Saiba mais sobre o abcesso dentário e suas causas

Tipos de abcesso dentário e suas causas

Entre as doenças periodontais, a gengivite é claramente a mais conhecida. Mas, na verdade, ela representa apenas o estágio inicial de uma infecção na gengiva. Isso porque, caso não seja tratada a tempo, essa gengivite pode evoluir para uma periodontite, ou ainda pior, gerar um abcesso dentário.

Tipos de abcesso dentário e suas causas

Na verdade, existem dois tipos de abcesso dentário. O abcesso periodontal é o acúmulo de pus justamente na gengiva decorrente de uma infecção bacteriana. Já o abcesso periapical acontece quando a infecção ocorre na raiz do dente.

Enquanto o primeiro tipo é causado por doenças periodontais avançadas, o abcesso periapical pode ser causado por casos avançados de cárie ou também por infecções ocorridas após a quebra ou ruptura de um dente.

Tipos de abcesso dentário e suas causas

O grande problema é que a formação de abcessos, tanto no dente quanto na gengiva, indica que a infecção já está em um estágio avançado, podendo evoluir para problemas maiores ainda, como a formação de abcessos em outros dentes ou até em outras regiões da face.

Sintomas de um abcesso dentário

Existem diversos sintomas de que uma pessoa pode ter um abcesso dentário. Alguns deles são o mau hálito e o gosto amargo e ruim na boca, ambos causados pelo pus, que nada mais é do que um acúmulo de bactérias infectadas. Os abcessos também podem causar dor, motivada pela forte infecção, o inchaço que provém dela e o pus.

Um aumento considerável na sensibilidade ao consumir alimentos muito quentes ou frios e ao mastigar também pode ser detectado, já que o abcesso também cria uma brecha entre a gengiva e o dente, expondo uma parte da dentina e deixando mais vulneráveis as terminações nervosas do dente.

Casos mais graves de abcesso dentário podem desencadear também os mesmo sintomas que infecções graves, como febre, enjoos, diarreia e calafrios.

Como é o Tratamento de um abcesso dentário

forma ideal de tratar um abcesso só pode ser definida por um dentista, já que se tratam de infecções em estágio já mais avançado e para as quais podem ser necessários tratamentos mais complexos, como o uso de medicamentos antibióticos para combater as bactérias, a drenagem e raspagem da região no caso de abcessos periodontais, ou tratamentos de canal em casos de abcessos nos dentes ou até a extração do dente em casos mais graves.

No entanto, é possível minimizar a dor e o avanço da infecção fazendo bochechos com água morna com sal depois das refeições, por exemplo.

O mais importante no entanto é prevenir que infecções e cáries cheguem a esse estado, o que pode ser feito, na maioria dos casos, através de uma boa escovação e do uso de fio dental diariamente.

Quando a plástica gengival é indicada?

 

Quando se pensa na harmonia do sorriso, muitas pessoas pensam imediatamente em problemas como o alinhamento dos dentes e se eles estão branquinhos ou não. Embora esses aspectos sejam essenciais para um sorriso mais bonito, muitas pessoas acabam se esquecendo do papel das gengivas nesse processo.

Quando o tamanho, espessura ou recorte dessa estrutura não é adequado, ela pode causar grande desconforto no sorriso, além de outros problemas como a sensibilidade.

Quando a plástica gengival é indicada?

Gengivas muito grandes, por exemplo, podem causar a impressão de que os dentes são pequenos, enquanto o oposto deixa visível a raiz dos dentes, causando um impacto estético bastante negativo.

É para combater esses problemas que surgiu a cirurgia plástica gengival, um procedimento relativamente simples e que pode recuperar a beleza do sorriso em apenas uma sessão.

A plástica gengival, também conhecida como gengivoplastia, é um procedimento cirúrgico odontológico que trata uma condição anatômica presente em algumas pessoas que, muitas vezes, afeta a sua auto estima. Essa condição é definida como um excesso de gengiva sobre a coroa (parte do dente exposta na boca) dos dentes, fazendo com que eles pareçam mais curtos do que na verdade são.

O fato de a gengiva cobrir boa parte dos dentes não causa nenhum problema de saúde. No entanto, alguns pacientes que apresentam o “sorriso gengival” se sentem desconfortáveis com a situação e procuram métodos para obter um sorriso mais bonito.

Quando a plástica gengival é indicada?

Quando a plástica gengival é indicada?

Malformações gengivais

Sejam elas crônicas ou então causadas por algum problema na saúde bucal, qualquer deformação nessa área pode comprometer totalmente a busca por um sorriso mais bonito.

Um problema comum é a forma irregular da gengiva, que causa uma desarmonia nos dentes, que parecem não estar totalmente iguais e do mesmo tamanho. Essa condição pode ser facilmente resolvida com um recorte simples nesse tecido, ajustando o contorno que ele faz nos dentes. O procedimento é conhecido como gengivoplastia.

Um outro caso que pode demandar a cirurgia plástica gengival é quando a espessura da gengiva é muito fina, podendo expor manchas indesejadas na região e causando um prejuízo estético.

Quando a plástica gengival é indicada

Hipertrofia gengival

A hipertrofia gengival é uma das principais causas do chamado sorriso gengival, que é quando a gengiva aparece de maneira excessiva no sorriso. Essa condição pode fazer parecer que os dentes são menores do que realmente são, além de comprometer o sorriso.

As causas para esse problema podem ser desde genéticas quanto decorrentes de alguns problemas, como a gengivite, alterações hormonais e até mesmo reação medicamentosa. Para reverter isso é feito um procedimento chamado gengivectomia, que é a retirada do tecido que está em excesso e o recobrimento da parte considerável do dente.

Retração gengival

A retração gengival ocorre quando a porção recoberta por esse tecido é pequena, podendo expor a raiz dos dentes e causando dores e sensibilidade, além do comprometimento estético.

Alguns fatores como a má escovação podem causar ou agravar o problema, que é um pouco mais difícil de ser solucionado. No procedimento corretivo ocorre a retirada de tecido do próprio paciente, normalmente do palato (céu da boca), e é feito um enxerto, recobrindo a área afetada.

Quando a plástica gengival é indicada

Há contraindicações do procedimento?

Um pré-requisito para a realização da cirurgia plástica gengival é a saúde bucal estar em dia. Caso contrário, o procedimento não deve ser feito, pois pode apresentar resultados indesejados e até mesmo agravar os problemas existentes.

Condições como cáries, gengivites, periodontites e outras doenças bucais devem ser tratadas antes de iniciado o tratamento.

Algumas outras contraindicações incluem gravidez, problemas na coagulação sanguínea, diabetes não controlada e hipertensão. Por isso, somente o dentista poderá avaliar o seu caso e indicar se essa opção é adequada ou não para você.

Agora você já sabe mais sobre o que é a cirurgia plástica gengival e para quem ela é indicada. Entre em contato conosco se quiser saber mais sobre o assunto ou marcar uma consulta para tratar o problema.

Protetor bucal ao praticar atividade física é importante?

Protetor bucal para praticar esporte

Antes de praticar qualquer esporte ou atividade física, é preciso pensar na segurança. E não estamos falando somente de joelheiras ou capacetes, mas da importância do protetor bucal.

Atletas profissionais, amadores, adultos e até crianças devem utilizar o protetor bucal. Mas por que é importante usar? Como ele funciona? Quais os tipos?

Protetor bucal para praticar esporte

Por que devo usar o protetor bucal para me exercitar?

Todo mundo sabe dos benefícios do esporte e das atividades físicas para a saúde. Porém, pouca gente se preocupa com os riscos para a saúde bucal associados a essas práticas.

Dependendo da modalidade, há riscos de acidentes como pancadas e fraturas no rosto, o que pode afetar os dentes, língua e maxilar. Dentes quebrados, por exemplo, precisam passar por restauração e, muitas vezes, por tratamento de canal.

Outro problema que esses impactos podem ocasionar é a reabsorção da raiz do dente, situação que demora para ser descoberta. Um trauma na boca pode fazer com que essa raiz se retraia, chegando a um ponto de não conseguir mais sustentar o dente.

Também pode ocorrer escurecimento do dente mesmo muito tempo depois da ocorrência de algum impacto.

Por isso, a necessidade de usar o protetor bucal, um dispositivo intraoral removível, que se encaixa nos dentes e oferece proteção contra impactos.

protetor bucal para ciclista

 

Para qualquer esporte

É comum pensar que a precaução só vale para esportes como boxe, MMA e outros de combate. Negativo! É importante usar o protetor bucal para qualquer esporte ou atividade, como ciclismo, ginástica, musculação, corrida, futebol, basquete, skate, entre outros.

Ao se exercitar, a nossa tendência é de forçar a mandíbula e travar os dentes, o que pode causar desgastes em sua superfície, nas restaurações e, até mesmo, nos implantes e próteses.

Isso pode levar ao bruxismo e à DTM (disfunção temporomandibular), situação que pode trazer vários problemas, como as fortes dores de cabeça. Com o uso do protetor, você evita todas essas complicações.

Protetor bucal para crianças

 

Crianças

Para as crianças, o protetor pode ser usado na prática de esportes e até nas brincadeiras em grupo. Vai evitar dentes quebrados que, mesmo de leite, podem prejudicar o desenvolvimento dos permanentes.

Como o protetor bucal funciona?

O protetor é desenvolvido para absorver o impacto de choques com objetos, pancadas e quedas, que podem acontecer facilmente nos esportes e atividades físicas.

Seu uso proporciona proteção da mandíbula e estruturas da boca, como dentes, lábios, língua, bochechas e ossos. Previne ainda fraturas no queixo, quedas e desgastes nos dentes, problemas na ATM (articulação temporomandibular) e até lesões cerebrais.

O mais interessante é que além de proporcionar a segurança para atletas, o protetor bucal garante ainda uma respiração adequada e estabilidade nos movimentos, visto que deixa mandíbula corretamente posicionada. Tudo isso traz aumento no rendimento!

Tipo de protetores bucais

  • Protetores de estoque ou universais: são feitos em tamanho padrão, por isso são mais desconfortáveis, porque não se encaixam perfeitamente na boca. Encontrados em lojas de material esportivo;
  • protetores pré-fabricados: são encontrados nos tamanhos pequeno, médio e grande. Sua durabilidade é baixa, não é muito confortável. Nessa linha, existem os termoplásticos, confeccionados em silicone. Sua aplicação é feita após o objeto ser fervido em água. Também são vendidos em lojas de material esportivo;
  • protetores customizados: feitos pelo dentista sob medida para cada pessoa, de acordo com sua arcada dentária. Apresenta um encaixe perfeito e espessura adequada, o que traz conforto e não prejudica a respiração e fala. É o mais indicado.

É importante destacar que o dentista especialista em disfunção temporomandibular é o profissional da Odontologia que possui o conhecimento e técnicas específicas para instalar e trabalhar com o protetor bucal.

Agora você já sabe da importância do protetor bucal para a sua segurança na prática de esportes e exercícios físicos. Traumas na boca podem causar, além de problemas estéticos, graves problemas em seus dentes e disfunções na ATM. Fique atento e exercite-se sem comprometer o seu sorriso!

Quais os sintomas do bruxismo?

Tratamento bruxismo em São paulo

O bruxismo é um distúrbio funcional relacionado ao movimento de ranger os dentes, seja durante o dia ou durante o sono.

Comum em crianças e adultos, o problema de ranger os dentes pode até melhorar com o crescimento e avançar da idade mas isso nem sempre ocorre e muita gente acaba sofrendo com as dores e o desconforto provocados pelo bruxismo durante toda a vida.

Quer aprender mais sobre o que é o bruxismo e como tratá-lo? Confira!

Quais os sintomas do bruxismo?

  • Ranger dos dentes com a emissão de sons;
  • dor e fratura nos dentes;
  • desgaste do esmalte dentário;
  • dor na face, no pescoço e na musculatura da mastigação;
  • dor de cabeça;
  • alterações no sono.

Bruxismo tratamento em santos

O que causa essa condição?

Tanto fatores genéticos quanto ambientais influenciam o surgimento do bruxismo, com alguns fatores de risco já sendo reconhecidos:

  • personalidade ansiosa ou depressiva;
  • distúrbios de movimento, como a doença de Parkinson;
  • ambientes de trabalho competitivos e estressantes;
  • uso frequente de substâncias estimulantes, como café, energéticos e drogas;
  • consumo de medicações que afetam a transmissão dopaminérgica, como alguns antidepressivos.

O bruxismo traz alguma complicação para a saúde?

Além da dor e desgaste dos dentes, o bruxismo pode evoluir com:

  • destruição do osso que circunda o dente;
  • irritação do tecido gengival;
  • disfunção têmporo-mandibular (DTM);
  • aumento da sensibilidade dentária.

Bruxismo é igual a apertamento dos dentes?

Não exatamente. No apertamento dos dentes há um aumento da tensão na mordida, pressionando-se a arcada superior com força sobre a inferior, mas não há a movimentação ou o desgaste intenso da superfície dentária típicos do bruxismo.

Bruxismo é igual a apertamento dos dentes?

Eu acho que posso ter bruxismo. E agora?

Se você tem sintomas compatíveis com os de bruxismo, a melhor coisa a fazer é agendar uma consulta com um dentista especializado em DTM para que ele possa avaliar seus dentes e diagnosticar essa doença.

No exame, o dentista observará principalmente a existência de estalos na ATM, a frouxidão dos ligamentos que sustentam os dentes, uma hipertrofia da musculatura da face, desgastes de esmalte e fraturas na coroa dentária.

Se necessário, o profissional pode ainda pedir algum exame de imagem que permita a visualização de perda óssea ou mesmo uma polissonografia, um exame feito em laboratório durante a noite que avalia o sono do indivíduo.

Como tratar o bruxismo?

Esse problema é causado por diversos fatores, seu tratamento também deve abordar diversos aspectos da doença. Na maioria das vezes, o dentista recomendará o uso de um dispositivo sobre os dentes superiores durante a noite para evitar que os dentes sofram mais danos.

Para resolver o problema completamente, no entanto, é preciso buscar métodos que vão reduzir o estresse do dia a dia e relaxar a musculatura, como meditação, musicoterapia, massagens, banhos e outras atividades prazerosas.

Além disso, o acompanhamento psicológico, o controle de distúrbios de base como ansiedade e depressão e a redução do consumo de substâncias associadas à piora do bruxismo são essenciais para o tratamento a longo prazo.

Tire suas dúvidas sobre implante dentário. Perguntas e respostas sobre o tratamento

O medo de sentar na cadeira do dentista assombra muita gente! Quando se trata do procedimento de colocação de implante dentário, esse receio aumenta. Mas será que fazer implante dentário dói?

Para responder a essa e outras dúvidas, leia atentamente este artigo e descubra como é feito o implante dentário e por que é uma tecnologia tão indicada para substituir dentes que foram extraídos ou perdidos.

Tire suas dúvidas sobre implante dentário

Tire suas dúvidas sobre implante dentário

1. O que é um implante dentário?

A evolução das técnicas da Odontologia é sempre pensada em termos de bem-estar e qualidade de vida do paciente. O implante dentário é um exemplo disso: por meio dele, é possível substituir os dentes extraídos ou perdidos, devolvendo, além de um sorriso bonito, as funções naturais de mastigação e fala.

O implante nada mais é que um parafuso, feito de titânio, que funciona como a raiz do dente e, por isso, é colocado no osso da mandíbula ou maxilar. Em cima dele, vai a coroa, que tem a aparência de um dente natural.

benefícios do implante dentário

2. Quais são seus benefícios do implante dentário?

Além dos benefícios estéticos, o implante pode proporcionar uma vida normal para o paciente, que não terá mais problemas com a fala e mastigação. Logo, ficará livre de doenças gastrointestinais, porque consegue processar os alimentos da forma correta.

Outra vantagem é que ele conseguirá sentir o sabor real dos alimentos e, dessa forma, pode se alimentar corretamente.

Ao contrário das dentaduras (próteses móveis), os implantes não causam desconfortos por problema de encaixe, nem insegurança na hora de comer, sorrir ou falar. Isso porque eles ficam fixos e integrados ao osso, trazendo um conforto enorme para o paciente.

Por último, sua colocação pode ter um preço acessível, conseguindo atender todos que precisam desse tratamento. Procure uma clínica especializada 

benefícios do implante dentário

O medo do dentista ainda persiste na cabeça de muitas pessoas. Seja por uma experiência desagradável no passado, seja pelas histórias de alguém próximo, tratar os dentes pode ser motivo de pânico.

Por isso, a preocupação com a colocação de implantes dentários é grande. Será que vai doer?

Para realizar o procedimento, é necessário fazer uma cirurgia. Assim, a preparação inclui uma série de exames, como radiografias e tomografia para que tudo seja feito sem contratempo.

Se houver outros problemas na boca, como cáries, inflamações ou necessidade de canal, tudo será realizado antes do implante.

benefícios do implante dentário

Anestesia

Mas calma! Não é porque o paciente vai se submeter a uma cirurgia que será dolorido. A colocação do implante é feita no próprio consultório. O paciente recebe uma anestesia local, a mesma aplicada para qualquer outro procedimento odontológico e, por isso, não sentirá dor.

A parte mais complexa é quando o cirurgião-dentista abre a gengiva. Porém, quando ele chega no osso, não tem como ser dolorido, visto que ele não possui nervos.

Todas as etapas são realizadas com anestesia e seu dentista acompanha seu estado para que tudo seja feito de forma tranquila.

Sedação consciente e cirurgia ambulatorial

Para evitar desconforto, medo ou ansiedade, a Vasconcelos Odontologia dispõe de sedação, monitorada e acompanhada por um médico anestesista. A cirurgia ambulatorial em implantodontia tornou-se uma prática comum em função do desenvolvimento de equipamentos sofisticados e adequadas técnicas cirúrgicas, além do surgimento de medicamentos de rápida eliminação e com efeitos colaterais mínimos.

A Vasconcelos Odontologia foi classificada como “unidade ambulatorial tipo II”, caracterizada como estabelecimento de saúde, independente do hospital, destinado à realização de procedimentos cirúrgicos de pequeno e médio porte, em nível ambulatorial, em salas cirúrgicas adequadas a essa finalidade, sob anestesia locorregional, com ou sem sedação.

A vantagem do implante é que não é necessário o desgaste de outros dentes para a sua colocação.

Para se ter uma ideia, a extração de um dente é mais complexa do que a colocação do implante tanto para o paciente quanto para o dentista.

Enxerto ósseo

Quando o paciente não possui uma estrutura óssea que consiga sustentar o implante, é necessário colocar o enxerto ósseo. Novamente, você deve estar pensando: “Mas dói para colocar o enxerto ósseo?”

Essa é uma etapa anterior à colocação do implante e também é realizada no consultório com cirurgia e anestesia.

Para formar a estrutura óssea que consiga ser forte e tenha espessura para receber o implante, o cirurgião-dentista pode utilizar um material sintético ou um osso do próprio paciente da área do queixo ou maxilar.

Depois de realizado o enxerto, é necessário esperar de 4 a 6 meses, dependendo do caso, para que haja a cicatrização e o implante consiga ser colocado sem nenhum problema.

Pós-operatório

Outra dúvida de muita gente é a dor no pós-operatório. Novamente, não há o que temer! Basta tomar os medicamentos prescritos pelo dentista (analgésicos e anti-inflamatórios) e utilizar bolsas de gelo para amenizar o inchaço e tudo transcorrerá sem dor.

A recomendação é que o paciente fique em repouso no dia do procedimento. Depois, pode voltar às atividades corriqueiras sem exagerar.

Outro cuidado importante é com a alimentação, que deve ser líquida ou pastosa e fria para que o paciente não force a região do implante com a mastigação.

 

4. Todo mundo pode por um?

Praticamente todas as pessoas podem colocar um implante dentário desde que já tenham a estrutura de dentição completamente desenvolvida.

Há contraindicações para alguns casos clínicos, como cardiopatias, diabetes e câncer, mas tudo isso pode ser conversado entre médico e dentista para saber se há possibilidade de fazer o procedimento.

Em fumantes, as taxas de sucesso do implante podem ser menores.

Quando devo colocar o implante dentário?

5. Quando devo colocar o implante dentário?

Em caso de perda de um ou de vários dentes, o ideal é que o cirurgiã-dentista especializado em Implantodontia seja procurado rapidamente. Quando mais rápido o implante for feito, mais fácil e tranquilo será todo o procedimento.

Isso porque, na ausência do dente, a estrutura óssea do maxilar ou mandíbula tende a atrofiar. Nesse caso, antes da colocação do implante, torna-se necessário o enxerto ósseo como explicamos acima.

6. Meu corpo pode rejeitá-lo?

O implante é revolucionário porque, além da estética e qualidade de vida que proporciona ao paciente, tem altas taxas de sucesso.

O organismo não vai considerá-lo um corpo estranho, visto que ele é feito de titânio, um material biocompatível. Dessa forma, ele acaba se incorporando ao osso como se fizesse parte do corpo, num processo que é chamado de osseointegração.

Se você não procura um dentista porque acha que o implante dentário dói, já viu que pode ficar sossegado, fazer o tratamento e voltar a sorrir sem ter vergonha! A Odontologia, em especial a Implantodontia, evolui a cada dia, pensando sempre no bem-estar do paciente

Vantagens para colocar facetas de porcelana

 

vantagens para você colocar facetas de porcelana

Não é raro encontrar pessoas que sofrem com dentes quebrados ou manchados. As facetas de porcelana podem terminar com este incômodo, afinal esse tratamento é capaz de melhorar a autoestima

Para te ajudar, selecionamos vantagens para colocar facetas de porcelana. Um tratamento simples e que, quando bem indicadas e bem feitas, apresenta resultados incríveis.

Você precisará considerar pontos importantes que envolvem a durabilidade, a resistência e também o brilho e a cor dos dentes. Este é o caso de pessoas que, a cada dia, estão descobrindo bons motivos para colocar facetas de porcelana. Que tal saber mais sobre esse procedimento?

vantagens para colocar facetas de porcelana em são paulo

1. Produto resistente às manchas

Para instalar as facetas de porcelana, o dentista fará uma análise completa e tirará o molde dos seus dentes. Em seguida, serão criados modelos especiais para o seu formato, produzidos em facetas laminadas e com a espessura de apenas uma fração do milímetro.

Esse material é extremamente resistente às manchas e você não precisará se preocupar em ingerir bebidas pigmentadas, como o café e o vinho. Mas, óbvio que o dente “por trás” das lentes continua envelhecendo e vai precisar de clareamento de tempos em tempos.

Já a faceta, mais grossa, quando indicada, é uma excelente alternativa caso os seus dentes tenham manchas internas. Com uma colocação prática e indolor, será possível cobrir toda a superfície e criar uma aparência renovada para os seus dentes.

2. Vantagens para colocar facetas de porcelana : Mais estabilidade de cor

Um dos grandes benefícios de colocar facetas de porcelana é a sua estabilidade de cor. Isso porque, diferentemente das aplicações feitas em resina, essa opção traz um aspecto mais natural. Por ser um material resistente às manchas e não sofrer desgastes, as facetas proporcionam longa estabilidade de cor.

Graças ao avanço da tecnologia, os seus dentes ficarão brancos por muito mais tempo. No entanto, esse efeito não é eterno e você terá que trocá-las de tempos em tempos.

Ainda não há um prazo estipulado para essa troca. No entanto, alguns pacientes podem manter a boa qualidade das lâminas por mais de dez anos. Ainda assim, essa continua sendo a melhor opção para prevenir o amarelamento dos dentes.

vantagens para colocar facetas de porcelana

 

3. Vantagens para colocar facetas de porcelana : Durabilidade e resistência para os seus dentes

Para intensificar a durabilidade, as facetas são cimentadas no dente, mas, a durabilidade envolve a marca da porcelana, o nível do laboratório, do dentista e o quanto o paciente foi orientado e vai cumprir com os cuidados no seu dia a dia.

Alguns estudos apontam que, quando todos os critérios são obedecidos em 100%, as facetas de porcelana apresentam um bom desempenho mesmo após 10 anos de aplicação. Já os moldes produzidos em resinas compostas, oferecem uma durabilidade em torno de três anos.

De qualquer modo, a aparência e a qualidade do material também dependerá do seu uso e da higienização adequada, lembrando que práticas como fumar e ingerir alimentos ácidos com frequência ou comer com os dentes da frente podem influenciar no resultado.

vantagens para colocar facetas de porcelana

4. Facilidade para corrigir pequenas imperfeições

Você sofre com dentes ligeiramente tortos ou pequenos? Colocar facetas de porcelana pode resolver o seu problema! Mas, atenção, o corte de dentes saudáveis pode ser evitado se você ficar o tratamento de poucas semanas usando a técnica do aparelho invisível  Considerado um dos tratamentos mais revolucionários na Odontologia, quando indicado, esse procedimento corrige falhas e dá uma nova aparência para o seu rosto.

A técnica também consiste em analisar a boca e a face do paciente, com a finalidade de ajudar na indicação do que deve ser feito com seu o sorriso. Muitas vezes, alguns problemas levariam anos para serem corrigidos. No entanto, com essa opção, quando bem indicado e conduzido por um dentista que tenha a experiência, é possível alcançar o efeito esperado em poucas semanas.

5. Vantagens para colocar facetas de porcelana: Garantia de brilho para os dentes

As facetas de porcelana já são consideradas as opções mais procuradas pelas celebridades de Hollywood. Além de todos os motivos listados acima, elas trazem um brilho superficial e que não é perdido com facilidade, assim como a sua transparência e luminescência.

Práticas e com ótima transmissão de luz, o aspecto cristalino para os seus dentes vale o investimento!

Prótese dentária móvel ou fixa: qual é a ideal para você.

A diferença entre prótese dentária móvel ou fixa pode confundir os pacientes em tratamento com relação às indicações, vantagens e problemas de cada técnica. Que tal entender um pouco mais sobre o assunto através das discas de um especialista no assunto?

 

Prótese dentária móvel ou fixa, as diferenças vão muito além do preço do tratamento.

O tratamento com próteses dentárias difere de outros procedimentos odontológicos por exigir do paciente escolhas – quase sempre, rápidas – envolvendo técnicas e materiais. Entretanto, é a seleção entre prótese dentária móvel ou fixa a que mais pode confundir pelas diferenças no preço, durabilidade e, principalmente, nos resultados estéticos e de conforto.

A seleção entre dispositivos protéticos fixos ou móveis deveria levar em consideração apenas a funcionalidade e resultados estéticos. – mas não é bem assim que as coisas acontecem. Fatores adversos como custos, tempo de tratamento e fobias a procedimentos cirúrgicos ainda pesam na hora de selecionar a técnica e material mais apropriados. Um problema que poder solucionado com informações mais aprofundadas sobre o assunto.

Prótese dentária móvel ou fixa

Implantes dentários podem eliminar desgastes dentários na técnica fixa.

Existem duas técnicas para fixar próteses dentárias nos tratamentos com prótese dentária fixa: sobre dentes naturais ou sobre implantes ósseointegrados. Na primeira, mais antiga e utilizada, dá-se mediante desgastes dentários ou instalação de pinos protéticos em dentes vizinhos à área a ser reabilitada. Em algumas situações, esta pode ser a técnica ideal, principalmente se o procedimento em andamento é a troca de pônticos ou coroas dentárias em porcelana já existentes.

 

Uma das vantagens do tratamento com prótese dentária fixa sobre implantes é dispensar o uso de dentes naturais como suporte para os dispositivos protéticos. Além de evitar desgastes preparatórios e instalação de pinos protéticos, a técnia pode facilitar a higienização dos dentes em muitas situações, como nos procedimentos com pônticos dentários múltiplos.

Diferenças nos resultados estéticos são cada vez mais discrepantes.

A cada ano, novos materiais para tratamentos com próteses dentárias fixas são introduzidos para melhorar ainda mais a durabilidade e resultados estéticos. São o caso, por exemplo, das novas porcelanas odontológicas e da zircônia, esta um óxido de alta resistência e estética com múltiplas indicações para tratamentos com próteses dentárias livres de metal.

Os resultados estéticos das próteses dentárias fixas em porcelana atuais são tão elevados que pode ser impossíveis de distinguir até mesmo das lentes de contato dental e facetas laminadas – referências em técnicas para transformações de impacto. E como consequência destes avanços, as diferenças de qualidade entre as técnicas com prótese dentária móvel ou fixa são cada vez maiores. É preciso, portanto, colocar na balança todos os prós e contras para que a seleção de técnica seja a mais apropriada.

 

Transformações de impacto do sorriso já estão disponíveis na técnica fixa.

Transformações de impacto do sorriso com lentes de contato dental e facetas laminadas são famosas pelas modificações marcantes em dentes de artistas e famosos. Um dos segredos desta técnica está na porcelana (cerâmica) utilizada: além de resistente, traz cores e transparências naturais e deslumbrantes. A evolução mais recente destas cerâmicas é a possibilidade para utilizá-las em próteses dentárias fixas – o que  mudou tudo nas reabilitações orais complexas.

As novas cerâmicas feldspáticas reforçadas ou sobre zircônia, aplicadas seja na técnica individual (coroa dentária), unida em pônticos para reabilitar áreas com alguns dentes ausentes ou mesmo para reabilitar arcadas totalmente desdentadas (prótese dentária tipo protocolo), trazem resultados estéticos de impacto semelhantes a laminados cerâmicos como lentes de contato dental e facetas laminadas. Uma revolução em termos de harmonia do sorriso para dispositivos protéticos fixos.

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Situações em que a prótese móvel ainda vale a pena.

A substituição de dentaduras e pontes móveis pela técnica fixa é a melhor recomendação para resultados mais estéticos e confortáveis. Entretanto, quando o preço é o fator que mais pesa na hora de decidir entre prótese dentária móvel ou fixa, é preciso estar atento a alguns detalhes para evitar problemas mais sérios no futuro como perdas dentárias, reabsorção óssea severa e limitações estéticas severas.

Conheça algumas condições anatômicas, fisiológicas e psicológicas necessárias para o uso de prótese dentária móvel sem riscos potenciais à saúde do seu portador:

 

Dentaduras (prótese total):

 ✓ baixa expectativa para resultados estéticos;

✓ osso em contato com as bases acrílicas em altura e largura suficientes;

✓ gengivas (e mucosas) resistentes e livres de hiperplasias traumáticas (crescimento excessivo);

✓ força e motricidade favorável dos músculos da mastigação;

Ponte móvel (prótese parcial removível):

✓ baixa expectativa para resultados estéticos;

✓ dentes de apoio para grampos em excelente estado periodontal;

✓ força e motricidade favorável dos músculos da mastigação;

✓ presença de dentes posteriores para apoio dos grampos;

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Quando a prótese dentária fixa é o tratamento ideal.

A escolha entre prótese dentária móvel ou fixa é, na maioria das vezes, de natureza financeira. De fato, os custos envolvidos em procedimentos fixos são mais elevados, principalmente os que reabilitam áreas com perdas dentárias através de enxertos ósseos e implantes dentários.

A opção pelo tratamento fixo, quando o preço não é o fator que mais conta, é a primeira opção para a quase totalidade dos procedimentos com próteses dentárias, seja ela fixa ou móvel. Veja algumas condições em que a prótese dentária fixa é a escolha ideal mesmo levando-se em contao os custos mais elevados da técnica:

✓ próteses fixas unitárias (coroas ou jaquetas dentárias);

✓ expectativa elevada para resultados estéticos;

✓ procedimentos protéticos combinados com lentes de contato dental e facetas laminadas;

✓ gengivas e dentes de suporte inadequados para dispositivos protéticos móveis;

✓ fobias a procedimentos cirúrgicos e implantodônticos;

✓ limitações motoras para fonação e mastigação com dispositivos móveis.

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Trocando próteses removíveis por fixas.

Trocar dentaduras e pontes móveis por próteses dentárias fixas sobre implantes ou dentes naturais é um procedimento que requer cuidados. O primeiro deles é preparar-se adequadamente para a fase com provisórios, um parte essencial do tratamento que pode levar a desconfortos mastigatórios – principalmente durante a substituição de dentaduras.

O tempo de tratamento para substituir próteses dentárias removíveis por implantes dentários é sensível ao uso de enxertos e implantes dentários – o que, em determinadas condições, requer entre 4 a 8 meses até que tudo esteja pronto.

Já os procedimentos que substituem dispositivos móveis por fixos, o tempo de tratamento dá-se entre 3 a 12 semanas, dependendo da extensão da reabilitação oral planejada – características que impactam na seleção entre a prótese dentária móvel ou fixa.

 

Próteses fixas: diversos materiais para resultados mais estéticos e duráveis.

As alternativas técnicas e novos materiais para procedimentos com próteses dentárias fixas aumentam a cada dia, trazendo soluções cada vez mais personalizadas. Conheça os principais tipos de materiais e combinações técnicas disponíveis na construção de dispositivos protéticos fixos:

Prótese dentária metalocerâmica

Além de mais antiga, é a técnica mais utilizada para recuperar dentes cariados ou fraturados ou reabilitar áreas com dentes perdidos. Fixa sobre dentes naturais ou implantes dentários, o dispositivo é construído com uma camada de porcelana odontológica que reveste um núcleo estrutural metálico. As vantagens ficam por conta do custo mais baixo do tratamento; já as desvantagens devem-se a problemas como alergias inflamatórias ao metal, gengivas acinzentadas e resultados estéticos limitados.

Prótese dentária em porcelana pura

Utilizando cerâmicas odontológicas modificadas que dispensam estruturas internas de reforço como metais ou zircônia, a prótese dentária em porcelana pura é indicada nas transformações de impacto do sorriso em procedimentos que combinam múltiplas técnicas como lentes de contato dental, facetas laminadas e coroas em porcelana pura.

Prótese dentária móvel ou fixa em, São Paulo

Prótese dentária em porcelana sobre zircônia

A zircônia é um óxido de alta resistência desenvolvido para eliminar o metal presente em próteses dentárias fixas convencionais. E os resultados são excelentes: além de mais estética, a técnica elimina problemas como o acinzentamento de gengivas ou a necessidade para trocas imediatas em dentes com retração gengival associada à borda de dispositivos protéticos fixos. Esta técnica também está disponível para tratamento com dentadura fixa sobre implantes dentários.

Prótese dentária em zircônia pura

Técnica recente, a prótese dentária em zircônia é uma alternativa mais para dispositivos protéticos sem metal. Apesar da elevadíssima durabilidade e baixos custos, os dispositivos protéticos entregam estética final inferior às técnicas com porcelana pura ou porcelana sobre zircônia.

 

Prótese dentária móvel ou fixa:

Próteses móveis: opções de materiais e fixação.

A seleção entre prótese dentária móvel ou fixa requer atenção com relação às técnicas para suporte dos dispositivos protéticos. Isso porque, na técnica removível, o suporte dá-se sobre dentes e gengivas que podem ser prejudicados ao longo dos anos. Conheça as técnicas mais utilizadas no tratamento com prótese dentária removível, de acordo com a retenção ou tipo de material utilizado na sua confecção:

Dentadura (prótese total)

Técnica tradicional para reabilitar arcadas com todos os dentes perdidos, traz limitações estéticas e mastigatórias que aumentam com o passar dos anos. As trocas deste tipo de dispositivo devem ser feitas a cada quatro anos para evitar o aumento na velocidade da reabsorção do osso em contato com as bases da prótese total.

Prótese parcial removível (ponte móvel)

Assim como a dentadura, o tratamento com prótese dentária removível é uma técnica antiga e ainda muito utilizada. Os problemas ficam por conta da estética limitada pelas armações e grampos metálicos e riscos para danos irreversíveis nos dentes que suportam o dispositivo, como fraturas e extrações dentárias.

Prótese removível com grampo estético

Confeccionada com material flexível, é a técnica ideal para eliminar problemas estéticos decorrentes dos grampos metálicos presos em dentes em áreas estéticas. Ao contrário do que se imagina, este tipo de dispositivo protético não é mais confortável ou durável do que a técnica tradicional com metal. Outro ponto que requer atenção é o maior tempo de adaptação a este tipo de dispositivo comparado às técnicas tradicionais.

Prótese removível com encaixe

São dois os objetivos desta técnica: eliminar grampos metálicos e melhorar a retenção e eficiência mastigatória das próteses removíveis. Indicada para arcadas cujos dentes remanescentes estão localizados na região anterior, tem preço mais elevado pela necessidade de tratamento combinado com coroas protéticas fixas em porcelana.

 

Prótese removível flexível

A prótese dentária flexível é semelhante ao dispositivo com grampos estéticos. As diferenças ficam mesmo é por conta dos materiais mais flexíveis. Já as desvantagens e limitações são semelhantes às próteses com grampos estéticos – motivo que requer cautela na indicação deste tipo de dispositivo protético móvel.

 

 

 

Implante dentários: 10 principais dúvidas que você precisa saber

O implante dentário é um tratamento que traz muitos benefícios para as pessoas, afinal, ele melhora a saúde bucal, a estética do sorriso e a autoestima das pessoas. E, apesar de muita gente buscar essa solução, ainda há muitas pessoas que têm certo receio sobre os implantes.

São muitas as dúvidas que ainda existem sobre implante dentários, e, para ajudar a sanar as principais delas, preparamos esta lista com as respostas para as questões mais frequentes sobre o implante dentário. Confira:

1. É verdade que um implante dentário é um parafuso colocado no osso?

Basicamente, sim. O implante dentário é um parafuso ou um pino metálico que é afixado ao tecido ósseo e que com o tempo integra-se a ele. Porém, não se trata de um parafuso qualquer, mas sim de um modelo especificamente fabricado para ser utilizado na sustentação de dentes protéticos.

Implante dentário: O pino é fabricado em titânio, um metal que não oferece o risco de rejeição orgânica.

2. Do que é feito um implante dentário?

Na verdade, o implante é o pino metálico que é fixado ao osso — embora muita gente o enxergue como sendo o dente em si. O pino é fabricado em titânio, um metal que não oferece o risco de rejeição orgânica.

Esse pino metálico serve como encaixe para a prótese (coroa protética), que terá o formato do dente do paciente. Ela é fabricada em resina ou em porcelana.

3. Quem pode ter um implante?

Qualquer pessoa que tenha dentes faltosos, uma boa saúde bucal e condições orgânicas pode ter um implante dentário. Ele não é indicado apenas para gestantes, quem está fazendo tratamento de quimio ou de radioterapia e em caso de hepatite ou de osteoporose.

Os fumantes também devem ter cuidado, uma vez que o tabaco pode interferir na cicatrização e impedir a fixação correta do pino. No entanto, não é contraindicado — apenas pode prejudicar o tratamento.

O implante dentário é indicado para quando há dentes faltosos na boca

4. Para quais casos esse tratamento é indicado?

O implante dentário é indicado para quando há dentes faltosos na boca e o paciente apresente boas condições orgânicas para fixação do pino. Podem ser repostos tanto os dentes posteriores como os anteriores.

5. O implante incomoda ou dói?

Depois de passado o período pós-operatório, o paciente terá uma vida normal. Ele não vai sentir dor ou incômodo na boca nem perceberá que o implante está ali.

Isso porque o tecido ósseo se recompõe e envolve o pino de titânio que passa a fazer parte da estrutura de sustentação, como se fosse a raiz natural de um dente.

6. Com um implante posso comer de tudo?

O pino de titânio em si é forte o suficiente para suportar qualquer tipo de alimento. No entanto, ele é recoberto pela coroa, e essa exige um pouco mais de cuidado.

Para maior segurança ao comer, o paciente pode preferir a coroa de porcelana, que é mais resistente do que a de resina.

7. Existe alguma preparação para a cirurgia?

Assim como todo procedimento cirúrgico, a colocação de um ou mais implantes também exige um pré-operatório. Na maioria das vezes, ele é feito apenas com exames que vão atestar a segurança no procedimento.

No mais, como cada caso é diferente, quem pode indicar o melhor pré-operatório é o cirurgião dentista responsável pelo paciente. Ele poderá avaliar alguma necessidade especial e indicar a melhor forma de se preparar para a cirurgia.

8. Vou sentir dor no pós-operatório?

Devemos considerar que a colocação de um implante dentário é uma cirurgia relativamente simples, mas, ainda assim, uma cirurgia. Exceto em casos muito específicos, não é necessária nem mesmo a internação.

No entanto, ainda assim, o pós-operatório pode causar alguns desconfortos, como inchaço, sangramentos e dores moderadas. Mas o especialista receitará medicamentos que vão garantir o conforto do paciente e a melhor recuperação possível.

É fundamental seguir todas as indicações e recomendações do especialista nessa fase. Isso porque o pós-operatório é o momento em que o corpo estará se adaptando à sua nova condição. E, para que essa etapa seja um sucesso, é fundamental tomar cuidados.

Algumas recomendações comuns para o pós-operatório ser bem-sucedido são:

  • ingestão de alimentos leves e que não exijam mastigação no começo da recuperação;
  • evitar alimentos muito quentes;
  • ingestão de muita água;
  • evitar dormir apoiado sobre o lado do implante;
  • evitar a exposição ao sol;
  • realizar uma higiene bucal delicada.

Clinica especializada em implante dentário em São Paulo

9. Existe algum risco?

Quando o paciente está com boa saúde, opta por uma boa clínica e segue as recomendações do especialista, as chances de ter algum efeito negativo nessa cirurgia são mínimas.

No entanto, como todo procedimento cirúrgico, pode existir o risco de alguma complicação no pós-operatório. Uma inflamação é um exemplo. Por isso, é fundamental seguir as recomendações do cirurgião.

O procedimento é feito com anestesia local e, por isso, o paciente não sentirá os efeitos colaterais que uma anestesia geral poderia causar. Ele é liberado no mesmo dia, e somente precisa repousar em casa.

Por ser simples é que o tratamento de implantes é muito procurado, afinal, os benefícios que oferece são muito maiores do que os pequenos incômodos que a cirurgia pode causar.

10. O implante pode dar errado?

A taxa de sucesso dos implantes dentários é muito alta. No entanto, o procedimento pode dar errado em casos específicos, como os fumantes e a sua dificuldade de cicatrização.

Se o paciente não tomar os devidos cuidados no pós-operatório ou a medicação de forma correta, as chances de algo dar errado também existem. No caso de se alimentar da forma errada, por exemplo, isso pode interferir na cicatrização, impedir que o pino se mantenha no local certo e fazer com que ele se solte.

Sendo assim, na grande maioria das vezes, o insucesso acontece somente se não houver a cooperação mútua entre o especialista e o paciente. Se ambos seguirem corretamente o papel que lhes cabe, o resultado será muito positivo.

Muita gente tem medo, mas o implante dentário não é um bicho de 7 cabeças. É um procedimento simples, seguro, rápido, com alta taxa de sucesso e muito benéfico. Afinal, quem não deseja ter um sorriso bonito e completo? Ele traz qualidade de vida, faz bem para a saúde e também para a autoestima!

Aparelhos ortodônticos móveis ou fixos?

Na busca pelo sorriso perfeito e uma melhor saúde bucal, cada vez mais pessoas procuram opções de tratamentos dentários. Conheça as principais diferenças entre os aparelhos ortodônticos móveis ou fixos.

Os aparelhos ortodônticos são divididos em dois grupos: Os móveis e fixos.

Aparelhos móveis

 Os aparelhos móveis podem ser ortodônticos – utilizados para executar pequenos movimentos dentários ou ortopédicos – utilizados em correções de alterações ósseas de crescimento.

Os ortodônticos são os mais indicados para pequenas correções dentárias em adultos, já os ortopédicos costumam ser colocados em crianças ou adolescentes em fase de crescimento, especialmente dos 06 aos 12 anos para inibir ou estimular o desenvolvimento dos ossos ou ainda, para redirecionar um crescimento desfavorável.

aparelhos ortodônticos móveis ou fixos.

São confeccionados com fios de aço (para os arcos e molas) e resina acrílica (para o corpo do aparelho). Em alguns casos, utilizam-se parafusos expansores como acessórios para aumentar a largura do aparelho ajudando a expandir a arcada dentária de forma gradativa.

Estas estruturas são encaixadas na boca podendo ser retiradas pelo próprio paciente ou pelo ortodontista. Seu uso deve ser constante, dia e noite, se o paciente não colaborar isso prejudicará o tratamento e aumentará o tempo de uso do aparelho.

 

Aparelhos fixos

Os fixos são normalmente utilizados quando se deseja movimentar dentes no osso. O paciente deve possuir gengivas saudáveis, sem cáries, uma boa saúde bucal. São compostos por bráquetes que podem ser metálicos, plásticos ou de porcelana, confeccionados para dar suporte ao arco metálico.

O tratamento com aparelhos fixos proporciona um melhor equilíbrio entre os dentes superiores e inferiores, restaurando a uniformidade do sorriso.

Existem ainda, opções de aparelhos mais estéticos e até invisíveis, como os de policarbonato, safira ou porcelana muito requisitados pelos adultos, principalmente aqueles que trabalham diariamente com o público.

Cada pessoa precisa consultar um ortodontista. Ele é quem vai dizer após a avaliação da arcada dentária do paciente qual o melhor aparelho a ser utilizado para o tratamento.

Cada aparelho é projetado para corrigir um determinado tipo de irregularidade da melhor forma possível e dê preferência no menor tempo.

Cuidados  com o aparelho móvel

 – O paciente deve utilizar o aparelho móvel às 24 horas por dia ou retirá-lo apenas para as refeições diárias e em horas especificadas pelo ortodontista;

– Após as refeições, escove bem os dentes e o aparelho, somente após este ritual de higienização, recoloque-o;

– Separe uma escova de dentes e utilize-a somente para a higienização do aparelho móvel;

– O aparelho móvel deve ser guardado em um estojo apropriado para ele. Nunca guarde seu aparelho em guardanapos e nem o coloque no bolso;

– Para evitar qualquer tipo de odor desagradável em seu aparelho móvel, coloque-o depois de escovado em um copo de água pela metade e adicione uma colher de sopa de água oxigenada a 10 volumes ou ainda, uma colher de sobremesa de bicarbonato. Deixe o aparelho descansando nesta solução por 30 minutos. Nunca limpe o seu aparelho móvel com água fervendo ou álcool;

– Não é recomendada a ingestão de sucos e refrigerantes quando estiver usando o aparelho, somente água é permitido;

– O paciente deverá seguir as orientações do seu dentista quanto às consultas periódicas para ativação e troca dos elásticos dos aparelhos fixos;

– É normal um incômodo ou dor suportável nos primeiros dias após a colocação do aparelho fixo, mas se a dor for muito forte, persistente ou o aparelho estiver machucando, o ortodontista deverá ser avisado;

– Se o aparelho móvel quebrar ou houver falta de adaptação do paciente com o mesmo, ele deverá ser guardado em uma caixa ou recipiente com água até a próxima consulta. Se possível, ligue para o seu ortodontista e comunique-o do ocorrido, se ele julgar necessário antecipará a sua ida ao consultório.

 

Cuidados com o aparelho fixo

– Escove sempre os dentes após cada uma das refeições e utilize o fio dental;

– Crie o hábito de sempre levar a sua escova de dentes e creme dental para suas consultas ortodônticas, assim quando solicitado por seu dentista estará preparado para fazer a higienização correta dos dentes;

– Quando o paciente coloca um aparelho fixo, ele não deve mais utilizar os dentes da frente (anteriores) para cortar os alimentos, principalmente, as massas, sanduíches, cenouras, churrasco etc;

– Cuide de sua alimentação! Evite alimentos que tenham muita fibra como, manga, abacaxi, cana-de-açúcar e alimentos pegajosos ou duros como amendoim, chicletes, balas, nozes, rapadura, castanhas, pé de moleque, torrone, coco ou pistache;

– Não utilize palitos para remover restos de comida, eles podem danificar o aparelho;

– Nos primeiros dias de uso do aparelho fixo, o paciente pode sentir algumas dores e ter dificuldade para mastigar os alimentos, nesses casos tome líquidos e avise ao seu ortodontista sobre isso. A sensibilidade quanto a dor varia de paciente para paciente;

– Para evitar que o aparelho fixo machuque os lábios ou bochechas solicite ao seu ortodontista uma cera;

– Se o aparelho estiver machucando a sua boca ou quebrar por algum motivo, não remova o aparelho por conta própria, mas ligue imediatamente para o ortodontista, siga suas instruções emergenciais e marque uma consulta urgente;

– O que determina o tempo do tratamento ortodôntico é a postura do paciente em relação ao uso e cuidados com o aparelho e higienização bucal, além do comparecimento periódico as consultas para os devidos ajustes.

Dor no maxilar ao abrir a boca e ao mastigar, o que pode ser?

 

Dor no maxilar ao abrir a boca e ao mastigar pode ter como primeira hipótese diagnóstica distúrbios da articulação temporomandibular (DATM), mas pode ocorrer devido a várias causas, tais como neuralgia do trigêmeo, fibromialgia, sinusite, mastoidite, otite, etc.

Discutiremos aqui os DATM, causa mais comum dos sintomas mencionados, para não tornar a resposta muito ampla, mas é fundamental consultar um médico para que ele possa, através de sua história detalhada, exame físico e complementares (quando necessários), determinar a causa exata da sua dor.

O profissional mais habilitado a tratar estes distúrbios (quando corretamente diagnosticados) é o cirurgião-dentista com especialização em oclusão dentária que trata adequadamente cada causa específica.

Causas

As principais causas dos DATM são aquelas que alteram os músculos faciais, espasmos nos músculos mastigatórios desencadeados por tensão ou estresse, depressão e ansiedade, artrites ou fixações na articulação temporomandibular, traumatismos na mandíbula, má oclusão dentária (mordida com defeitos), bruxismo (ranger dos dentes ao dormir), morder objetos estranhos, roer unhas, mastigar chicletes em excesso, tumores e problemas de crescimento na mandíbula.

Sintomas

Os principais sinais e sintomas (não é preciso que todos estejam presentes) compreendem principalmente dor facial (que piora ou só aparece ao abrir e fechar a boca, seja falando, bocejando ou ao se alimentar, que pode espalhar para qualquer lugar da face, ouvido, pescoço ou nuca), dificuldade para abrir a boca (com contraturas musculares e calcificações articulares), som de estalido ou rangido ao morder, sensação de mordida torta ou cruzada, desvio da mandíbula para um dos lados, edema (inchaço) em face, otalgia (dor no ouvido), surdez momentânea, vertigem ou zumbidos, ouvido “tampado” e perturbações visuais, além de cefaleias frequentes (dor de cabeça). Desse modo, o otorrinolaringologista é, frequentemente procurado, devendo estar familiarizado com o diagnóstico e tratamento.

Diagnóstico

diagnóstico é feito por um médico ou cirurgião dentista que palpa, observa e ouve a movimentação da mandíbula; sente o estado das articulações, dos músculos, dos ligamentos, a oclusão dos dentes (a mordida e correta coaptação das arcadas dentárias superiores e inferiores). São feitas perguntas ao paciente em busca de informações que possam ser a causa da dor e de outros sintomas, tais como traumas, hábitos orais, tratamentos médicos e dentais prévios. ​Podem ser solicitados exames de imagem da mandíbula e da movimentação da articulação em estágios variados (abertura total, média e fechamento total). Foram desenvolvidas uma variedade de outras técnicas para diagnosticar DATM, inclusive para localizar as contrações musculares, chamada de eletromiografia de superfície, sonografia (SonoPak), termografia e cinesiografia. São exames que detalham com precisão as estruturas afetadas.​

Tratamento

tratamento é inicialmente clínico; apenas em casos mais graves ou não responsivos à terapia conservadora deve-se recorrer a técnicas cirúrgicas. Os objetivos do tratamento são reduzir a dor, restabelecer função mandibular confortável, limitar a recorrência da dor e restabelecer o padrão de vida normal, o mais rapidamente possível.

Inicialmente, na fase aguda, pode-se utilizar analgésicos simples e aplicação de bolsas de água quente com massagens na região afetada. Também é importante evitar dietas que demandem mastigação excessiva (carnes) ou abrir muito a boca (maçãs inteiras, por exemplo). Alguns pacientes podem precisar de antidepressivos, anticonvulsivantes ou analgésicos mais potentes (mas sempre deve-se começar o tratamento com os analgésicos mais fracos, e ir subindo gradualmente de intensidade se não houver melhora dos sintomas). Há evidências de que técnicas de relaxamento diminuem o sofrimento em casos de dor crônica. Respire lenta e profundamente, enrijeça e relaxe seus músculos alternadamente. A ioga e/ou hipnose são úteis para algumas pessoas.

Em casos mais graves, existem as seguintes opções:

  • Terapia de aplicação ortopédica (placa estabilizadora);
  • Terapia oclusal (ortodontia, reabilitação oral, etc…);
  • Correção de problemas dentários;
  • Cirurgia

Em caso de dor no maxilar ao abrir a boca e mastigar, um médico deverá ser consultado para avaliação, tratamento e/ou encaminhamento a um cirurgião bucomaxilofacial ou otorrinolaringologista, se necessário (distúrbios da ATM).