Alimentos e bebidas com corantes que afetam a coloração dos dentes

Quando vemos uma pessoa de sorriso largo, com dentes branquinhos e alinhados, isso nos chama muito a atenção e logo associamos essa imagem a uma pessoa cheia de saúde, beleza e vitalidade!

Os dentes bem cuidados dizem muita coisa sobre a personalidade de alguém: detalhe, capricho, cuidado.

 

Mesmo dispensando horas escovando os dentes, passando fios dentais, enxaguantes, fazendo limpezas no dentista, um dia nos olhamos no espelho e reparamos que aquela cor vibrante do nosso sorriso, aquele branquinho, ficou amarelado! Ficamos tentando entender o que pode ter acontecido.

Eu não fumo, eu não tomo café, não bebo vinho, o que será?

Ficamos preocupados e muitos acham que isso faz parte do envelhecimento…

Existem pessoas, inclusive, que chegam ao ponto de detestar a coloração de seus dentes. Isso não é apenas estética e deve ser visto com respeito e consideração. Há quem adquira o hábito de sorrir apenas com as mãos na frente da boca ou de nunca  mais tirar fotos com o sorriso largo. Esse problema que pode parecer especificamente estético, pode vir a transformar-se em um problema social.

Alimentos e bebidas com corantes que afetam a coloração dos dentes

Mas o que acontece com os dentes para ficarem amarelados?

A coloração dentária vem de uma camada chamada dentina. Quando o esmalte do dente, que é protetor da dentina, é afetado, aparece o problema de amarelamento, pois ele fica mais exposto, aumentando os riscos de absorver os pigmentos do que comemos – os chamados corantes.

Abaixo listamos os alimentos que causam maiores danos ao esmalte dentário:

  • Açaí;
  • Beterraba;
  • Acidez de algumas frutas;
  • Refrigerantes;
  • Vinhos;
  • Cafés;
  • Chás;
  • Amora;

Alimentos e bebidas com corantes que afetam a coloração dos dentes

  • Mirtilo;
  • Molhos de tomate e catchup;
  • Molhos de soja;
  • Ameixa;
  • Suco de uva;
  • Morango;
  • Amora,
  • Milho;
  • Folhas escuras;
  • Chocolate;
  • Balas e chicletes e
  • Sucos coloridos artificialmente.

Alimentos e bebidas com corantes que afetam a coloração dos dentes
O que podemos fazer para evitar isso?

Primeiramente, os especialistas indicam evitar ou diminuir o consumo dos alimentos acima citados. Outra dica super importante, é a higiene bucal, que auxilia a manter os dentes sem excesso de pigmentos – uma boa escovação, após as refeições, evita as manchas.

Uma ótima solução para isso é o clareamento dental – excelente opção para quem tem manchas permanentes que a escovação já não resolve por conta própria.

Para ter certeza se o seu caso  é indicado para clareamento, apenas um profissional pode fazê-lo. As manchas podem surgir por diferentes motivos, seja por consumo de cigarros ou causas internas nas estruturas do dente, como na dentina ou esmalte.

E você, se preocupa em sair na foto com os dentes branquinhos? Já pensou sobre o poder que o corante dos alimentos têm sobre nossos dentes?

Próteses e implantes dentários: você sabe quais são as diferenças?

Soluções muito conhecidas e utilizadas por quem passa por algum problema dentário, as próteses e implantes dentários são bastantes diferentes.

Neste artigo apontaremos as principais diferenças entre Próteses e implantes dentários

 

Próteses dentárias

É definida como prótese dentária a forma de reconstrução ou substituição de dentes danificados ou perdidos, devolvendo ao paciente as funções mastigatórias, estéticas e fonéticas, além da proteção das funções articulares.

Existem dois principais tipos de prótese dentária:

1) Próteses fixas:
A prótese fixa é utilizada apenas em casos em que o paciente perdeu poucos dentes. É feita uma ponte fixa, onde o dente é colocado apoiando-se em outros dois dentes, um de cada lado.

2) Próteses móveis:

A prótese móvel é indicada nos casos em que há perda de muitos dentes. Nesse caso, não há como utilizar o apoio de outros dentes.

principais tipos de prótese dentária
Implantes dentários.

Os implantes dentários são estruturas de metal (normalmente titânio) que são cirurgicamente inseridas no osso maxilar abaixo das gengivas, atuando como substitutos das raízes dos dentes.

Qualquer paciente pode realizar implantodontia sem contra indicação. No entanto, para fumantes os riscos de rejeição são maiores.

O implante apresenta a vantagem de não incomodar nas atividades do dia-a-dia, proporciona um sorriso muito mais natural e harmonioso, garantindo a elegância no sorriso do paciente.

Principais diferenças ente próteses dentárias e implantes dentários.

Apesar de as próteses dentárias necessitarem de um investimento relativamente menor que os implantes, a implantodontia é mais escolhida pela discrição do aparelho, por não causar incômodos ou dores e, sobretudo, pela durabilidade: alguns implantes podem durar até 20 anos.

Principais diferenças ente próteses dentárias e implantes dentários.


Manutenção e higiene

No caso de prótese dentária, dependendo do modelo utilizado, a higienização precisa ser feita em etapas e com ferramentas específicas.

As próteses dentárias normalmente exigem escovas interdentais. As fixas, além de escovação também exige o uso de fio dental diariamente.

Na prótese móvel a higienização deve ser realizada fora da boca, utilizando uma escova macia e, se possível, algum limpador próprio para dentaduras e próteses.

No caso do implante dentário, a higienização tradicional pode ser  feita pelo paciente – escovação, fio dental e enxaguante bucal.

É importante ressaltar que no caso do implante é imprescindível avaliação do dentista para a manutenção da limpeza. A manutenção dos dois métodos de tratamento exige do paciente visitas periódicas ao dentista.

O uso do fio dental é imprescindível para remover todos os restinhos de comida acumulados entre os dentes, prevenindo doenças gengivais e, também, proporcionando uma limpeza mais profunda e eficaz para o implante ou prótese.

O cirurgião-dentista é o único que pode determinar qual é o método mais indicado e ideal para cada paciente.

Ao escolher o melhor método, é fundamental que o paciente esteja consciente dos fatores que o levaram a procurar ajuda e tenha pleno conhecimento de seu histórico médico.

Retração gengival, um problema que tira o sono de muita gente.

A retração gengival é um das principais causas para consultas ao dentista. E com razão, já que a além dos danos estéticos ao sorriso, a recessão das gengivas traz consigo dores e até mesmo riscos para fraturas e perdas dentárias. E o pior de tudo isso é que o problema pode aparecer até mesmo em indivíduos com excelente padrão de escovação dos dentes. Nestes casos, tratar rapidamente a condição recessiva é a melhor ideia.

O tratamento da retração gengival varia de acordo com as causas. A mais comum é a periodontite, uma doença infecciosa associada à higienização oral deficiente cujos resultados é a reabsorção das gengivas e do osso que circunda as raízes dentárias. Nestes casos, a terapia básica envolve a remoção (raspagem) da placa bacteriana e tártaro localizados junto e abaixo das gengivas.

Retração gengival, um problema que tira o sono de muita gente.

Retração gengival, um problema que vem tirando o sono de muita gente.

A segunda causa mais frequente para o aparecimento precoce de raízes dentárias expostas é a pressão excessiva das cerdas das escovas dentárias contra os tecidos gengivas – o trauma gengival por escovação. O tratamento da retração gengival, nestas condições, faz-se através de novas instruções de higiene oral e seleção cuidadosa de instrumentos para limpar dentes e gengivas.

Gengivas finas, o biotipo que aumenta as chances para a retração gengival.

A retração gengival normalmente ocorre de maneira mais rápida em indivíduos com gengivas finas e delicadas. E quando as causas para a recessão das gengivas é a escovação e uso de fio dental de forma a traumatizar os tecidos, os riscos para a exposição das raízes dentárias fica ainda mais evidentes. O que fazer?

Os riscos para a retração das gengivas de biotipo fino aumentam ainda mais quando estas estão associadas a freios labiais, dentes mal posicionados e tratamento ortodôntico inapropriados. Além disso, várias pesquisas científicas indicam que a recessão das gengivas ocorre de maneira mais intensa quando causadas por doenças gengivais infecciosas como a gengivite ou periodontite. Nestes casos, um rol de procedimentos preventivos e cirúrgicos precisam se tomados com urgência.

Uso indevido do fio dental pode retrair gengivas finas.

Retração gengival, um problema que tira o sono de muita gente.

O biotipo gengival fino requer atenção redobrada na hora da higienização. Para se ter uma ideia da fragilidade dos tecidos gengivais delicados, até mesmo o fio dental pode ser o motivo para o aparecimento precoce de gengivas retraídas. E nem adianta parar de passá-lo, já que esta atitude pode resultar em doenças periodontais que destroem o osso que envolve as raízes.

 

Palitos de dentes, escovas interdentais ou instrumentos de higienização indicados para pacientes em tratamento com aparelho ortodôntico também trazem riscos para gengivas retraídas. De qualquer forma, a consulta ao dentista é o momento ideal para descobrir como limpar corretamente seus dentes sem riscos para traumas teciduais.

Faceta dentária: recupere dentes escurecidos pós tratamento de canal.

Dentes escurecidos pós tratamento de canal podem ser recuperados através da faceta dentária laminada, nas técnicas com lente de contato dental ou faceta em porcelana ou resina.

Faceta dentária: recupere dentes escurecidos pós tratamento de canal.

O tratamento dos dentes escurecidos após tratamento de canal.

O escurecimento de dentes após tratamento de canal é um pesadelo estético para a maioria dos indivíduos acometidos pelo problema. Aparecendo alguns anos após falhas durante o procedimento endodôntico, o problema atinge em cheio a harmonia do sorriso e a autoestima. Mas como é que isto ocorre?

O aparecimento de dentes escuros e acinzentados após tratamento de canal tem como causas principais a permanência de restos sanguíneos ou substâncias químicas não removidos após a finalização dos procedimentos endodônticos. Causas secundárias, discutidas na própria sessão, também são comuns e podem resultar em superfícies dentárias escurecidas.

Faceta dentária: recupere dentes escurecidos pós tratamento de canal.

Dentes escuros e acinzentados podem ter outras causas.

Dentes escuros e acinzentados podem ter causas que vão além de falhas durante os procedimentos para tratamento endodôntico (canal). Entre elas está a reabsorção dentária interna ou externa, um condição em que o próprio organismo vai, aos poucos, removendo partes das raízes e coroa do dente até que a porção vital interna esteja comprometida. Nestes casos, o dente “morre” e seus restos necróticos terminando por escurecer o substrato dentário.

O que leva ao aparecimento da reabsorção interna e externa ainda não está bem esclarecido. Até agora, sabe-se que movimentações dentárias com aparelho ortodôntico e traumas por tombos e quedas apresentam associação elevada com o problema. E, para estes casos, o aparecimento de dentes com coloração escura, negra, cinza ou até mesmo marrom é a primeira forma para detectar a condição estética indesejada.

Para entender um pouco mais sobre o escurecimento dental que pode ser resolvido por técnicas com facetas dentárias laminadas ou ou clareamento dental, veja uma lista com as principais causas para dentes escurecidos e acinzentados:

✓ tratamento ortodôntico;

✓ traumas por tombos, quedas e choques diretos;

✓ restauração dentária próxima à polpa dentária;

✓ infecção periodontal;

✓ morte pulpar inespecífica.

Clareamento dental interno reverte o escurecimento dental

O clareamento dental interno é um procedimento bastante utilizado para reverter o escurecimento dental pós tratamento endodôntico. A técnica consiste em colocar um agente clareador na parte interna da coroa dentária e aguardar o seu efeito, que pode perdurar por alguns dias. O número de sessões para trocas desta substância depende dos resultados apresentados, já que os dentes respondem de forma diferente até mesmo entre dentes de um mesmo paciente.

Faceta dentária: recupere dentes escurecidos pós tratamento de canal.

O clareamento dental interno, apesar da eficácia iniciar para clarear dentes escurecidos pós tratamento de canal, recidiva (o dente volta a escurecer) na maioria das vezes -algumas pesquisas falam em até 70% dos casos, passados 5 anos. Além deste problema, está técnica clareadora pode trazer riscos atém mesmo para perdas dentárias quando ocorre extravasamento do agente clareador para as estruturas periodontais (osso e ligamento periodontal) que circundam as raízes dentárias.

Faceta dentária laminada: recuperando dentes escurecidos.

A faceta dentária laminada representa um grupo de técnicas para revestimento completo da superfície estética visível dos dentes. As mais utilizadas são as lentes de contato dental, facetas de porcelana ou faceta de resina, com indicações que vão desde pequenas correções de cor e forma a transformações marcantes do sorriso.

A faceta dentária é uma alternativa às recidivas do clareamento dental interno utilizado para recuperar dentes escuros e acinzentados, independente da causa. Ao mesmo tempo que bloqueia o fundo dental escurecido, as lâminas estéticas reconstroem a anatomia dental externa e também podem ser combinadas com próteses dentárias fixas em porcelana ou mesmo restaurações dentárias simples.

Procrastinação: como romper esse ciclo

Ao imaginar uma pessoa altamente produtiva, costumamos pensar em alguém que se concentra facilmente ao trabalho e nunca sucumbe à procrastinação. Aquele perfil que pode se sentar no chão em uma estação de metrô com seu laptop e ainda conseguir fazer mais em uma hora do que você faria em um dia na biblioteca.

A verdade é que pessoas produtivas enfrentam os mesmos desafios de procrastinação que qualquer um. A diferença é que elas quebram esse ciclo com o uso de uma abordagem calculada. Primeiro assimilam o porquê da procrastinação, e então aplicam estratégias para vencê-la antes de serem tomadas por ela. Qualquer um pode seguir esse processo em duas etapas, orientadas por uma pesquisa, para superar a improdutividade.

O ciclo vicioso da procrastinação

Você não pode esperar parar de procrastinar até que tenha um entendimento sólido do motivo pelo qual isso acontece. Uma nova pesquisa do professor de psicologia Joseph Ferrari na Universidade DePaul mostra que a improdutividade é mais complicada do que a maioria das pessoas pensa.

Os profissionais tendem a pensar na inércia como resultado de má administração do tempo ou preguiça, mas o estudo mostra que a procrastinação vem de emoções negativas que roubam o humor. Uma vez que você está sob a influência dessas sensações, não é possível trabalhar. Em vez de serem preguiçosas ou desorganizadas, as pessoas geralmente adiam as coisas porque não se sentem bem para concluir a tarefa. Fazer isso as insere firmemente em um ciclo vicioso de improdutividade. Com a falta de humor para trabalhar, elas se distraem com outras tarefas – verificação de e-mails e notícias, limpeza da mesa, conversas com os colegas etc.. E, quando retomam as atividades, sentem-se culpadas por ter desperdiçado tanto tempo. Isso só piora o humor, e à medida que o prazo se aproxima, o sentimento é ainda pior do que quando desistimos de uma tarefa.

 

Rompendo o looping e definindo estratégias

Combater a procrastinação é uma simples questão de sair do looping descrito acima e assumir o controle de seu humor. Com as estratégias certas, você pode tomar as rédeas e colocar-se no clima para dar conta de tudo.

 

Descubra o porquê

Quando você não está com vontade de trabalhar, a procrastinação lhe dá uma mensagem importante. Pode ser algo simples, como a necessidade de fazer uma pausa ou um lanche. Mas também pode ser complexo, como o sentimento de carregar a equipe nas costas ou a insatisfação com o trabalho. Seja o que for, em vez de se punir por procrastinar, reserve um momento para refletir e descobrir por que você adia suas tarefas. Essa simples atitude pode ser a etapa mais relevante para conquistar a produtividade.

 

Remova os obstáculos

Antes de iniciar uma tarefa, reserve um momento para considerar cuidadosamente os obstáculos que podem atrapalhar seu fluxo. Em seguida, desenvolva um plano para garantir que eles não interfiram. Por exemplo: você pode ter instruções para uma tarefa no seu e-mail e, se não fizer nada a respeito, voltará várias vezes à sua caixa de entrada para vê-las, apenas para se distrair com outras mensagens.

Nesse caso, seu plano de gerenciamento deve ser o de obter as instruções da sua caixa de entrada antes de iniciar o trabalho. Ao planejar com antecedência, você pode manter o foco e evitar a procrastinação. Afinal, é muito mais difícil recuperar a concentração do que mantê-la.

Se jogue, não importa o que aconteça

Às vezes é muito difícil começar algo, mesmo se for uma atividade que você goste de fazer. Algumas pessoas poderiam olhar por horas para um documento do Word em branco. O primeiro passo é difícil, mas uma vez que você comece a digitar o primeiro parágrafo, o humor melhora drasticamente.

Ao colocar sua atenção no quão difícil é começar, você se desencoraja. Mas dar início a uma tarefa, qualquer que seja ela, sem pensar, melhora o humor e ajuda a manter o fluxo das tarefas.

Elimine os buracos. Nós geralmente procrastinamos porque nos sentimos intimidados com a dimensão de um projeto. Para minimizar a insegurança, tente desmembrar as tarefas. Encontre etapas menores que podem ser realizadas de maneira rápida e fácil. Escrever uma proposta pode exigir 10 horas de concentração intensa, mas você pode redigir uma introdução em 15 minutos e desenvolver uma lista de resultados em 10. Esses afazeres menores desconstroem a complexidade do projeto.

Comemore as pequenas vitórias

Não há nada como riscar um item da sua lista de tarefas. Para evitar a procrastinação, você precisa experimentar esse sentimento de realização e acompanhar seu progresso com cuidado. Pequenas vitórias constroem novos NR3C4s (receptores nucleares ativados por hormônios androgênicos) nas áreas do cérebro responsáveis ​​pela recompensa e motivação.

O aumento desses receptores aumenta a influência da testosterona, o que eleva ainda mais a confiança e a disposição para enfrentar os desafios. Isso mantém você produtivo e em posição para avançar. Às vezes, eliminar itens simples da lista é o bastante para construir a força mental e lidar com tarefas grandes. Lembre-se: não se trata de realizar pequenas atividades para evitar as complexas, mas sim incluir as menores para aumentar seu foco.

Odontologia estética: aproveite o final do ano para cuidar da saúde bucal

A chegada de um novo ano pede mudanças! Nesse momento reavaliamos nossa vida e aproveitamos para planejar tudo o que faremos nos próximos meses. E por que não incluir o seu sorriso nisso? Existem diferentes formas de cuidar da saúde bucal. A primeira é cuidar da higiene e manter uma alimentação equilibrada, garantindo sua saúde bucal.

Existem também muitos procedimentos na odontologia estética, que podem deixar seu sorriso mais bonito e saudável

 PROCEDIMENTOS DE ODONTOLOGIA ESTÉTICA

SAIBA MAIS SOBRE OS PROCEDIMENTOS DE ODONTOLOGIA ESTÉTICA

Se antes a odontologia se restringia a trabalhar a parte de dentro da boca, hoje em dia isso já mudou. Atualmente, a odontologia estética passa por grande processo de evolução, onde o cirurgião dentista olha o seu paciente de uma maneira diferente de muito tempo atrás. Além de examinar a boca, o profissional também avalia a face do paciente como um todo. Não adianta devolver um sorriso bonito e bem cuidado, com os lábios sem volume, sem contorno, a face flácida e ptosada, ou seja, caídos. Portanto, tudo isso é levado em consideração, para que além de dentes bonitos também se possa conquistar uma face harmônica. O cirurgião dentista é o profissional que mais está habilitado para isto, pois estuda durante toda a sua formação os músculos e as estruturas da face, além de dentes e afins.

 PROCEDIMENTOS DE ODONTOLOGIA ESTÉTICA

VOCÊ PODE INVESTIR EM DIVERSOS TRATAMENTOS ODONTOLÓGICOS

Os tratamentos realizados por essa área da odontologia estética são inúmeros e vão dos mais básicos aos mais complexos. Para deixar os dentes mais brancos, o mais procurado é o famoso clareamento dental. Já para corrigir desgastes e também a cor dos dentes, existem as facetas de cerâmicas ou diretas de resina composta e as lentes de contato dentais. Corrigir os dentes tortos ou mal posicionados também é uma questão importante! Atualmente existem aparelhos ortodônticos ultra modernos invisíveis com resultados rápidos que trazem grande satisfação para o paciente.

 PROCEDIMENTOS DE ODONTOLOGIA ESTÉTICA

Para quem perde um dente, implantes dentários e próteses são a solução. A falta dos dentes é o maior problema dos brasileiros e hoje é possível fazer uma reabilitação completa em pouco tempo. Mas as técnicas não se restringem aos dentes. O encurtamento ou alongamento da gengiva é muito procurado por pacientes com sorrisos gengivais e também é possível ser feita uma correção das estruturas ósseas do rosto, com a cirurgia ortognática.

OS BENEFÍCIOS DESSES PROCEDIMENTOS  VÃO ALÉM DA ESTÉTICA

Esses procedimentos na odontologia estética são indicados para quem quer promover uma saúde bucal, aumentando também a autoestima e a confiança do paciente. Entre os benefícios ela destaca: A recuperação da função perdida, pois não há estética sem função, uma está relacionada com a outra, e a total satisfação do paciente diante do resultado, deixando-o mais sociável e muitas vezes mais sorridente. Que tal começar o novo ano assim?

Os melhores campos de polo da América do Sul

Na configuração que conhecemos hoje, o polo é originário do estado de Manipur, na Índia. Foi lá que o primeiro time, The Silchar Polo Club, foi fundado no ano de 1859 por militares britânicos. Rapidamente o esporte conquistou territórios e adeptos em Malta (1868), na Inglaterra (1869), Irlanda (1870), Argentina (1872), Austrália (1874) e nos Estados Unidos, mais exatamente em Nova York (1876). Em solo brasileiro, os primeiros relatos da modalidade datam da década de 1920, no carioca (porém fundado por ingleses) Rio de Janeiro Golf Club – que segue em funcionamento com o nome de Gávea Golf & Country Club.

O polo é um esporte complexo e bastante peculiar. Para começar, é a combinação de dois “atletas”: o jogador e o cavalo. Isso exige preparo intenso de ambos. São quatro jogadores em cada equipe. Uma partida tem entre quatro e seis tempos, batizados de chukkas. Em cada chukka, os cavalos são trocados devido ao intenso desgaste – a velocidade média que eles atingem em campo chega a 60 km/h. Por isso, as equipes têm, em média, um plantel de 24 cavalos (ou mais) disponíveis e a postos para entrar no jogo.

Parte fundamental é a qualidade do campo onde a partida será disputada – tanto pela fluidez das jogadas como pela segurança dos animais e dos jogadores.

A Argentina é o país mais importante no cenário do polo mundial. Na capital, Buenos Aires, acontece o principal campeonato da modalidade, o Abierto de Palermo ou Open de Palermo, que concentra anualmente a elite dos times do mundo – neste ano, a competição se estende de 10 de novembro a 15 de dezembro. Todas as partidas são disputadas no Campo Argentino de Polo, no bairro de Palermo. Esse campo foi um dos indicados por José Klabin, que ressalta seu alto nível de cuidado e preservação. Ainda no país vizinho, ele cita os campos do Clube Ellerstina, que tem sob seu nome uma das melhores equipes de polo do país. Ali, nos arredores do centro urbano da capital argentina, é disputada a Copa Oro.

O interior paulista abriga dois elogiados complexos: Helvetia e Fazenda Boa Vista

 

É unânime entre os consultados que o Helvetia Polo Country Club, localizado em Indaiatuba, interior de São Paulo, é o maior e melhor centro de polo do Brasil. Além dos 11 campos do clube, há cerca de 20 campos particulares nos arredores. O campo 1 é muito conhecido pelos polistas – nele são disputadas as finais dos campeonatos, o que o tornou um “objeto do desejo” entre os jogadores.

Divulgação
Helvetia em Indaiatuba (SP), maior centro do esporte no Brasil

O Helvetia foi fundado em 1975 com o objetivo de integrar os campos a um condomínio de casas, iniciativa do empresário Giorgio Moroni. Atualmente está sob o comando de seu filho, Antonio Giorgio Moroni.

Herança familiar, aliás, é algo extremamente comum na cultura do esporte – uma paixão que passa, em muitos casos, de pai para filho. José Klabin, por exemplo, é filho do ícone do polo Armando Klabin, que acaba de recuperar o título de jogador de polo equestre mais velho na ativa segundo o Guinness World Records, no auge de seus 85 anos (ele foi eleito pela primeira vez em 2016, mas no ano seguinte o americano Edward Robbins “roubou” seu recorde). Desde 1959, sua família é dona de um time, o Tigres, que Klabin ajudou a fundar.

Divulgação
O Campo Argentino de Polo, um dos indicados por José Klabi

João Gaspar também vem de uma família com time próprio, o Maragata, fundado em 1975 em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. O time da família Martins Bastos é patrocinado pelo banco suíço Julius Baer e é bastante popular nas redes sociais: só no Instagram soma 67 mil seguidores. Desde 2011 mantém um braço filantrópico, o Instituto Maragata.

O complexo do empreendimento Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz, interior de São Paulo, compreende condomínio de casas, um hotel Fasano e campo de polo. Em agosto, foi palco do campeonato Polo Challenge JHSF Zapälla, em sua primeira edição. O evento, que teve como propósito disseminar a cultura do polo no país, contou com a presença da “alteza” de Jaipur, o marajá Padmanabh Singh, também conhecido como Pacho na Índia. Além de bilionário, ele é jogador profissional.

Divulgação
João Gaspar Martins Bastos em partida no complexo Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz (SP)

No Rio de Janeiro, o Itanhangá Golf Club, na Barra da Tijuca e bem próximo da praia de São Conrado, foi apontado por José Klabin como um ótimo lugar para a prática do esporte. O Itanhangá foi inaugurado em 1935 com campos oficiais de golfe e polo.

Divulgação
Itanhangá, na Barra da Tijuca: inaugurado em 1935 e considerado “ótimo”

A partir de qual idade deve ser feito o chek-up odontológico

Talvez você considere que somente se preocupar em escovar os dentes após as refeições e antes de dormir seja suficiente para se ver longe de problemas bucais. Esses cuidados são fundamentais, porém, para que a prevenção aconteça de fato, é imprescindível visitar o dentista regularmente.

Mas você pode pensar: “Está tudo bem com os meus dentes, não vi nada diferente na minha boca nem sinto dor nenhuma”. E o objetivo é esse — o check-up odontológico é preventivo, ou seja, vai evitar que uma cárie superficial, por exemplo, tome conta de todo o seu dente. Esqueça a ideia de procurar o dentista somente quando a dor aparece!

qual idade deve ser feito o chek- up odontológico

A partir de qual idade deve ser feito o chek- up odontológico

A resposta para essa pergunta é: desde sempre. Pode parecer exagero, mas quando nasce o primeiro dentinho, os pais já podem levar o bebê ao odontopediatra para fazer o acompanhamento regular. Ele vai analisar se o desenvolvimento orofacial está correto e também dará orientações sobre limpeza bucal e alimentação.

Mesmo que você não tenha levado seu filho ainda bebê, leve-o o quanto antes. Quando as crianças se acostumam a ir ao dentista, perdem o medo de realizar os tratamentos e se conscientizam quanto aos bons hábitos de prevenção bucal. No futuro, serão adultos com a boca mais saudável.

O que é feito no check-up odontológico?

Se você é daqueles que evitam passar perto do consultório odontológico por medo, saiba que não há motivo para se preocupar. É importante salientar que as técnicas e materiais na odontologia estão em constante evolução, objetivando sempre tratamentos mais eficazes, rápidos e confortáveis para o paciente.

Como dissemos, o dentista vai avaliar a sua boca. Com a ajuda de um pequeno espelho, vai analisar todos os seus dentes e mucosas bucais (língua, gengivas e bochechas), verificando se existe alguma mancha, ferida, inflamação ou outro problema.

check-up odontológico

Em alguns casos, após a verificação, o profissional poderá realizar dois procedimentos preventivos:

  • profilaxia: é aquela limpeza mais completa, em que é utilizado bicarbonato de sódio para retirar a sujeira aderida ao dente e também para fazer um polimento. Você sente, além dos dentes mais limpos, que eles estão mais lisinhos;
  • aplicação de flúor: com a ajuda de uma moldeira de silicone, o dentista faz a aplicação de flúor e pede para que o paciente fique em contato com a substância por um período determinado. O flúor é um mineral que vai deixar os dentes mais fortes e protegidos contra as bactérias que causam a cárie.

Caso você tenha tártaro, que é quando a placa bacteriana se calcificou e aderiu aos dentes, o dentista pode fazer a raspagem no check-up odontológico. Você sai com um sorriso mais limpo e longe do mau hálito.

check-up odontológico

Devo me preocupar com a radiografia?

Em muitas situações, o dentista pode realizar a radiografia para complementar a avaliação do check-up odontológico. O exame consegue detectar a extensão de uma cárie ou quando ela está escondida entre os dentes, o que não é possível de ver a olho nu. Esse diagnóstico mais preciso direciona o plano de tratamento.

Seja qual for o motivo, você pode ficar tranquilo. O exame é seguro, rápido e indolor. Para proteção, é colocado um colete de chumbo no paciente.

check-up odontológico

De quanto em quanto tempo ele deve ser feito?

Não existe um intervalo padrão para a realização do check-up odontológico. Geralmente, a indicação é que ele seja feito a cada seis meses, mas isso depende das condições de saúde bucal, histórico e estilo de vida de cada paciente.

Quem sofre com doença periodontal crônica ou dentes sensíveis, por exemplo, deve visitar o dentista a cada quatro meses. Pacientes que colocaram implante dentário ou usam aparelho ortodôntico também precisam fazer esse acompanhamento com mais frequência. Já pessoas que fumam devem realizar essas consultas em intervalos menores.

LEIA TAMBÉM: Sinais que indicam a necessidade de visitar o seu dentista

Viu só como é importante fazer o check-up odontológico? Manter os dentes saudáveis vai deixar o seu sorriso mais bonito e trará qualidade de vida. Coloque esse compromisso na agenda e fique longe de qualquer problema bucal.

 

Que tal oferecer jantar com o Polvo à Lagareiro aos amigos

Vai receber os amigos e quer preparar um jantar especial? Que tal uma pratada de polvo à lagareiro? O nome desta receita típica portuguesa vem da figura do lagareiro (o trabalhador do lagar, onde é feita a produção de azeite) e a grande quantidade de azeite quente utilizada para regar o polvo é um dos segredos do preparo.

Polvo à lagareiro

Rendimento: 4 porções
Tempo de preparo: 1 hora
Dificuldade: fácil
Ingredientes Polvo

• 1 kg de polvo
• 4 dentes de alho esmagados
• 4 folhas de louro
• ¾ de xícara (chá) de azeite  de oliva (150 ml)
• Sal e molho de pimenta a gosto

Batatas

• 6 batatas médias
• 3/4 de xícara (chá) de azeite
• 4 dentes de alho picados
• 2 colheres (sopa) de manteiga
• Salsa a gosto
• Sal e pimenta a gosto

Preparo do polvo

1. Em uma panela de pressão, coloque o louro, o alho e o azeite.
2. Deixe dourar levemente e acrescente o polvo. Tempere a gosto e tampe.
3. Cozinhe na pressão por 15 minutos.
4. Desligue o fogo, deixe a panela esfriar para poder abri-la e, depois, volte ao fogo para reduzir o caldo do cozimento.
5. Reserve para saltear com as batatas.

Batatas

1. Unte as batatas com a manteiga e salgue com duas colheres (chá) de sal grosso. Leve ao forno por 45 minutos.
2. Quando as batatas estiverem assadas, esmague com um murro cada uma delas.
3. Em uma frigideira grande, aqueça o azeite e adicione o alho, o polvo, já cozido, e as batatas. 4. Deixe dourar levemente, retire do fogo e tempere com sal, pimenta e a salsa rasgada.  Sirva em seguida.

5 doenças bucais mais comuns na melhor idade

O processo de envelhecimento traz grandes mudanças no corpo, na mente e claro, o sorriso. Sim, os dentes também envelhecem e como o restante do corpo, eles  precisam de cuidados redobrados com o avançar da idade. Caso contrário, além de exibir um sorriso feio, o idoso ainda corre o risco de perder alguns ou todos os dentes na boca.

doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

 

 

Conheças as cinco doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

Aliás, a perda dentária é muitas vezes, associada ao avanço da idade. Mas, as coisas não são bem assim, pois é perfeitamente possível chegar à velhice com todos os dentes na boca. Basta tomar os cuidados necessários.

  1. Lesões da mucosa bucal

Com o avanço da idade, é mais comum que apareçam lesões na boca. Isso acontece devido ao uso de próteses mal adaptadas. O consumo de álcool e o hábito de fumar também contribuem com o problema. Para verificar a presença de alguma lesão, olhe-se no espelho e procure por feridas nas gengivas, bochechas e palato.

Caso identifique alguma anormalidade, procure o dentista imediatamente. O autoexame deve ser feito todo mês.

  1. Cáries

Com o avanço da idade, a higienização bucal também se torna mais complicada. Além disso, as pessoas tendem a se descuidarem quando vão ficando mais velhas. Por isso, o surgimento de cáries em pessoas idosas também é muito comum.

As cáries provocam dores, amarelamento nos dentes e mau hálito.

doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

  1. Xerostomia

Conhecida também como “boca seca”, a xerostomia é outro problema de saúde bucal comum em pessoas idosas. O problema consiste na redução de saliva, que pode ser causada por uso de alguns medicamentos ou por tratamentos como radioterapia, por exemplo.

Apesar de não ser bem uma doença, a xerostomia contribui com o aparecimento de outras patologias na boca. Isso porque a produção de saliva é importante para manter a boca livre de bactérias que causam mau hálito, cáries e doenças na gengiva.

cinco doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

  1. Periodontite

A periodontite é uma doença muito comum em idosos. Ela é o agravamento da gengivite — que é caracterizada por inchaço e sangramento nas gengivas ao escovar os dentes. Quando a periodontite não é tratada, ela pode evoluir e causar a destruição do ossos e tecidos, provocando a perda dentária.

As doenças nas gengivas podem ser causadas por má higiene bucal, tabagismo, problemas sistêmicos como diabetes e câncer ou ainda pode ocasionada por problemas genéticos.

  1. Câncer de boca

O câncer bucal está entre as doenças bucais mais comuns em idosos. A doença pode atingir os lábios, gengiva, língua, ossos maxilares e outras estruturas dentro da cavidade oral. Suas causas estão relacionadas ao tabagismo, ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, à predisposição genética e à exposição ao sol, especialmente em casos de câncer nos lábios.

O câncer bucal tem cura, mas é essencial que o diagnóstico seja realizado precocemente.

cinco doenças bucais mais comuns em pessoas idosas

Como manter uma boa saúde bucal na terceira idade?

Cuidar de sua saúde bucal não só preserva a beleza de seu sorriso até a velhice, mas também, deixa sua boca livre de doenças. Então, mantenha uma boa higiene e escove os dentes no mínimo duas vezes ao dia e não se esqueça do fio dental. Abandonar hábitos nocivos como fumar e consumir bebidas alcoólicas em excesso.

E o mais importante de tudo: visite seu dentista regularmente. O acompanhamento profissional é essencial para a prevenção de doenças e diagnóstico precoce de doenças.