camada de porcelana odontológica que reveste um núcleo estrutural metálico. As vantagens ficam por conta do custo mais baixo do tratamento; já as desvantagens devem-se a problemas como alergias inflamatórias ao metal, gengivas acinzentadas e resultados estéticos limitados.

Prótese dentária em porcelana pura

Utilizando cerâmicas odontológicas modificadas que dispensam estruturas internas de reforço como metais ou zircônia, a prótese dentária em porcelana pura é indicada nas transformações de impacto do sorriso em procedimentos que combinam múltiplas técnicas como lentes de contato dental, facetas laminadas e coroas em porcelana pura.

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Prótese dentária em porcelana sobre zircônia

A zircônia é um óxido de alta resistência desenvolvido para eliminar o metal presente em próteses dentárias fixas convencionais. E os resultados são excelentes: além de mais estética, a técnica elimina problemas como o acinzentamento de gengivas ou a necessidade para trocas imediatas em dentes com retração gengival associada à borda de dispositivos protéticos fixos. Esta técnica também está disponível para tratamento com dentadura fixa sobre implantes dentários.

Prótese dentária em zircônia pura

Técnica recente, a prótese dentária em zircônia é uma alternativa mais para dispositivos protéticos sem metal. Apesar da elevadíssima durabilidade e baixos custos, os dispositivos protéticos entregam estética final inferior às técnicas com porcelana pura ou porcelana sobre zircônia.

 

Prótese dentária móvel ou fixa:

Próteses móveis: opções de materiais e fixação.

A seleção entre prótese dentária móvel ou fixa requer atenção com relação às técnicas para suporte dos dispositivos protéticos. Isso porque, na técnica removível, o suporte dá-se sobre dentes e gengivas que podem ser prejudicados ao longo dos anos. Conheça as técnicas mais utilizadas no tratamento com prótese dentária removível, de acordo com a retenção ou tipo de material utilizado na sua confecção:

Dentadura (prótese total)

Técnica tradicional para reabilitar arcadas com todos os dentes perdidos, traz limitações estéticas e mastigatórias que aumentam com o passar dos anos. As trocas deste tipo de dispositivo devem ser feitas a cada quatro anos para evitar o aumento na velocidade da reabsorção do osso em contato com as bases da prótese total.

Prótese parcial removível (ponte móvel)

Assim como a dentadura, o tratamento com prótese dentária removível é uma técnica antiga e ainda muito utilizada. Os problemas ficam por conta da estética limitada pelas armações e grampos metálicos e riscos para danos irreversíveis nos dentes que suportam o dispositivo, como fraturas e extrações dentárias.

Prótese removível com grampo estético

Confeccionada com material flexível, é a técnica ideal para eliminar problemas estéticos decorrentes dos grampos metálicos presos em dentes em áreas estéticas. Ao contrário do que se imagina, este tipo de dispositivo protético não é mais confortável ou durável do que a técnica tradicional com metal. Outro ponto que requer atenção é o maior tempo de adaptação a este tipo de dispositivo comparado às técnicas tradicionais.

Prótese removível com encaixe

São dois os objetivos desta técnica: eliminar grampos metálicos e melhorar a retenção e eficiência mastigatória das próteses removíveis. Indicada para arcadas cujos dentes remanescentes estão localizados na região anterior, tem preço mais elevado pela necessidade de tratamento combinado com coroas protéticas fixas em porcelana.

 

Prótese removível flexível

A prótese dentária flexível é semelhante ao dispositivo com grampos estéticos. As diferenças ficam mesmo é por conta dos materiais mais flexíveis. Já as desvantagens e limitações são semelhantes às próteses com grampos estéticos – motivo que requer cautela na indicação deste tipo de dispositivo protético móvel.

 

 

 

Implante dentários: 10 principais dúvidas que você precisa saber

O implante dentário é um tratamento que traz muitos benefícios para as pessoas, afinal, ele melhora a saúde bucal, a estética do sorriso e a autoestima das pessoas. E, apesar de muita gente buscar essa solução, ainda há muitas pessoas que têm certo receio sobre os implantes.

São muitas as dúvidas que ainda existem sobre implante dentários, e, para ajudar a sanar as principais delas, preparamos esta lista com as respostas para as questões mais frequentes sobre o implante dentário. Confira:

1. É verdade que um implante dentário é um parafuso colocado no osso?

Basicamente, sim. O implante dentário é um parafuso ou um pino metálico que é afixado ao tecido ósseo e que com o tempo integra-se a ele. Porém, não se trata de um parafuso qualquer, mas sim de um modelo especificamente fabricado para ser utilizado na sustentação de dentes protéticos.

Implante dentário: O pino é fabricado em titânio, um metal que não oferece o risco de rejeição orgânica.

2. Do que é feito um implante dentário?

Na verdade, o implante é o pino metálico que é fixado ao osso — embora muita gente o enxergue como sendo o dente em si. O pino é fabricado em titânio, um metal que não oferece o risco de rejeição orgânica.

Esse pino metálico serve como encaixe para a prótese (coroa protética), que terá o formato do dente do paciente. Ela é fabricada em resina ou em porcelana.

3. Quem pode ter um implante?

Qualquer pessoa que tenha dentes faltosos, uma boa saúde bucal e condições orgânicas pode ter um implante dentário. Ele não é indicado apenas para gestantes, quem está fazendo tratamento de quimio ou de radioterapia e em caso de hepatite ou de osteoporose.

Os fumantes também devem ter cuidado, uma vez que o tabaco pode interferir na cicatrização e impedir a fixação correta do pino. No entanto, não é contraindicado — apenas pode prejudicar o tratamento.

O implante dentário é indicado para quando há dentes faltosos na boca

4. Para quais casos esse tratamento é indicado?

O implante dentário é indicado para quando há dentes faltosos na boca e o paciente apresente boas condições orgânicas para fixação do pino. Podem ser repostos tanto os dentes posteriores como os anteriores.

5. O implante incomoda ou dói?

Depois de passado o período pós-operatório, o paciente terá uma vida normal. Ele não vai sentir dor ou incômodo na boca nem perceberá que o implante está ali.

Isso porque o tecido ósseo se recompõe e envolve o pino de titânio que passa a fazer parte da estrutura de sustentação, como se fosse a raiz natural de um dente.

6. Com um implante posso comer de tudo?

O pino de titânio em si é forte o suficiente para suportar qualquer tipo de alimento. No entanto, ele é recoberto pela coroa, e essa exige um pouco mais de cuidado.

Para maior segurança ao comer, o paciente pode preferir a coroa de porcelana, que é mais resistente do que a de resina.

7. Existe alguma preparação para a cirurgia?

Assim como todo procedimento cirúrgico, a colocação de um ou mais implantes também exige um pré-operatório. Na maioria das vezes, ele é feito apenas com exames que vão atestar a segurança no procedimento.

No mais, como cada caso é diferente, quem pode indicar o melhor pré-operatório é o cirurgião dentista responsável pelo paciente. Ele poderá avaliar alguma necessidade especial e indicar a melhor forma de se preparar para a cirurgia.

8. Vou sentir dor no pós-operatório?

Devemos considerar que a colocação de um implante dentário é uma cirurgia relativamente simples, mas, ainda assim, uma cirurgia. Exceto em casos muito específicos, não é necessária nem mesmo a internação.

No entanto, ainda assim, o pós-operatório pode causar alguns desconfortos, como inchaço, sangramentos e dores moderadas. Mas o especialista receitará medicamentos que vão garantir o conforto do paciente e a melhor recuperação possível.

É fundamental seguir todas as indicações e recomendações do especialista nessa fase. Isso porque o pós-operatório é o momento em que o corpo estará se adaptando à sua nova condição. E, para que essa etapa seja um sucesso, é fundamental tomar cuidados.

Algumas recomendações comuns para o pós-operatório ser bem-sucedido são:

  • ingestão de alimentos leves e que não exijam mastigação no começo da recuperação;
  • evitar alimentos muito quentes;
  • ingestão de muita água;
  • evitar dormir apoiado sobre o lado do implante;
  • evitar a exposição ao sol;
  • realizar uma higiene bucal delicada.

Clinica especializada em implante dentário em São Paulo

9. Existe algum risco?

Quando o paciente está com boa saúde, opta por uma boa clínica e segue as recomendações do especialista, as chances de ter algum efeito negativo nessa cirurgia são mínimas.

No entanto, como todo procedimento cirúrgico, pode existir o risco de alguma complicação no pós-operatório. Uma inflamação é um exemplo. Por isso, é fundamental seguir as recomendações do cirurgião.

O procedimento é feito com anestesia local e, por isso, o paciente não sentirá os efeitos colaterais que uma anestesia geral poderia causar. Ele é liberado no mesmo dia, e somente precisa repousar em casa.

Por ser simples é que o tratamento de implantes é muito procurado, afinal, os benefícios que oferece são muito maiores do que os pequenos incômodos que a cirurgia pode causar.

10. O implante pode dar errado?

A taxa de sucesso dos implantes dentários é muito alta. No entanto, o procedimento pode dar errado em casos específicos, como os fumantes e a sua dificuldade de cicatrização.

Se o paciente não tomar os devidos cuidados no pós-operatório ou a medicação de forma correta, as chances de algo dar errado também existem. No caso de se alimentar da forma errada, por exemplo, isso pode interferir na cicatrização, impedir que o pino se mantenha no local certo e fazer com que ele se solte.

Sendo assim, na grande maioria das vezes, o insucesso acontece somente se não houver a cooperação mútua entre o especialista e o paciente. Se ambos seguirem corretamente o papel que lhes cabe, o resultado será muito positivo.

Muita gente tem medo, mas o implante dentário não é um bicho de 7 cabeças. É um procedimento simples, seguro, rápido, com alta taxa de sucesso e muito benéfico. Afinal, quem não deseja ter um sorriso bonito e completo? Ele traz qualidade de vida, faz bem para a saúde e também para a autoestima!

Sedação consciente é eficiente para eliminar o medo de dentista

 

Pedida por muitos pacientes, a sedação consciente é eficiente para eliminar o medo de dentista que várias pessoas ainda tem.

Esse método de sedação é indicado para todos os perfis de paciente, desde crianças até idosos. Inclusive é altamente recomendado para as crianças, que ficam mais calmas e receptivas nos procedimentos.

A sedação consciente na odontologia é realizada no paciente pela inalação de um gás à base de óxido nitroso e oxigênio. O paciente mantém a respiração normal e fica visivelmente mais calmo, pois o gás gera uma depressão no sistema nervoso central.

Qualquer procedimento pode utilizar da sedação consciente, desde os mais simples como as limpezas dentais, até os mais complexos como as cirurgias.

Vale ressaltar que apesar de diminuir a sensibilidade do paciente, a sedação consciente não substitui a anestesia, pois não atua contra as dores de procedimentos mais incisivos.

 

Sedação consciente e cirurgia ambulatorial

Para evitar desconforto, medo ou ansiedade, dispomos de sedação, monitorada e acompanhada por um médico anestesista. A cirurgia ambulatorial em implantodontia tornou-se uma prática comum em função do desenvolvimento de equipamentos sofisticados e adequadas técnicas cirúrgicas, além do surgimento de medicamentos de rápida eliminação e com efeitos colaterais mínimos.

A VASCONCELOS ODONTOLOGIA foi classificada como “unidade ambulatorial tipo II”, caracterizada como “estabelecimento de saúde, independente do hospital, destinado à realização de procedimentos cirúrgicos de pequeno e médio porte, em nível ambulatorial, em salas cirúrgicas adequadas a essa finalidade, sob anestesia locorregional, com ou sem sedação.

 

Dúvidas sobre implante dentário? Nossos especialistas respondem

O sorriso é nosso melhor cartão de visitas em todos os lugares. Por isso, quando sorrir se torna incomodo ao paciente,  é preciso utilizar recursos do implante dentário para recuperar a autoestima. Hoje nossos especialistas irão tirar algumas dúvidas sobre implante dentário

Entenda melhor como um implante dentário ajuda a recuperar o sorriso e a autoestima

Quero fazer um Implante dentário mas tenho medo, o que fazer?

A instalação de um implante dentário é um procedimento muito simples. Em caso de um implante unitário, não deve levar mais do que 30 minutos. Em geral há apenas um desconforto leve após a colocação de um implante e você poderá trabalhar no dia seguinte. A colocação do implante no osso impressiona os pacientes, porém é importante dizer que no osso há pouca inervação para dor, sendo apenas a gengiva que traz a sensibilidade, que é facilmente controlada por meio de medicamentos. A sedação consciente pode ser usada para diminuir a ansiedade.

clinica especializada em implantes dentários

O que são implantes osseointegrados?

São uma nova geração de implantes, introduzidos a partir da década de 60, mas que só agora atingem um grau de aceitabilidade universal. São normalmente parafusos de titânio colocados em áreas desdentadas e que apresentam capacidade de exercer as funções mastigatórias e funcionais de maneira semelhante aos dentes naturais. Normalmente é colocado em duas etapas: uma para a inserção do implante de titânio propriamente dito – cirurgia mais extensa – e outra, alguns meses após, para a colocação de dispositivos que suportarão as próteses. Estas podem ser confeccionadas em curto período após a esta segunda etapa.

São superiores às próteses convencionais?

Certamente são melhores que dentaduras e próteses removíveis (“pontes móveis”). Têm capacidade funcional semelhante às próteses fixas em casos de espaços desdentados relativamente pequenos, mas a opção por um ou outro tratamento deve ser cuidadosamente analisada pelo profissional e em acordo com a solicitação do paciente, pois as situações são muito diversas e impedem a discussão com regras fixas. Nos casos de desdentados totais ou de áreas posteriores a solução com implantes é normalmente melhor do ponto de vista funcional.

QUER TIRAR DÚVIDAS SOBRE IMPLANTE DENTÁRIO. AGENDE UMA CONSULTA COM UM DOS NOSSOS DENTISTAS ESPECIALISTAS EM IMPLANTODONTIA. ATENDEMOS EM SANTOS E SÃO PAULO

 

Qual a chance de um implante dentário dar certo?

Estudos de longa duração demonstraram que certos tipos de implantes apresentam taxas de sucesso acima de 90% nos implantes colocados e taxas superiores a 97% de sucesso das próteses (porque a perda de um implante não significa necessariamente a perda da prótese, pois está apoiada em outros implantes). Este índice de sucesso porém, é médio, e não vale igualmente para todas as regiões da boca. Os índices de falha em desdentados totais inferiores é próximo a 0% (zero por cento) e na região posterior da maxila, com osso pouco denso e após a colocação de implantes curtos (devido aos seios maxilares), a taxa pode chegar a 33%.

O que existe de mágico no implante dentário titânio?

Nada. É um material utilizado em ortopedia há muitas décadas. Simplesmente o titânio não sofre corrosão quando inserido no corpo humano e não apresenta fenômenos de rejeição imunológica, assim como outros metais da mesma família, como o nióbio por exemplo. O sucesso da técnica é devido a um bom conjunto de fatores e estas características do titânio sem dúvida são positivas, mas por si não garantiriam o sucesso do procedimento. O sucesso depende, em suma, do planejamento da técnica cirúrgica (que evita o super-aquecimento do osso), um período de cicatrização sem a colocação das próteses, e uma prótese adequada. Este protocolo para realização dos implantes possui minúcias que não podem ser desprezadas, e um profissional competente e bem treinado na técnica pode alcançar excelentes resultados.

Existe garantia de sucesso?

A princípio a alta taxa de sucesso é uma boa garantia, mas sempre existe, nos processos biológicos uma certa dose de imponderabilidade. Não há a possibilidade de certeza de absoluto sucesso, mas devido às taxas anteriormente citadas, o desconforto da cirurgia é muito inferior ao benefício de possuir uma prótese fixa, e mesmo nos casos onde ocorre a falha, o procedimento poderá ser refeito.

boca seca

Quanto tempo dura um implante? Qual sua vida útil?

Pode-se afirmar que em 95% dos casos, se os implantes não foram perdidos nos dois primeiros anos de uso, durarão por grande parte da vida do paciente.

Esteticamente é bom?

Depende muito do sistema utilizado e das condições locais. A estética melhorou muito nos últimos anos. Lembre-se: por melhor que seja o implante e o profissional, o primeiro continua sendo uma prótese, ou seja, a substituição de dentes naturais por artificiais. Expectativa demasiada em relação à implantes é comum mas normalmente é sucedida de uma certa parcela de frustração. Em muitos casos a solução estética é apenas aceitável. O melhor raciocínio é funcional: o implante é muito superior a outros procedimentos de prótese e na ausência dos dentes é o que pode ser realizado de melhor.

Devo voltar ao dentista depois de colocar os dentes?

É necessário no mínimo um controle clínico radiográfico a cada ano. É também uma obrigação do paciente comparecer a estes controles.

Não é um exagero o dentista pedir tomografia computadorizada para análise do osso?

Não, especialmente no arco superior. Um estudo detalhado com o uso de tomografia computadorizada evita surpresas, especialmente aquelas da pergunta anterior.

Em relação à capacidade de mastigação, vai melhorar após a colocação de implantes?

Os implantes apresentam resultados funcionais muito superiores aos obtidos por dentaduras e próteses removíveis. Os pacientes que usam dentadura há muito tempo e colocam implante sentem a diferença muito significativa.

Se não existir osso suficiente, existem maneiras de aumentar a quantidade de osso disponível?

Sim, Na área da maxila podem ser feitas cirurgias para aumento de rebordo e/ou levantamento do seio maxilar, retirando-se osso do mento (queixo), do ramo da mandíbula ou da crista ilíaca. Na mandíbula o desvio do nervo alveolar inferior também pode ser realizados, mas as seqüelas pós-operatórias deste último diminui sua grandemente sua indicação.

Pelo fato de ser um material estranho existem riscos de rejeição ou de contaminação com vírus por exemplo? Como um implante é esterilizado?

Não ocorre rejeição, pois o titânio é um material imunologicamente inerte. Quanto à contaminação, quando ocorre normalmente ‘por via cirúrgica e não por falhas do processo de fabricação. Qualquer dos métodos normalmente utilizados para esterilização do implante – radiação gama ou gás – oferecem total segurança.

Gostaria de saber se quem tem pré-disposição para placa bacteriana pode fazer implante.

Sim, quem tem predisposição para placa bacteriana e doença periodontal pode sim fazer implantes, desde que o processo esteja controlado.