O lago de Como proporciona uma das vistas mais bonitas da Lombardia

O lago de Como proporciona uma das vistas mais bonitas da Lombardia. O cenário é absolutamente deslumbrante: um lago cristalino com muitos tons de azul, rodeado por montanhas e florestas, que abriga dezenas de cidadezinhas, vilas históricas, igrejas centenárias, castelos medievais e casas coloridas. Sem falar na beleza das flores e na infinidade de cores, é indescritível.

Um pouquinho de informação: O lago de Como é o terceiro maior lago da Itália, depois do lago de Garda e do lago Maggiore. Trata-se de um lago glacial, ou seja, é formado pelas depressões das geleiras derretidas. É um dos lagos mais profundos da Europa, perto de Argegno atinge os 414 metros de profundidade.

Como ir de Milão a Como

Você pode ir de Milão a Como de carro ou de trem. De carro, basta pegar a estrada A9 Milano-Como-Chiasso que, depois de meia hora, 50 quilômetros e 4 euros muito bem gastos com pedágio, você estará em Como, aí é só colocar o carro no estacionamento ou nas áreas onde é permitido estacionar (há uma linha azul pintada no chão, se a linha for amarela não estacione, essas vagas são destinadas aos moradores de Como) e comprar o bilhete da zona azul na máquina (€ 2 a hora).

O trem para Como sai da estação Cadorna e da estação central, a passagem custa aproximadamente € 10 (ida e volta), o trajeto dura em torno de 1 hora e você desembarcará em frente ao lago (estação Como Nord Lago).

A companhia de trem que opera no lago de Como é a Trenord, a passagem pode ser comprada por internet, nas máquinas que estão dentro das estações de trem ou nos guichês. O preço é sempre o mesmo, comprando com antecedência ou diretamente no caixa.
Passeio de barco pelo lago de Como

São duas as opções de transporte pelo lago: os barcos particulares e os barcos públicos.
Os barcos particulares custam € 300 a hora e levam, em média, 12 passageiros. O preço é o mesmo, independente do barco que você escolher e da quantidade de pessoas que estiverem a bordo. Ou seja, se você estiver com um grupo de 4 pessoas, pagará € 300, se estiver com mais 1 pessoa, também pagará € 300.

Os barcos públicos percorrem as 40 cidadezinhas ao redor do lago e o preço das passagens varia entre € 1,30 e € 14,80, dependendo do trajeto escolhido e da época do ano. Os destinos sugeridos são a ilha Comacina, Bellagio, Laglio, Tremezzo e Varenna.

O passeio de barco de Como a Varenna tem a duração de, aproximadamente, 2 horas com o barco lento e de 1 hora com o barco rápido. De Varenna a Bellagio leva menos de 20 minutos. De Bellagio a Como são em torno de 2 horas com o barco lento (€ 10,40) e de 1 hora com o barco rápido (€ 14,80).

Fique atento à rota e aos horários dos barcos, embora saiam do mesmo local, os destinos e a duração dos passeios variam.

O bilhete do barco rápido é mais caro que o do barco lento.

O preço dos bilhetes e o horário dos barcos mudam de acordo com a época do ano.

Dica: se você quiser visitar mais de uma cidade, compre o bilhete de circulação livre (biglietto di libera circolazione), que custa € 25,8, é válido por todo o dia e o número de viagens é ilimitado.

Que cidades visitar no lago de Como

Bellagio – conhecida como a pérola do lago, é uma das cidadezinhas mais bonitas e mais românticas do lago de Como. As principais atrações são a Villa Serbelloni e o lindo jardim da Villa Melzi.
Como – com pouco mais de 90.000 habitantes, é a maior cidade do lago. Os principais pontos turísticos são as igrejas, a vila Olmo e o templo em homenagem ao cientista Alessandro Volta.

Qual é a melhor época para visitar o lago de Como: final de março ao final outubro, ou seja, primavera, verão e começo do outono. Alguns pontos turísticos como a ilha de Comacina, a vila Carlotta, a vila Melzi, a vila Monastero e o castelo de Vezio fecham nos primeiros dias de novembro e só reabrem no final de março.

Por que visitar as Antilhas Francesas

Muita gente tem necessidade de fugir durante o inverno. Então, que tal um pouco de cultura francesa e clima tropical? Há um pedaço do paraíso que, por enquanto, continua sendo um pouco secreto.

Esse destino é a Martinica, um lugar deslumbrante ainda não descoberto nas Américas. Nos mares orientais do arquipélago caribenho, ao norte de Santa Lúcia e ao sul de Dominica, fica o pequeno território francês. Faz parte do conjunto de ilhas das Antilhas Francesas, ao lado do arquipélago de Guadalupe, St. Barth e St. Martin.

O local representa uma fuga menos conhecida para algumas celebridades e viajantes perspicazes que focam na Europa e, muitas vezes, se referem a ele como a “pequena Paris das Índias Ocidentais”.

Cobrindo uma extensão de 684 quilômetros quadrados, a Martinica é o lar de um ecossistema tropical diversificado, praias deslumbrantes e uma mistura eclética de herança cultural crioula, africana, francesa e indiana – mas há mais do que isso. Você vai encontrar o coração da cultura crioula, que irá lhe agitar uma parte sua que está ansioso por algo diferente e desconhecido em torno das vastas águas azuis.

. Caminhe em um vulcão

Com dois terços da ilha sendo um parque protegido e 30% floresta tropical, a Martinica é um paraíso para os amantes da natureza, com o Monte Pelee sendo um dos destinos mais famosos. O vulcão opressivo e escultural, que entrou em erupção em 1902 causando a morte de aproximadamente 30 mil habitantes e destruindo a cidade de St. Pierre, permanece ativo até hoje.

Se você gostaria de seguir os passos das mulheres portuguesas que navegavam pelas encostas íngremes, desfiladeiros e densa vegetação para trocar seus produtos, recomenda-se fazer uma caminhada matinal, já que as nuvens geralmente ocultam as vistas de tirar o fôlego do cume. Você deve planejar o horário de preparação antes do amanhecer e garantir que o tempo esteja claro. Outras experiências memoráveis ​​ao ar livre incluem uma viagem para Les Gorges de la Falaise e suas magníficas cachoeiras e os jardins paradisíacos no Jardin de Balata.

Aproveite as praias

Com uma localização tão invejável, a Martinica é cercada pelo Oceano Atlântico e pelo Mar do Caribe. Se você está procurando por praias de areia branca perfeitas, então Les Salines e Plage du Coin Le Carbet, com o famoso restaurante de frutos do mar Le Petibonum, são algumas das alternativas mais populares. Já Anse Bonneville, na Península Caravelle, ao norte da ilha, e Basse Pointe, são ideais para surfistas.

 

Conheça a capital, a Riviera Francesa do Caribe

Apesar de ser a maior cidade das Índias Ocidentais Francesas e de ser moderna, Fort-de-France (a capital da Martinica) é um destino turístico elegante e discreto, que conseguiu manter o seu encanto “je ne sai quoi”. Boutiques chiques ao estilo parisiense na Rue Victor Hugo, restaurantes de luxo e o sedutor mercado Grande Marche, que vende uma grande variedade de delícias gastronômicas inspiradas no francês e no crioulo, misturam-se sem esforço ao lado de impressionantes marcos históricos.

A Cathédrale St-Louis, o Palais de Justice, a Bibliothèque Schoelcher e a base naval ativa do Forte St-Louis são excelentes exemplos da arquitetura colonial, art noveau, neo-gótica e romanesca-bizantina. O museu arqueológico pré-colombiano e pré-histórico da Martinica apresenta uma variedade de antiguidades indígenas e caribenhas.

Experimente o Agricole Rhum

Reconhecido internacionalmente por seu estilo único não industrial, o Agricole Rhum é uma delícia. Uma viagem à Martinica não estaria completa sem uma visita a uma de suas famosas destilarias. A St. James, por exemplo, abriga um dos únicos museus de rum do Caribe. O Habitation Clement é uma das plantações mais antigas e divide espaço com um museu de arte contemporânea e exuberantes jardins botânicos. A Rhum Depaz está situada no Monte Pelee, enquanto a Habitation Saint-Etienne está liderando o caminho em direção ao pioneirismo artesão, finalizando seu rum em barris.

Depois de aprender sobre como este tradicional rum de suco de cana fermentado é feito, você terá a oportunidade de degustá-lo, experimentando algumas de suas versões, muitas vezes infundidas com uma pitada de mel, manga e lima. Também são alternativas a Distillerie Clement Le Françoise, Depaz St Pierre e Trois Rivieres St Luce.

Viva como um nativo

Embora existam vários hotéis na ilha, que vão de resorts de luxo a chalés ecológicos, se preferir manter sua liberdade e privacidade reserve uma vivenda de luxo privada através de uma empresa especializada e absorva o ambiente em grande estilo. A Villa Courbaril foi a minha escolha, localizada na cidade de Marin, no lado sul da ilha, perto das praias da intocada costa caribenha. A villa fica no alto de uma encosta com vista para o mar do pátio dos fundos, onde há uma piscina infinita. Os belos sons dos pássaros e a brisa morna em Courbaril ofereceram o retiro perfeito.

VIAGEM -Lugares nos EUA para comer bem, com e sem ostentação

Nem sempre os melhores pratos são de restaurantes estrelados. Muitas vezes, podem estar em locais mais simples do que imaginamos. A Virtuoso, rede de agências especializadas em experiências de luxo, reuniu sugestões de restaurantes sofisticados e foodtrucks em Nova York e Califórnia que irão agradar diferentes paladares e bolsos.

1. Tacos el Bronco, Nova York
O food truck serve comida mexicana e fica estacionado em dois endereços, ambos no Brooklyn. Entre as opções, estão tacos e café da manhã típico mexicano, como ovos rancheros.

2. Mexicue, Nova York
A culinária servida pelo Mexicue têm inspiração em pratos mexicanos e no churrasco norte-americano, por meio de pratos saudáveis. Uma das pedidas mais famosas é a “avocado toast” (torrada de abacate), que pode ser acompanhada por um ovo frito.

A VO Experience é uma modalidade da Clínica Vasconcelos onde você terá uma experiência em odontologia intensiva, podendo realizar o seu tratamento no menor tempo possível, a partir de um plano de tratamento otimizado e com uma equipe de profissionais trabalhando conjuntamente no seu caso de forma totalmente personalizada. É uma modalidade ideal para aqueles que fazem viagens constantes, são de outras cidades, Estados ou países – o que também é conhecido como turismo odontológico – ou, ainda, para aqueles pacientes que possuem quadros de grave ansiedade em relação aos tratamentos odontológicos..Agende sua consulta com um de nossos dentistas especialistas

3. Kogi Korean BBQ, Los Angeles
A especialidade do food truck são tacos mexicanos com influência coreana. Um exemplo é o short rib taco, que leva duas tortilhas fritas, churrasco coreano caramelizado, salsa, cilantro e molho shoyo apimentado.

 

4. The French Laundry, Yountville
O sofisticado restaurante, localizado em Napa Valley, serve autêntica culinária francesa, em formato de menu degustação. O menu é alterado conforme a sazonalidade dos produtos.

5. Eleven Madison Park, Nova York
O restaurante está localizado próximo ao Madison Square Park. É possível pedir menu degustação de oito ou dez tempos, assim como apreciar drinques acompanhados de aperitivos no ambiente do bar.

 

 

 

 

VIAGEM – Dicas de lugares para quem gosta de se aventurar

As agências de turismo de luxo investem, cada vez mais, em roteiros ecológicos e de aventura, até por conta de o interesse de viajantes por esse tipo de viagem ser crescente.

Seja caminhar por trilhas anciãs de peregrinação no Japão, buscar leopardos-das-neves no Himalaia ou explorar Cuba em um caiaque, não faltam opções incríveis de novas viagens de aventura neste ano.

Alpes franceses
Andar pelas margens do Lago Genebra e pelas montanhas, parar em Evian, Chamonix, Aiguille du Midi, Mont Blanc e no Mer de Glace. É uma semana de cabanas e chalés alpinos, fazendas da Sabóia, fazendas de queijo, resorts de águas termais e histórias da II Guerra Mundial. Espere algumas opções de caminhada desafiadoras e variadas e vistas memoráveis, junto de visitas a resorts da moda e a algumas das mais belas vilas na França. O roteiro é oferecido pela agência de turismo The Wayfarers.

LEIA TAMBÉM 5 dicas de como incorporar bem-estar a viagens de negócios

Esportes nos Bálcãs
“Macedônia e Albânia são dois destinos subestimados na intersecção entre Ocidente e Oriente, cristianismo e islã”, diz Trish Sare, da agência de turismo esportivo Bike Hike Adventures. “A Macedônia é uma mistura de civilizações. Ao mesmo tempo em que a nação balcânica tem muitas semelhanças notáveis com a Grécia e a Turquia, esse destino emergente mantém um nível sem igual de autenticidade. A Albânia é como dar um passo para trás no tempo, mas compete com qualquer outro lugar no Mediterrâneo, e sem os turistas. Visitamos mosteiros medievais, bazares perdidos no tempo e fortalezas anciãs e aproveitamos um chá com alguns dos últimos monges remanescentes da área. Andamos de caiaque pelas águas cristalinas do Matka Canyon, andamos de bicicleta pela lendária Shar Planina, a maior cadeia de montanhas dos Bálcãs, e caminhamos pelo Mavrovo National Park, um patrimônio da Unesco. A viagem chega ao final com um passeio de bicicleta pela região vinícola de Tikvesh, a maior dos Bálcãs. É uma viagem para os desbravadores que buscam os caminhos menos explorados.”

ANTES DE VIAJAR FAÇA UM CHECK UP ODONTOLÓGICO. AGENDE SUA CONSULTA EM UMA DE NOSSAS UNIDADES

 

Andar de caiaque em Cuba
“Nossa mais nova aventura é um itinerário único que mescla excursões ativas no litoral, nas cidades, nas montanhas e nas zonas úmidas de Cuba com autênticos encontros culturais”, diz Steve Markle, da agência de viagens O.A.R.S. “Como parte de um itinerário de oito dias, nossos hóspedes comem refeições locais e exploram a Havana colonial antes de viajar à Costa Sul para andar de caiaque e mergulhar com snorkel em meio aos incríveis recifes de coral e lagoas isoladas. A maioria das pessoas não sabe disso, mas Cuba ostenta alguns dos recifes mais saudáveis do Ocidente e as maiores áreas úmidas protegidas do Caribe. Nós visitamos Cojimar, a Baía dos Porcos, Playa Girón e Cienfuegos, ficamos com famílias locais, aprendemos sobre sua cultura e escutamos deles como veem seu país e a si mesmos nos próximos anos.”

Excursões em pequenos grupos na Irlanda
“Nossa aventura de sete dias ‘Magnetic North’, na Irlanda do Norte e no Noroeste da república, inclui duas noites em Donegal, recentemente eleito pela ‘National Geographic’ como o lugar mais bacana do mundo”, diz Rob Rankin, da agência de turismo Vagabond. A Irlanda do Norte e o Noroeste ainda são muito menos desenvolvidos do que o Sul e o Oeste do país, então, é possível escapar das multidões em uma época em que o mundo todo parece estar cheio de turistas.”

Caminhada no Japão: Caminho de Kumano e Nakasendo
Esse é o primeiro itinerário da agência de turismo de aventura REI Adventures no Japão e o primeiro novo itinerário da empresa na Ásia em cinco anos. A tradição anciã encontra a vida moderna nessa excursão de caminhada de 11 dias que destaca patrimônios da Unesco no país e suas distintas trilhas de peregrinação. O roteiro inclui explorar o Caminho de Kumano, uma série de rotas de peregrinação que se espalham pela maior península do Japão, e a trilha Nakasendo, que se estende pela rota anciã de comércio e pelos Alpes Orientais Centrais.

Opções de lugares para você ter experiências de piqueniques muito luxuosos

No entanto, apesar da simplicidade, é possível transformar a experiência em algo muito luxuoso. Alguns hotéis, assim como restaurantes, elevaram os piqueniques a outro patamar.

Farol Hotel, Cascais (Portugal)

Imagine aproveitar um piquenique nas falésias de Cascais, com vista deslumbrante do oceano. É isso que o Farol Hotel propõe com sua experiência de piquenique luxuoso. Os hóspedes chegam ao local em uma limousine e são abastecidos com um cesto de iguarias para duas pessoas que inclui champanhe e comidas típicas da culinária portuguesa. No Brasil, o hotel pode ser reservado pela Interpoint Viagens & Turismo.

Restaurante Novikov, Londres (Inglaterra)

O restauranter Arkady Novikov, proprietário do restaurante Novikov, em Londres, lançou uma proposta de piquenique bem extravagante. O menu inclui pratos da culinária asiática e italiana, como tacos de Wagyu (raça “premium” de boi japonesa), salada de lagosta e gunkan de ovos de codorna (tipo de sushi). Os clientes precisam encomendar a cesta, que sai por £ 300 e inclui champanhe.

A VO Experience é uma novidade da Clínica Vasconcelos. Nesta modalidade você terá uma experiência em odontologia intensiva, podendo realizar o seu tratamento no menor tempo possível, a partir de um plano de tratamento otimizado e com uma equipe de profissionais trabalhando conjuntamente no seu caso de forma totalmente personalizada. É uma modalidade ideal para aqueles que fazem viagens constantes, são de outras cidades, Estados ou países – o que também é conhecido como turismo odontológico – ou, ainda, para aqueles pacientes que possuem quadros de grave ansiedade em relação aos tratamentos odontológicos. AGENDE SUA CONSULTA AQUI

 

Hotel Castello Del Nero, Toscana (Itália)

A região de Chianti é conhecida por suas vinícolas. No hotel, o chef Giovani Luca di Pierro – responsável pelo restaurante La Torre (1 estrela Michelin) – prepara uma cesta com produtos típicos toscanos: pães, queijos, embutidos, azeitonas, tortas, compotas e, é claro, vinhos e espumantes. Os hóspedes podem usar o jardim para conduzir a experiência. A Interpoint Viagens & Turismo oferece o hotel em seu portfólio.

Hotel Claridge’s, Londres (Inglaterra)

O piquenique do hotel é mais do que completo: além da seleção de pratos tradicionais ingleses – como sanduíches de pepino e ovos de codorna -, o kit inclui mantas da marca Burberry e uma câmera da marca Leica. Para ocasiões especiais, é possível ainda contratar o serviço de mordomo, que pode servir champanhe, caviar, blinis (mini panquecas de origem russa) e até sorvete.

Que tal uma volta ao mundo em grande estilo

A primeira volta ao mundo ninguém esquece. Ela começou em 10 de agosto de 1519, sob o comando do navegador português Fernão de Magalhães, patrocinado pela coroa espanhola.

Pelo caminho, tempestades, motins, mortes (incluindo a decapitação de um capitão traidor), naufrágios, doenças e fome. O próprio Fernão morreu no meio da aventura, atingido pela lança envenenada de um habitante da ilha de Mactan, atual Filipinas. Das cinco caravelas que partiram de Sevilha com 237 homens, só uma retornou, em 8 de setembro de 1522 (mais de três anos depois!). No “check-out”, 18 esquálidos e cambaleantes sobreviventes. A epopeia provou que a Terra é redonda. E que nosso espírito de aventura não conhece fronteiras.

Os roteiros duram de 20 ou 25 dias (por avião) a vários meses (de navio). A experiência vai além do luxo e da exclusividade

Corta para o século 21. Como você prefere repetir o feito de Fernão de Magalhães? Em 25 dias, a bordo de um jato exclusivo? Ou de navio, durante meses de lazer e conforto? Enriquecendo seu conhecimento sobre os maiores impérios que floresceram no planeta ou deliciando-se com a gastronomia dos mais variados recantos do globo?

PELOS ARES

A Latitudes lançou, em 2016, um roteiro customizado, em português, para 50 pessoas. “O brasileiro gosta de ter um pouco mais de tempo, de não fazer tantas atividades durante o dia. À noite, gosta de um espaço para socializar”, diz Alexandre Cymbalista, sócio-diretor da empresa. A segunda expedição parte em março de 2018 e vai cumprir um roteiro que segue o tema “Grandes impérios da humanidade”. A bordo de um jato 757-200 remodelado, oito destinos serão explorados em 26 dias: Mérida (México), Big Island (Havaí), Kyoto (Japão), Lijiang (China), Jodhpur (Índia), Shiraz (Irã), Taormina (Itália) e Marrakesh (Marrocos). Serão três noites em cada destino, respeitando o ritmo menos frenético e mais contemplativo do brasileiro.

Os 50 viajantes serão acompanhados por especialistas em história e ficarão hospedados em hotéis de luxo. O preço por passageiro é de US$ 138.800. No início de abril, faltando quase um ano para a decolagem, metade dos lugares já estava reservada.

LEIA TAMBÉM  O que fazer se o dente doer durante um voo de avião

“Um dos pontos altos da primeira viagem foi a integração entre as pessoas. A idade média dos passageiros fica entre 55 e 75 anos, mas também tivemos gente mais jovem. O público foi supervariado, com diferentes estilos de profissionais. Tivemos casais e viajantes solos também”, diz Cymbalista.

A VO Experience é uma novidade da Clínica Vasconcelos. Nesta modalidade você terá uma experiência em odontologia intensiva, podendo realizar o seu tratamento no menor tempo possível, a partir de um plano de tratamento otimizado e com uma equipe de profissionais trabalhando conjuntamente no seu caso de forma totalmente personalizada. É uma modalidade ideal para aqueles que fazem viagens constantes, são de outras cidades, Estados ou países – o que também é conhecido como turismo odontológico – ou, ainda, para aqueles pacientes que possuem quadros de grave ansiedade em relação aos tratamentos odontológicos. AGENDE SUA CONSULTA 

Se sua fome por comida for maior que a fome por cultura, uma boa forma de explorar o mundo é seguindo roteiros gastronômicos. O Four Seasons Jet e o estrelado restaurante Noma elaboraram, em conjunto, um roteiro com nove destinos e 20 dias de duração. Os participantes decolam de Seul, depois de um jantar na casa do chef Jong Kuk. Seguem viagem para Tóquio, Hong Kong, Chiang Mai, Mumbai, Florença, Lisboa, Copenhague e Paris, onde se despedem da jornada com um jantar exclusivo no restaurante Le Cinq. Essa “meia volta ao mundo” custa a partir de US$ 135 mil por pessoa. Para Vince Parrotta, presidente de operações da rede hoteleira, a experiência vai além do luxo e da exclusividade: “Tem a ver com as pessoas que o passageiro vai conhecer, com os novos sabores, com as experiências visuais e sonoras nas quais vai mergulhar e as incríveis lembranças que ele vai trazer para casa”.

PELOS MARES

Fazer a circum-navegação pelo mar demanda mais tempo. As empresas Regent Seven Seas e Crystal Cruises apostam em rotas marítimas diferenciadas – e longas.

A Crystal Cruises, segundo Thiago Vasconcelos, diretor da Pier 1 (responsável pela representação da Crystal no Brasil), nunca repete a mesma rota. A estratégia justifica-se pelo fato de muitos passageiros, ano após ano, procurarem viagens com o mesmo estilo.

O bancário aposentado Marco Pollo (bom nome para um viajante contumaz) é um exemplo disso. Ele já fez 58 viagens com a companhia: “Meu último destino foi a Antártida, e cada vez eu me apaixono mais: China, Japão, Polinésia Francesa e Austrália foram alguns dos que eu mais gostei”. A novidade da companhia para o próximo ano é o encontro entre os navios Crystal Serenity e Crystal Symphony. Cada embarcação parte de um local: o Serenity sai de Los Angeles e o Symphony parte da Cidade do Cabo. O encontro ocorrerá em Sydney, onde os passageiros podem fazer a troca de embarcação e, consequentemente, de rota.

O navio da Regent que faz a volta ao mundo é o Navigator, que tem 245 suítes e capacidade para 490 pessoas. O roteiro passa por 31 países, explorando grandes e pequenos portos. A rota de 2018 realizará uma round-trip de 137 dias, Los Angeles-Los Angeles. Boa parte desse tempo será gasto na Ásia.

Para que os passageiros não sintam nem sombra do desconforto que afligiu os pioneiros de 500 anos atrás, o navio oferece cassino, teatro, cinco restaurantes, serviço de lavanderia, apoio médico e wi-fi. O valor dessas regalias começa em R$ 189.679 (para a suíte mais simples) e chega a R$ 598.729 (acomodação máster, com 130 m², dois quartos e serviço de mordomo exclusivo).

Quem achar que 137 dias é muito tempo, pode optar por comprar trechos do percurso ou por desembarcar pelo meio do caminho e esperar o navio retornar, no trajeto de volta. “Não precisa se preocupar com nada, tudo está incluso. O passageiro tem só que aproveitar”, diz Estela Farina, proprietária da marca Regent Seven Seas. “Quando você começa a conversar sobre esse tipo de viagem com as pessoas, os olhos delas até brilham.” Morra de inveja, Fernão de Magalhães.

Conheça o primeiro trem de luxo da América do Sul- Belmond Aldean Explorer

Não é de hoje que a Belmond, empresa especializada em experiências de luxo, investe no Peru. No total, já são seis hotéis no país: Belmond Miraflores Park (Lima), Palacio Nazarenas (Cusco), Hotel Monasterio (Cusco) , Sanctuary Lodge (Machu Pichu) e Rio Sagrado (Sacred Valey) e o recém-inaugurado Las Casitas (Arequita). Além disso, no portfólio estão também os trens Belmond Hiram Bingham e o novo Aldean Explorer.

Com design inspirado em elementos da cultura peruana, o Belmond Aldean Explorer percorre uma das rotas ferroviárias de maior altitude do mundo. Os cenários contemplados pelos viajantes vão de montanhas cobertas de neve e lagos a rebanhos de alpacas, lhamas e vicunhas.

Intimista, veículo tem capacidade para apenas 48 passageiros

A VO Experience é uma novidade da Clínica Vasconcelos. Nesta modalidade você terá uma experiência em odontologia intensiva, podendo realizar o seu tratamento no menor tempo possível, a partir de um plano de tratamento otimizado e com uma equipe de profissionais trabalhando conjuntamente no seu caso de forma totalmente personalizada.SAIBA MAIS AQUI

São quatro tipos de cabines, todas decoradas com tecidos peruanos feitos à mão e lã de alpaca. A capacidade total do veículo é de 48 pessoas. Para acomodar os hóspedes, os vagões possuem diferentes tipos de ambientes: lounge com piano e drinques, spa, um vagão de observação e um deque aberto onde são realizados shows de música latina e servidos piscos. Este último é ideal para contemplar as paisagens.

No que diz respeito à experiência gastronômica, a viagem é comandada pelo chef-executivo Diego Muñoz, que serve pratos típicos da região, como o milho com queijo e tortellini de alpaca. Há, ainda, a possibilidade de participar de uma aula de ceviche.


Os passageiros podem optar por quatro rotas diferentes de, no máximo, duas noites: Montanhas Peruanas (Cusco, Lago Titicaca e Arequipa), Planícies Andinas e Ilhas de Descoberta (Arequipa, Lago Titicaca e Cusco), Espírito da Água (de Cusco a Puno) e Espírito dos Andes (de Puno a Cusco).

Já a nova propriedade, o Belmond Las Casitas, está localizado na região de Arequipa, sul do país, e conta com apenas 20 quartos, todos com terraço individual, piscina e vista para o cânion Colca. No complexo, também está o Spa Samay, que oferece tratamentos com ingredientes naturais do jardim do hotel.

The Ned um híbrido de hotel e clube privado recém-inaugurado em Londres

Pouco antes da inauguração, os hotéis costumam ter a mesma trilha sonora: sons de furadeiras acompanhados por um constante zumbido de uma urgência no trabalho. No The Ned foi diferente. A menos de um mês de sua inauguração, a banda já se apresentava no salão principal, enquanto, ao seu redor, garçons eram treinados e bares abastecidos. Apenas ouvidos mais atentos perceberiam, além do jazz funk, alguns ruídos típicos de construção.

 

Com 252 quartos, o The Ned, híbrido de hotel e clube privado no coração financeiro de Londres, era o lançamento mais esperado do ano. Localizada na frente do Bank of England, a construção já foi sede do Midland Bank. Depois, o térreo foi cenário do que parecia uma invasão de caixas e bancários, cercados por 92 pilares, todos cobertos por brilhantes intrincados, sobre ladrilhos de mármore verde. Levou quatro anos e cerca de £ 200 milhões para a renovação.

 

O nome “The Ned” é uma homenagem ao arquiteto do edifício, Edward Lutyens, que o projetou em 1929. Ele é também o responsável por planejar e construir Nova Deli, a capital da Índia, particularmente o Viceroy’s House (casa oficial do presidente do país). A nostalgia reina nos quartos, onde existem lustres desenhados para dar a ideia de um conjunto de folhas de palmeiras, camas de ferro e tapetes orientais. As £ 3.500 que se paga por uma noite na suíte Chairman parecem uma pechincha. O quarto pode ser traduzido como um conjunto de salas com acesso direto pelo elevador. Quando o Ned foi construído, esse era o único elevador no prédio (apesar de seus 11 andares) e era reservado só para o presidente do conselho de administração (daí o nome da suíte).

Hotel e club privado The Ned

O lugar mais agradável para se estar trancado: o cofre do The Ned Hotel

As colunas permaneceram, mas entre elas está, agora, muito glamour e, acima de tudo, inteligência. No início do mês, mais especificamente no dia 2, o andar térreo passou a abrigar – em um espaço contínuo – sete diferentes restaurantes, com os antigos balcões dos bancos adaptados para servirem como divisórias dos ambientes. A abundância de opções gastronômicas inclui uma filial do Cecconi’s, inspirado em Nova York; um restaurante de poke (prato havaiano à base de peixe); uma brasserie 24 horas; e o SolCal, inspirado no Malibu Kitchen, onde as entradas passam por ceviches e presunto curado com pólen de abelha. Os pratos principais incluem bowls de arroz com couve e vegetais. A faixa de preço está entre £ 8 e £ 15.

Hotel e club privado The Ned 2017

A filial do Cecconi’s faz parte dos sete restaurantes que o hotel oferece

E as porções serão generosas. “Nick Jones, dono do hotel Soho House, odeia porções pequenas” é frase corrente por lá. O Ned é uma aliança entre ele, o Sydell Group e Ron Burkle, empresário que apresentou os dois e investiu nas duas empresas. Jones talvez tenha uma comprovada habilidade de oferecer agitação, mas o maior Soho House, localizado em Berlim, tem apenas 100 quartos. Em contrapartida, o Sydell Group comanda o Nomad, em Nova York, e as marcas Line, assim como os Freehands em Miami, Chicago e Los Angeles.

A VO Experience é uma novidade da Clínica Vasconcelos. Nesta modalidade você terá uma experiência em odontologia intensiva, podendo realizar o seu tratamento no menor tempo possível, a partir de um plano de tratamento otimizado e com uma equipe de profissionais trabalhando conjuntamente no seu caso de forma totalmente personalizada. É uma modalidade ideal para aqueles que fazem viagens constantes, são de outras cidades, Estados ou países – o que também é conhecido como turismo odontológico – ou, ainda, para aqueles pacientes que possuem quadros de grave ansiedade em relação aos tratamentos odontológicos.SAIBA MAIS AQUI 

Em 1992, o HSBC assumiu o Midland Bank e transferiu seus funcionários para o Canary Wharf (complexo de edifícios comerciais). Mas, como os bancos saíram da cidade, outro negócio, voltado para tecnologia, acabou tomando conta do lugar. A Amazon está abrindo novas sedes nas proximidades da Liverpool Street. A Deliveroo, a rival do Reino Unido do UberEats, tem seu quartel general na Cannon Street.

Hotel e club privado The Ned

A nostalgia da era eduardiana invade os quartos

As ruas ao redor do Ned abrigam restaurantes e um spa com serviços de salão de beleza. Integrantes do clube de fidelidade do Soho House, de Jones, têm direito a taxas especiais na reserva, mas o Ned tem seu próprio clube independente. Junte-se a ele e outras oportunidades aparecerão. No térreo, por exemplo, está o Lutyens’ Grill, enquanto do sétimo andar, em um terraço no telhado, é possível ver de perto os arranha-céus Gherkin e Walkie Talkie de um lado e a catedral St. Paul, do século 17, de outro, além de todos os fornos a lenha para pizza e as piscinas, deixando claro que o Ned foi planejado para ser divertido e descolado, unindo a velha e a nova cidade.

O mais divertido é o cofre subterrâneo que já abrigou milhões de libras em ouro e objetos de valor. Hoje, é só atravessar a porta de 20 toneladas para ficar cercado de bebidas, com as seguras caixas de depósitos ainda fazendo parte das paredes. Outro cofre se tornou uma sala de ginástica com uma piscina para a prática de natação, além de salas de relaxamento e um spa.

Um dos quartos de categoria intermediária

O nome “The Ned” é uma homenagem ao arquiteto do edifício, Edward Lutyens, que o projetou em 1929. Ele é também o responsável por planejar e construir Nova Deli, a capital da Índia, particularmente o Viceroy’s House (casa oficial do presidente do país). A nostalgia reina nos quartos, onde existem lustres desenhados para dar a ideia de um conjunto de folhas de palmeiras, camas de ferro e tapetes orientais. As £ 3.500 que se paga por uma noite na suíte Chairman parecem uma pechincha. O quarto pode ser traduzido como um conjunto de salas com acesso direto pelo elevador. Quando o Ned foi construído, esse era o único elevador no prédio (apesar de seus 11 andares) e era reservado só para o presidente do conselho de administração (daí o nome da suíte).

Sugestões que de presentes que sua mãe merece ganhar

As mães merecem o melhor todos os dias. Mas já que existe uma data em que é permitido caprichar no presente,

Se a sua mãe é adepta as experiências, que tal um day spa no Aigai, em plena cidade de São Paulo? E uma viagem para o Hotel Ponta dos Ganchos, em Santa Catarina? Caso ela prefira presentes mais “duradouros”, uma boa sugestão é um relógio Montblanc – clássico e atemporal.

Relógio Bohème Perpetual Calendar, Montblanc

O relógio tem calibre automático, com função de calendário perpétuo que necessita ser ajustado apenas uma vez a cada 100 anos. Sua caixa em ouro rosa tem 36 mm, os ponteiros são em forma de folha e os algarismos arábicos são inspirados em motivo floral preto.

Pacote de viagem para Ponta dos Ganchos

O hotel está localizado a apenas 50 minutos de Florianópolis (SC). A propriedade – exclusiva para adultos – abriu uma exceção e aceitará crianças acima de 12 anos para a comemoração do Dia das Mães. No pacote, estão incluídos workshop de culinária saudável, massagem relaxante, trilha para a Praia de Fora e fim de tarde na praia com música, conhaque e marshmallow. A diária dá direito ainda a drinque de boas-vindas, cesta de frutas no bangalô, café da manhã e chá da tarde

Experiência My Spa, Aigai

O Aigai é um spa urbano, localizado na zona oeste de São Paulo. Uma boa sugestão para a data é a experiência My Spa, destinado para momentos de relaxamento junto a convidados e amigos. O pacote é flexível – os tratamentos e tempo de duração são definidos pelos clientes

SP-Arte 2017: Festival Internacional de Arte de São Paulo

pedro-david-blau-projects_sufocamento-34-2017-da-sc3a9rie-madeira-de-lei_cortesia-blau-projects

A SP-Arte entra em sua 13ª edição com novo sobrenome: Festival Internacional de Arte de São Paulo. O evento acontece entre quinta (6) e domingo (9), no Pavilhão da Bienal, com a presença de 159 galerias (134 de arte moderna e contemporânea e 25 de design) de doze países. O negócio que há muito deixou de ser apenas uma plataforma comercial transborda os limites do prédio.

Neste ano, ao menos 180 eventos paralelos tomam espaços culturais da metrópole, incluindo aberturas de exposições, performances, lançamento de livros, coquetéis, debates e festas. Não à toa, justamente em função da SP-Arte e da Bienal, São Paulo é hoje considerada uma das dez cidades mais influentes do globo quando o assunto é arte.

Confira os destaques da programação e as grandes novidades da edição:

Starry Pumpkin, de Yayoi Kusama, integra o estande da Japan House que apresenta artistas nipônicos (Cortesia de Ota Fine Arts, Tokyo/Yayoi Kusama/Veja SP)
japan-house_yayoi-kusama_courtesy-of-ota-fine-arts-tokyo_singapore

Arte japonesa: Obras de Yayoi Kusama, como Starry Pumpkin, são sempre um chamariz de público. Outros artistas japoneses nem tão conhecidos por aqui também serão representados em peso. Fique de olho no estande da Japan House e das galerias Taka Ishii e White Rainbow.

repertorio_richard-long_lisson-gallery_crc3a9dito-josc3a9-luis-gutic3a9rrez_courtesy-cac-mc3a1laga

Circle for Sally, de Richard Long integra o setor Repertório (José Luiz Gutiérrez/Veja SP)

Referências mundiais: Nomes célebres como o italiano Michelangelo Pistoletto e o britânico Richard Long, fazem parte do novo setor da feira, o Repertório. Formado por dezesseis galerias nacionais e estrangeiras, o núcleo mostra trabalhos de artistas importantes nascidos até os anos 50.

Alexandre Heberte apresenta seu trabalho no estande do projeto Melissa Meio-Fio (Vtao Takayama/Veja SP)
melissa-meio-fio-alezaxandre-heberte

Talentos urbanos: O projeto Melissa Meio-Fio buscou artistas periféricos ao tradicional mercado de arte para apresentar sua produção na feira. Alexandre Heberte, Linn da Quebrada e Tasha e Tracie — que têm a cidade de São Paulo como inspiração — compõem uma mostra num estande especial.

Visitas guiadas gratuitas: nove trajetos de 45 minutos cada (Pétala Lopes/Veja SP)
foto-pc3a9tala-lopes

Visitas guiadas: Chega de ficar perdido pelos três andares do prédio da Bienal e pelas centenas de estandes que cabem ali. Nesta edição, curadores selecionados pela equipe da feira vão guiar grupos de quinze pessoas e indicar obras imperdíveis e artistas destacados. São nove trajetos divididos por temas que têm a duração de 45 minutos cada um. As inscrições gratuitas devem ser feitas pelo e-mail visitas@sp-arte.com.

Pavilhão da Bienal. Parque do Ibirapuera, portão 3. Quinta (6) a sábado (8), 13h às 21h; domingo (9), 11h às 19. R$ 45,00.

Fonte: Veja SP